sábado, 31 de dezembro de 2011

Mais Adele e menos Luan Santana

Que seja maravilhoso

Feliz 2012.

PAZ!

Sejamos mais tolerantes, sejamos menos tolerantes.

Nada se pode dizer às vésperas de um novo ano que não tenha sido dito antes. Da minha parte, apenas desejo que sejamos mais tolerantes uns com os outros, que respeitemos mais as nossas diferenças, que sejamos mais generosos. Na política, que sejamos mais intolerantes com o roubo, os desvios, a incompetencia, o arrivismo, o oportunismo e que não nos deixemos enganar pelos estelionatários morais que vicejam nos palanques. Façamos a nossa parte.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

O mais podre poder.

A melhor arma contra a corrupção é e sempre será a transparência. Arreganhar as contas deveria ser de lei em todas as esferas. Sigilo fiscal para quem ocupa cargo público deveria ser abolido - quem não quiser mostrar as contas que não aceite nomeação. Sinais exteriores de riqueza deveriam ser imediatamente investigados. O povo tem todo o direito de saber o que fazem os servidores públicos politicamente nomeados, vigiá-los e denunciá-los.

Nos últimos dias uma briga surda vem se travando no mais alto escalão da república. O STF ameaça as prerrogativas do Conselho Nacional de Justiça e a ação da Ministra Eliana Calmon. Aos poucos a imprensa (sempre ela) vem mostrando o que há por baixo de algumas togas que jamais foram passadas na lavanderia. Aguardemos o que virá. De certo apenas que em ambientes fechados, para variar, algo fede.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

De fracasso em fracasso as Conferências Climáticas ainda terminam em happy hour de ecochato.

O trecho abaixo capturei de um post do Folha Verde News dá bem a medida do que aconteceu na Conferência do Clima recentemente realizada em Durban.


"Salvo engano, o principal saldo da Conferência de Durban, a CoP 17, encerrada neste domingo, foi marcar uma nova reunião para 2015 quando serão fixadas metas para valer a partir de 2020. Até 2015 os gigantes poluidores do planeta - os EUA é o maior deles, com emissão per capita 9 vezes a do Brasil, por exemplo - ficam livres para adotar cortes voluntários nos despejos de CO2 na atmosfera.

Significa que o destino da humanidade ficará entregue por mais uma década a quem se recusou a subscrever Kyoto em 1997 e continuou a fazê-lo em 2011, 14 anos depois. Que garantia existe de que em 2020 assistiremos a uma guinada redentora nesse recorrente veto ao futuro? Pouca, para não dizer nenhuma.

Uma evidência: em Durban, os gigantes poluidores não aceitaram nem mesmo endossar até 2015 as metas de Kyoto - que vencem em 2012. Os países que aceitaram fazê-lo respondem por apenas 15% das emissões globais. O desfiar de datas e metas-fantasia da agenda ambiental poderia ser apenas um incômodo exercício de tergiversação diplomática não fossem as perdas e danos que estão em jogo."


Em síntese, se reuniram para marcar outra reunião que certamente será tão fracasssada quanto esta, ainda mais se considerarmos a crise financeira que se abate sobre a Europa. Nos próximos anos, os loirinhos barrigudos estarão mais preocupados em arrumar um empreguinho básico do que em prestar atenção na escatalogia da seita do aquecimento global antropogênico. Chineses e Indianos idem.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Facismo a caminho trazido pelas mãos da ONU

No link abaixo voce pode ler algo que já vem sendo previsto por muitos democratas que não baixam as armas nem para os ecofacistas que pululam por ai. Pra iniciar, a ONU, infestada desses energúmenos, está propondo a criação de um tribunal climático internacional. Os ecofacistas querem cagar regras para todos os países e julgá-los em caso de descumprimento. Pelo que sei, o último que planejava dominar o mundo, aquele do bigodinho, sifu.

Clima | Climate || Virtual vs Real: Os eco-fascistas da ONU em Durban: projecto do tra...:

sábado, 10 de dezembro de 2011

Quando os malfeitos são mal feitos...

Nem deram conta das consultorias do Pimentel e surge essa história da falsificação de documentos por gente graúda ligada ao Governo Lula. De tanto ler sobre a putaria que rola chego à conclusão de que o problema não são os "malfeitos" dessa turma como gosta de chamar a dona Dilma. O que está pegando é que são mal feitos. PQP! A gente nem tem tempo de entender uma sacanagem e lá se vem outra. Agora é todo dia?

Estou convencido de que esse pessoal além de ladrão é muito burro. Ministros de todos os partidos, gente experiente, todos putas véias na arte da malandragem fazem coisas que não entendo. Estou me decepcionando com esses caras. Sinceramente. Sempre achei que pra chegar onde chegaram deviam ser inteligentes, geniais mesmo. Tudo bem que na administração já demonstraram muita incompetência, mas como ladrões achei que eram sabidos. Tenho um amigo que explica dizendo que todo dia pipoca um caso porque a turma exagerou na dose, passou a tirar picolé de menino e ai deu nas vistas. Pode ser, mas ainda assim deviam ser mais inteligentes. Consultoria para microempresa de tubaína? Falsificando assinatura e falando disso ao telefone? Tenha dó.

Ai vem os caras e reclamam da imprensa. Ora, ora. Se não dá pra serem honestos e não querem ser pegos, pelo menos façam seus malfeitos bem feitos, né?

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Celso Arnaldo captura a nova ministra do Supremo durante a sabatina no Senado: Uma Rosa da Rosa é uma Rosa da Rosa

Voces lembram daquela situacao em que o professor escolhe um aluno de sopetao e faz uma pergunta daquelas de fazer o sujeito mijar nas calcas? Foi como vi a Ministra indicada pela dona Dilma perante o senador Demóstenes. Vá ser fraquinha assim longe. Se estamos dependendo na Alta Corte de gente dessa qualidade estamos lascados. Essa ai certamente nao passaria no exame da OAB. O presidente do STF deveria botar a ministra no milho no primeiro dia. Vejam abaixo e nao riam, se puderem, é claro.

Celso Arnaldo captura a nova ministra do Supremo durante a sabatina no Senado: Uma Rosa da Rosa é uma Rosa da Rosa

Mais uma promessa de ação contra o crack. Alguém acredita?








Voces viram, está em todos os jornais e televisões que o governo federal lançou ontem (de novo) um programa para combater o cosumo de crack. Os números anunciados são significativos. Nada menos que quatro bilhões de reais. A medida mais polêmica é a internação "na marra" de viciados para tratamento. Toda a psicologia é contra, mas o governo entende que tudo começa tirando os "nóia" da rua e mantendo-os em alguma enfermaria. Só quero ver no que vai dar.

Não sou do ramo. Nem dos que usam nem dos que entendem de drogas e alucinógenos, mas tenho cá minhas convicções. Duvido que este programa (se for implementado) resulte em algo concretamente válido. Já disse antes. É preciso atuar na origem e isto significa negociar politicamente com o governo boliviano, usando a pressão possível e necessária, um programa de diminuição radical da produção de coca naquele país. O crack só inunda as grandes cidades e chega no interior do Ceará porque é barato e só é barato porque é muito e só é  muito porque a produção de coca na Bolívia mais que duplicou nos últimos anos e só duplicou porque o governo de lá faz força a favor. Não há vigilância na fronteira ou programa de internação que resolva a situação.

Alguém acha que o país vai enfiar mais de um milhão de usuários em clínicas de tratamento? Alguém acredita que dá pra vigiar milhares de quilômetros de fronteira com a Bolivia, Peru e Paraguai por onde a cocaína passa livremente para o Brasil?

O programa lançado ontem pela dona Dilma é uma pilhéria. Uma reação política a uma questão nacional que exige respostas. Infelizmente as respostas são mais promessas. Oremos.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Canadenses sobre o Protocolo de Kyoto. "Me incluam fora dessa".

Uma noticia que voce não verá no Jornal da Globo, nem no Fantástico, nem em jornal brasileiro nenhum. Veja abaixo.




O jornal The Washington Times repercutiu a notícia em editorial. Abaixo.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Sobre consultorias e consultores

Antigamente era assim. Um sujeito possuia alta especialização em determinada área e, não querendo ser empregado de ninguém, abria o próprio escritório de consultoria ou se associava a alguém com o mesmo objetivo. Bons economistas, por exemplo, vivem disso. Fazem prognósticos, elaboram estudos, apontam áreas de investimento etc. Palestras também são solicitadas por grupos de acionistas ou de empresas. Quem precisava do serviço contratava o escritório, pagava o resultado e tchau, até a próxima. Isso era antes, pois de uns anos para cá consultoria virou algo muito nebuloso, para dizer o mínimo.

Me acompanhem. Qual o mais importante e mais caro consultor do momento? Ele mesmo, o nosso ex-presidente Lula. Uma "palestra" de duas horas e lá se vão 200, 300 mil reais para o bolso do nosso mais querido presidente da historia. Sua especialidade? Não faço a mínima idéia, mas poderia ser "como governar um pais durante oito anos de cima de um palanque". Outro grande e bem mais discreto consultor é o ex-ministro Zé Dirceu. A especialidade, não sei. Mais um dos grandes é o Palloci, ex-ministro da Fazenda. A especialidade também não sei, mas como ex-ministro e pelo que ganha deve ter algo muito importante a dizer. O consultor da vez é o atual ministro Fernando Pimentel cuja experiencia e capacidade fizeram-no amealhar em dois anos uma pequena fortuna.

Longe de mim sequer desconfiar da capacidade desses senhores. São pessoas de elevadíssima experiência e certamente, mesmo se dizendo socialistas, conhecem os segredos que fazem enriquecer mais ainda os capitalistas que os procuram. O que me deixa encabulado é por que raios esses caras tão geniais, no primeiro estalo largam o que estão fazendo com competência e altíssima lucratividade, para enfrentarem a espinhosa tarefa de serem auxiliares do governo, uma posição que na melhor das hipóteses lhe rende míseros 15 mil reais líquidos. Sinceramente, esta decisão não recomenda quem pretende ser consultor. Quem vai querer ouvir os conselhos de um cara que larga uma atividade que rende milhões de reais anualmente para virar um funcionário público mal pago? A não ser que...

Mais uma mentira dos carbofóbicos.

Sabem aquela história espalhada pelos membros da seita do aquecimento global de que os oceanos subiriam não sei quantos metros, que as praias seriam inundadas, que as casas e hotéis virariam atlântida etc..etc...? Era MENTIRA. Talvez por isso é que Al Gore nunca deixou de passar férias na mansão que possui na praia.

O gráfico abaixo mostra o nível do mar com tendência declinante

                                            Fonte:http://theclimatescepticsparty.blogspot.com/

domingo, 4 de dezembro de 2011

Mais um fora do Sujistério da Dilma.

Finalmente o Lupi "vazou", tomou o caminho da rua na iminência de tomar um pé na bunda bem tardio, diga-se de passagem. Fico com a impressão de que deram um tempo para ele dar uma "limpada" na própria sujeira. Coisas como sumir com documentos, refazer páginas de processos, fazer adendos, retificar datas, negociar com auxiliares... enfim, se garantir para uma eventual investigação. De qualquer forma o Sujistério que a Dilma herdou do Lula e mantém por que quer fica um pouquinho menos indecente sem o dito cujo. Agora é esperar o próximo.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Mais uma do aquecimento global

Os jornalões deixam por menos, a Globo nem fala no assunto (se fosse calor...), os carbofóbicos dão as costas, mas em Santa Catarina as temperaturas bateram recordes negativos para a época. É o que se pode ler no Diário Catarinense. A turma de lá adoraria um aquecimentozinho básico...