quinta-feira, 1 de julho de 2010

Raça é como assombração. Isto non essiste.

"Ante o exposto opino para que a consulta seja devolvida ao CESPE com informação de que não há critério científico que permita defesa jurídica racional em prol do sistema de cotas raciais instituido pela UnB. Por oportuno, para que seja encaminhada proposta ao Gabinete do Reitor para que submeta o presente parecer aos órgãos colegiados da UnB, a fim de definir qual deverá o critério científico a ser estabelecido para uma adequada ação afirmativa, em substituição ao estabelecido até o presente momento". 

Este é um trecho do parecer do procurador federal Sidio Rosa de Mesquita Júnior respondendo à consulta formulada pela Fundação Universidade de Brasília, que tentava jogar no colo do MP a responsabilidade pelos critérios de escolha. Ver matéria no link ai do lado.

Em síntese, o procurador mandou que a própria UNB estabeleça critérios para que se diga cientificamente quem é negro e quem é branco. Missão impossivel. Como diria o padre Quevedo falando em assombração, "isto non essiste".

Nenhum comentário:

Postar um comentário