sexta-feira, 16 de julho de 2010

Na Espanha os cubanos não esqueceram o presidente Lula

Os presos politicos cubanos libertados e transferidos para a Espanha não pouparam "elogios" ao presidente Lula em suas primeiras declarações à imprensa. Um trecho da fala de Omar Rodríguez Saludes diz tudo.

"Lula se aliou ao crime e não à justiça. Orlando Zapata podia ter tido possibilidades, mesmo que remotas, de sobreviver se Lula da Silva tivesse intercedido pessoal e publicamente por ele. Ele diz que está feliz com a nossa liberação, mas nós estaríamos felizes se ele tivesse advogado por Zapata".

Não é segredo nem para os presos cubanos que o nosso presidente goza de grande intimidade com os Castro. De vez em quando vai lá ou manda outro graúdo do partido fazer uma visitinha cordial do tipo "estamos com voce", "conte com nosso apoio" etc. Sendo assim, os dissidentes presos julgavam que poderiam contar com uma palavra de aconselhamento, um pedido mesmo, no sentido de aliviar um pouco a truculência do regime, melhorar as condições dos presos, reduzir penas, soltar quem não devia estar preso... Que nada! Em suas declarações a respeito de Cuba o nosso presidente dá uma de Pôncio Pilatos. Segundo ele, temos que respeitar as leis dos outros países, ou seja, fuquiú pra voces.

Com essa mania de se aliar a regimes ditatoriais na base do pragmatismo comercial ou na base do coleguismo autoritário, Lula nos deixa mal na foto. Na Espanha, os cubanos mostraram isso e mandaram um recado. Que tal ir lá e pedir aos Castro para soltar os outros dissidentes?

Nenhum comentário:

Postar um comentário