quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Eliana Calmon - a mulher da vez.

A Ministra que não abre mão da verdade deverá ir ao Senado (imperdível) defender o Conselho Nacional de Justiça - CNJ, daqueles que o querem como órgão omisso e subserviente. Disse e repetiu que há bandidos no judiciário. Quem duvida disso? Parece que uma associação dos magistrados e o STF não concordam. Pediram que ela se retratasse, ela ratificou. Aguardemos.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Bolsa Verde: Como tem que ser.

Hoje a dona Dilma lançou o programa Bolsa Verde que vai distribuir mais uma grana entre aqueles que preservarem a floresta. Sabe qual é a melhor parte do programa? É que reconhece sem frescuras que o negócio é dar dinheiro para quem lá viver. Não precisa fazer nada. Basta ficar cochilando na rede e no final do mês recebe uma grana.

Ao invés de tentar nos enrolar com promessas de atividades rentáveis baseadas no extrativismo de sementes, coquinhos e raízes, o programa apenas declara: Fique lá sossegado e aguarde a grana que ela vem. A sociedade quer pagar um tantinho assim pra vocês preservarem a floresta. Ponto final.

Sei. Alguém vai dizer que a grana vai pagar serviços ambientais, tipo sequestro de CO², preservação da biodiversidade... Tudo bem. Vamos fazer de conta que é isso mesmo.

Kassab. "O PSD vem para somar".

Ora, ora. Se não fosse por oportunismo eu juraria que a declaração foi por burrice. Partido sempre divide. Por definição. Um todo dividido por 28 dá X, o mesmo todo dividido por 29 dá menos que X. Elementar que nem a álgebra que as escolas de hoje não ensinam mais às nossas crianças.

Gilberto Kassab veio para DIVIDIR. Arrancou um naco do DEM e saiu garimpando aqui e ali políticos pouco dados à fidelidade partidária. Gente que não sabe o significado de partido político nem nunca saberá.

Divide a oposição, leva mais gente para aquela faixa dos mais ou menos, dos que nem fedem nem cheiram, dos que dependem da força da onda. Tudo para que Kassab se torne um político nacional, com força para decidir alianças na eleição presidencial. De cara já vem com a terceira bancada na Câmara Federal, atrás apenas de PMDB e PT. Se resolver daqui pra lá engrossar a base do governo poderá indicar dois ministros, pelo menos. É o Brasil.

O partido do Kassab.

Enfim foi autorizada a criação do PSD ou, se prferirem, o Partido do Kassab, criado apenas para que o prefeito de São Paulo possa exercer plena influência perante um grupo, já que ideologicamente nem ele mesmo soube dizer para que vem a nova agremiação.

De fato não se viu até hoje ninguém dizer que o PSD exercerá um papel novo que o justificasse. Reúne gente de todas as matizes ideológicas e muita gente que nem sabe o que é isso. São apenas políticos insatisfeitos em seus partidos ou que vislumbram uma brecha para novas candidaturas ou exercerem mais poder e liderança regional ou, ainda, gente que quer se aproximar do governo mas tem vergonha de apresentar a velha cara. Uma nova lhe parece bem.

De qualquer forma, é o Brasil e seus sistema partidário maluco. Qualquer membro do novo partido pode apontar o dedo e perguntar: O seu é melhor do que o meu? Ninguém dirá que sim. Os partidos são todos uma mistureba de interesses eleitorais. O novato nasce grande. Já exibe uma relação contendo dezenas de deputados, dois governadores, senadores, lideranças setoriais e um discurso que ninguém entende.

Será governo ou oposição? Sabe-se lá. Depende do assunto e, logicamente, da conversa por trás do assunto. Toca pra frente.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Essa dona é quem vai controlar as contas públicas! Putz!

Depois de campanha vergonhosa realizada por seu filho governador, a deputada Ana Arraes acaba de ser eleita para aquele carguinho vitalício no Tribunal de Contas da União. Vai ser Ministra até morrer só porque é mãe do Eduardo Campos. Não que precise daquele salariozinho, mas porque isso dá prestigio, imortaliza a cidadã e enche de orgulho. É claro que no meio de tudo isso, boquinhas e boconas vão sendo criadas para abrigar a prole e a prole da prole.

Suas primeiras declarações depois de eleita na semana passada foi de que o TCU é órgão político e que não tem nada a ver essa história de suspender obras por um motivozinho besta como corrupção. Jornais de hoje mostram como aquela dona é cuidadosa com o destino do nosso dinheiro. Em seu blog, Josias de Souza pontua o casinho simples mas bem emblemático do que rigor com que ela trata a grana que sai dos nossos bolsos para o dela.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Musa da floresta não salva os próprios neurônios.



Depois que deu umas braçadas num igarapé a atriz global resolveu salvar a floresta com tudo que nela há. Divulgou uma cartinha fuleira para a qual colheu milhares de assinaturas, deu entrevistas em programas importantes, participou de manifestações, esteve no Congresso e não se candidatou à rainha dos povos da floresta porque o cargo já está ocupado. Ganhou fama de ativista ambiental. Ela quer cuidar dos índios, dos seringueiros, dos ribeirinhos, dos castanheiros... Tomara que não seja com esse troço que andou consumindo no Rock in Rio.


quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Educação não tem fim. Petróleo, sim.

O Senador Cristovam Buarque, do DF, está defendendo, parece que juntamente com o Senador Aloysio Nunes, de São Paulo, uma proposta para os royalties do pré-sal que deveria fazer pensar o governo e os parlamentares. Segundo ele, toda aquela grana constituiria um Fundo cujos rendimentos (não o capital) seriam investidos em Educação e Ciência e Tecnologia distribuídos pelos estados de conformidade com o número de alunos na escola pública. Com isto estaria assegurada a perenidade da grana, já que se utilizaria apenas os rendimentos e a promoção da educação em níveis crescentes e sustentáveis pois as dotações seriam obviamente cumulativas. E então? Não parece bacana?

Parece e é. Ao meu gosto se incluiria ai também a saúde, que padece da falta de fonte segura de financiamento. Um dos principais argumentos do Senador Buarque é que a grana do pré-sal jogada no saco dos tesouros estaduais e municipais corre o risco de ser dissipada em obras e programas de baixa qualidade e inconsequentes. Tem razão o Senador. Esfregando as mãos diante do dinheiro, prefeitos e governadores esquecem que o petróleo é não-renovável. Por maior que seja a jazida, um dia acaba. Portanto, é desejável que gastos permanentes sejam associados a fontes permanentes e isso se poderia conseguir transformando os royalties em Fundo e não em receita corrente.

Já pensou quanta grana seria investida na formação de nossas crianças e jovens? Quanto capital humano constituiria o Brasil? Quanta ciência e tecnologia seria desenvolvida? Que pais teríamos em 20-30 anos?

Duvido é que os coleguinhas do Cristovam estejam interessados nessa proposta.

Ana Arraes no TCU. Do nepotismo ao afrouxamento do controle.

A nomeação do conselheiro do Tribunal de Contas sempre foi algo nojento, mas desta vez ultrapassou todas os limites. Ana Arraes foi "eleita" na Câmara Federal em um processo que envolve uma forma peculiar de nepotismo (ela é mãe do Governador Eduardo Campos, do Pernambuco), intromissão do executivo (membros do governo fizeram campanha descarada a seu favor) e negociações espúrias (troca de verbas por votos de parlamentares).

A mãezona não poupou agradecimentos: Declarou que "é uma honra criar um filho como o Eduardo". Aos colegas parlamentares se saiu com uma novidade, dizendo que o TCU é político. Ao governo sinalizou com uma promessa de recompensa, se dizendo contra a paralisação de obras suspeitas de corrupção. Não sei o que é mais abominável.

Na página do TCU encontramos em seu refeencial estratégico:

Missão

Controlar a Administração Pública para Contribuir com seu aperfeiçoamento em benefício da sociedade.

Visão
Ser reconhecido como instituição de excelência no controle e no aperfeiçoamento da Administração Pública.


Valores

Ética
Ter como padrão de conduta ações que busquem a verdade dos fatos, amparadas em honestidade, moralidade, coerência e probidade administrativa.

Efetividade
Atuar orientado para resultados que assegurem o cumprimento da missão e a excelência da imagem institucional.

Independência
Atuar com imparcialidade, liberdade e autonomia, de forma a rejeitar a interveniência de qualquer interesse que não o público.

Justiça
Pautar-se estritamente por princípios de justiça, pela verdade e pela lei, com integridade, eqüidade, impessoalidade e imparcialidade.

Profissionalismo
Atuar de forma técnica, competente, responsável, imparcial, coerente e objetiva e estar comprometido com a missão institucional


Ora. A Mãe do Eduardo já chega no TCU afrontando todos os seus valores fundamentais. Em primeiro lugar, a Ética, já que promete atuar politicamente em uma instituição que busca a verdade dos fatos e não uma interpretação política. Em segundo, a Efetividade, à medida que propõe "em favor da admnistração" permitir o prosseguimento de gastos com obras em suspeição. Em terceiro, a Independência, já que devendo a própria indicação aos acordos promovidos pelo filho influente, não poderá atuar livremente. Em quarto, a Justiça, pois em prejuízo impessoalidade e imparcialidade deseja arbitrar de conformidade com a oportunidade ou urgência da obra.  Por último, vai contra o Profissionalismo, dado que a missão institucional é o controle da administação pública e não a sua conveniência, seja política ou operacional.

Deram assim, os nossos deputados, mais um passo no sentido contrário da sociedade que tenta a todo custo frear a corrupção no Brasil. Eleições corruptas não podem gerar representantes honestos.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Prestem atenção ao pré-sal. Cabral descobriu o petróleo.

Tá no Noblat repercutindo matéria da Renata Lo Prete, da Folha.

Trecho de e-mail enviado por Sérgio Cabral (PMDB) a aliados do Rio na madrugada de ontem: "Não vamos aceitar negociação com o pós-sal e o pré-sal licitado. O pré-sal a ser licitado já foi objeto de negociação com o presidente Lula. Com o aval da então ministra Dilma e do ministro Lobão".

Segue o governador, que está na Europa: "O Rio fechou acordo. Ninguém pode nos acusar de intolerância. Mas não vamos transigir no licitado. O governo federal tem o dever de encontrar uma solução".

O assunto do pré-sal está fervendo e recomenda que todos os parlamentares prestem atenção, do contrário Sérgio Cabral se tornará o novo Xeique Árabe.

Somos poucos nas ruas, mas uma multidão na urna.


Ontem, enquanto a dona Dilma prometia se aliar ao combate à corrupção em reunião com Barack Obama nos EUA, na Cinelândia, cidade do Rio de Janeiro, pouco mais de 2.000 cariocas convocados pelas redes sociais protestavam contra a falta de combate à corrupção.

Alguns fariseus fazem força para julgar a intensidade e importância da reação popular à corrupção pelo número de pessoas na manifestação. Estão errados. Embora importantes, as manifestações de rua são neste caso a representação do inconformismo da sociedade e não ele próprio. O grau de adesão dos brasileiros à luta contra a corrupção só pode ser efetivamente medido no campo onde se realiza, ou seja, na internet. Não é como na parada gay onde vão todos os gays e simpatizantes, puxados por meses de organização e propaganda na mídia em geral.

Sinceramente, não espero que os defensores da ética consigam incendiar o pais e levar às ruas milhões de militantes da causa. Mas acredito que a manutenção do tema e das manifestações nas grandes cidades será capaz de sinalizar eficientemente para os politicos e dirigentes: Estamos de ôlho!

Pré-sal na saúde. Por que não?

O ministro da Saúde estima que o pais precisaria de mais uns 45 bilhões de reais para que o setor atinja um nível aceitável de proteção aos brasileiros. É muita grana. Tirar de onde? Ok. Tem muito dinheiro saindo no ralo da corrupção, mas mesmo assim, o furo ainda é giganesco. Mais impostos? Não passa. Nem o PMDB está disposto a votar a favor de uma nova CPMF. A própria Dilma já andou desconsiderando a hipótese de bancar a proposta. Sobra o quê?

Alguns setores apontam o pré-sal como capaz de financiar a saúde dos brasileiros. Pode ser uma boa idéia. O problema é que a grana ainda vai demorar a pingar e até lá muita gente vai passar desta pra melhor nas filas dos hospitais. De todo modo é bom o pessoal que decide ir azeitando uma proposta razoável para os próximos anos.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Cadê Hitler?

Na cidade de Mossoró - RN foi construído em 2003 pela prefeitura um belo teatro. Chama-se Teatro Municipal Dix-Huit Rosado. Coisa fina, elegante, funcional, apta a receber grandes produções, capaz de sustentar técnicas apuradas de sonorização e iluminação, enfim, um lugar que orgulha a cidade e que está realmente ajudando muito a promover a cultura regional. Tem lugar para para acolher confortavelmente 740 espectadores. Visitei seus camarins e posso garantir que, tirando aquelas exigências malucas de estrelas babacas, podem receber qualquer artista.  Uma boa descrição pode ser vista AQUI.

Não parece bacana para uma cidade de porte médio?  É bacana mesmo. Com exceção da decoração que a meu ver agride, pela lembrança, toda a humanidade. Não faço a mínima idéia de quem seja o responsável artístico, mas a decoração dos níveis superiores faz, de modo explícito, uma homenagem ao nazismo.

Vejam a foto. Se aquilo não é uma suástica, o que é?


Evidentemente não terá sido a intenção dos governantes, mas não é razoável que em pleno século 21 tais descuidos possam passar desapercebidos pela administração e pelos dirigentes da cultura local. Certo seria que o mais breve possível a decoração fosse refeita, apagando do lugar a impressão de que estamos em um teatro do III Heich.


domingo, 18 de setembro de 2011

O Governo, Maria e a moto do "Neguinho".

Acho que já contei aqui essa historinha verídica acontecida na cidade de Potiretama - CE, onde nasci. Um de meus irmãos, professor aposentado, presenciou um diálogo entre uma professora e uma auxiliar da escola. A auxiliar (vamos chamá-la de Maria), uma jovem de 20 anos, estava grávida do terceiro filho e a professora (vamos chamá-la de Fátima) tentava convencê-la a usar anticoncepcionais. Ao diálogo:

Fátima - Vem cá Maria, voce tem quantos filhos?

Maria - Tenho dois, mais esse faz três, professora.

Fátima - Voce não conhece os comprimidos anticoncepcionais?

Maria -  Conheço, professora. Lá no posto de saúde eles distribuem de graça.

Fátima -  Então mulher, por que voce não usa?

Maria - É que o "Neguinho" quer comprar uma moto.

Fátima - Peraí, Maria. O que que tem uma coisa a ver com a outra.

Maria - É que com mais este filho o dinheiro do bolsa família já dá pra pagar a prestação da moto.

Fátima - Maria, voce tá brincando. Esse seu marido é doido? Uma filho vai dar muito mais despesa e trabalho pra criar do que aquela mixaria do bolsa família.

Maria - Eu até falei pra ele, mas ele não quis saber. Até ameaçou me largar.

Pois bem. Me lembrei da historinha recente lá do sertão cearense quando vi que o governo está aumentando de três para cinco filhos o número de benefícios por familia. Agora, de acordo com a lógica do "Neguinho" e do Governo, a pobre da Maria já pode ter mais dois filhos e trocar a moto por outra mais nova. E ainda falam em eliminação da pobreza. Não dá pra entender um troço desses.

sábado, 17 de setembro de 2011

A imprensa brasileira boicota a notícia que não seja alarmista.

Até o Portal Terra, carbofóbico de carteirinha, repercutiu a notícia que está em vários grandes jornais estrangeiros de que o Nobel Ivar Giaever mandou a "teoria" do aquecimento global para a lata dos lixo, de onde, aliás, saiu pelas mãos de Al Gore.  Mas há quem resista. A Globo, a Folha e outros grandes não deram um pio.

Este boicote à noticia que não seja de alarme climático é muito semelhante à estratégia de algumas revistas científicas. Simplesmente omitem qualquer fato contrário aos seus interesses. Depois fazem as contas e verificam que "todo mundo" é a favor. Assim, é fácil. Quero ver é ir lá e contradizer o Giaever.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Ivar Giaever, Nobel de física dá adeus à APS. Tá no Jornal do Brasil.

Eu desconfiava que ninguém no Brasil publicaria a saída do nobel Ivar Giaever da Sociedade Americana de Física por discordar da "teoria" do aquecimento global, mas, parece que por ser quem é, não houve como não dar a notícia. O Jornal do Brasil dá AQUI com algum atraso a notícia.

Engraçado que mesmo repercutindo o fato, o JB não cuida de esclarecer os motivos reais da saída de Giaever. Apenas dá a versão da organização de que o físico "não concorda com a visão da APS sobre o aquecimento global". A verdade é um pouco mais obejtiva. Ele não concorda com a afirmação pela APS de que o aquecimento global é ciência firmada. Mais, nem ao menos acha que tenha havido aquecimento anormal.

Giaever não é o primeiro nem será o último a optar pela ciência em lugar de seguir os políticos. Aguardem!

Cabeça ôca, oficina do demo.


Enquanto cientistas renomados vão desembarcando da "teoria" do aquecimento global antropogênico, um vereador (Goulart - PMDB) da cidade de São Paulo conseguiu aprovar em primeira votação, no final do ano passado, um projeto que obriga todos os moradores da cidade a pintarem de branco os telhados de suas casas. O insano conseguiu convencer seus colegas de que esta será uma grande contribuição à luta contra o aquecimento global. 

Por conta dessa idiotice, alguns cientistas estão tentando fazer o que os vereadores não fizeram, ou seja, discutir a questão à luz da ciência e demonstrar que a lei seria absurda e inócua. A reunião será dia 19 de Setembro.

Bem que pesquisadores do comportamento humano já alertaram que essa história de aquecimento global está gerando malucos. É claro que gera também milionários, carreiras "científicas", viagens, altos salários, consultorias, carreiras políticas...

Mais informações AQUI

Quem disse que a toga veste a moral e a ética?

A Ministra do STF Eliana Calmon, Corregedora do CNJ, abre o verbo em entrevista ao jornalista Ricardo Setti, da Veja. Um pequeno trecho:

Veja - A senhora quer dizer que a ascensão funcional na magistratura depende dessa troca de favores?


Eliana Calmon - O ideal seria que as promoções acontecessem por mérito. Hoje é a política que define o preenchimento de vagas nos tribunais superiores, por exemplo. Os piores magistrados terminam sendo os mais louvados. O ignorante, o despreparado, não cria problema com ninguém porque sabe que num embate ele levará a pior. Esse chegará ao topo do Judiciário.

Se lá em cima é assim, imagine aqui por baixo onde os ratos são muitos e miúdos. A entrevista completa pode ser vista AQUI

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Nobel de Física descarta aquecimento global.

Voces sabem. Nunca tivemos um Prêmio Nobel. Jorge Amado andou arranhando, Zilda Arns esteve na lista, fala-se no físico Miguel Nicolelis, mas até agora nadica de nada. Os EUA tem dezenas. Paises Europeus idem. Um deles, o professor belga norueguês Ivar Giaever, Nobel de Física, acaba de renunciar à Sociedade Americana de Física. Em comunicação data de 13 de Setembro ele declara:

Prezada Sra. Kirby Obrigado por sua carta perguntando sobre a minha adesão. Eu não a renovo porque não posso conviver com declarações como abaixo:


"Emissões de gases de efeito estufa por atividades humanas estão mudando o ambiente de maneira que afetam o clima da Terra. Gases de efeito estufa incluem o dióxido de carbono, bem como metano, óxido nitroso e outros gases. Eles são emitidos pela queima de combustíveis fósseis e uma série de processos industriais e agrícolas. A evidência é incontestável : O aquecimento global está ocorrendo.


Se ações mitigadoras não forem tomadas, rupturas significativas nos sistemas físicos e ecológicos da Terra, sistemas sociais, de segurança e saúde humana são prováveis ​​de ocorrer. Devemos reduzir as emissões de gases de efeito estufa a partir de agora."

Na APS discute-se a massa do próton, mudanças ao longo do tempo e como um universo multi-comporta-se, mas a evidência do aquecimento global é indiscutível ? A afirmação (como você pode medir a temperatura média do conjunto terra por todo o ano?) é que a temperatura passou de 288,0 para ~ ~ 288,8 graus Kelvin em cerca de 150 anos, o que (se for verdade) significa para mim é que a temperatura foi surpreendentemente estável, e tanto a saúde humana e a felicidade definitivamente melhoraram neste período de "aquecimento".

Atenciosamente, Ivar Giaever.

Sabem o que isso? Um cara que ganha o prêmio Nobel de Física simplesmente não aceita a "teoria" do aquecimento global como ciência firmada, indiiscutível. Pelo contrário, considera a "temperatura surpreendentemente estável" e comemora seus efeitos para a humanidade.

Pois é. Prefiro a sua companhia à dos obtusos seguidores da seita carbofóbica que estrebucham em seminários perante a deusa Pachamama e seus cardeais.

Vagabundagem estável. Precisava ser baiano?

O papel primordial do Deputado Federal, embora poucos lhe dêem atenção, é fazer leis. Através delas propor alterações que resultem em benefícios para a sociedade, em defesa do cidadão, em respeito às instituições, em progresso social. Assim como Juiz é o que julga e Governador é o que governa, Parlamentar é o que faz leis ou, pelo menos, as propõe. Conheço alguns deputados que levam isto à risca. Mas tem outros que exageram, tratam o parlamento como penico. Vejam abaixo o que propõe um deputado baiano. Ele quer que as universidades, professores, disciplinas, pesquisas etc., se adaptem ao líder estudantil malandro. Digo malandro porque já fui um deles.

Segundo o Deputado Valmir Assunção, o governo que já dá mesada a UNE, deve, através das universidades, garantir a inimputabilidade acadêmica aos líderes estudantis. Não fez a prova, não apresentou o trabalho de aula? Ora, o professor que se lasque e arranje uma data e local apropriado ao vagabundo. Tava viajando para bater palmas em algum encontro? Falta abonada. Promoveu quebra-quebra, vandalizou prédios públicos? Tá perdoado. Quer impedir a aula e ocupar a sala para seu proselitismo? Tá liberado, o professor que se vire para transmitir o conteúdo da disciplina em horário que o "líder estudantil" permita.

E então? Não é uma grande contribuição ao ensino esta que o deputado baiano oferece?



PROJETO DE LEI NO , DE 2011

(Do Sr. VALMIR ASSUNÇÃO)


Dá estabilidade de vínculo acadêmico aos dirigentes estudantis na sua respectiva instituição de ensino e dá outras providências.


O Congresso Nacional decreta:


Art. 1º É estável o vínculo acadêmico dos dirigentes estudantis, em exercício de mandato nas entidades previstas na Lei nº 7.395, de 31 de outubro de 1985.


Art. 2º São vedadas:


I – a atribuição de faltas injustificadas às atividades escolares a dirigentes estudantis no curso do mandato, em decorrência do exercício de suas atividades de direção de entidade estudantil;


II – a aplicação de penalidades referentes a atos praticados no regular exercício do mandato de dirigente estudantil, que acarretem seu desligamento da instituição;


III – a criação de quaisquer entraves para:


a) o regular acompanhamento de atividades acadêmicas, garantida a possibilidade de provas e avaliações em datas alternativas quando coincidirem com as datas de assembleias, congressos ou reuniões das entidades referidas nos arts. 1º a 3º da Lei nº 7.395, de 31 de outubro de 1985;


b) a livre divulgação das atividades das entidades estudantis e convocação dos estudantes para suas reuniões.


Art. 3º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
 
 

Tirem o fardo da pobreza do lombo dos prefeitos.

Leio no AC 24 horas, matéria do jornalista Jairo Carioca dando conta do mapa da pobreza no Acre, onde fica evidente a má colocação do Estado e dos Municípios em seus respectivos rankings. São dados oficiais extraídos de pesquisas do IBGE. Não cabe discussão. Deveriam mesmo estar pendurados junto aos diplomas dos técnicos que durante anos sustentaram e, pasmem, ainda sustentam a base extrativista como motor da economia acreana.

O jornalista está errado, entretanto, ao "linkar" os dados com as prefeituras. Nada a ver. Nenhuma prefeitura em nenhum lugar é responsável pela economia local. Pode no máximo dar uma ajudazinha se obtiver recursos para execução de obras de infra-estrutura. Seu papel é outro. Prefeito é pouco mais que síndico. Seu dever é cuidar bem da cidade, da urbanização, dos prédios públicos, da iluminação, da limpeza das ruas, da coleta de lixo, do trânsito, do fornecimento de água, da educação e da saúde nos termos e limites da Lei... enfim, basicamente das coisas da cidade. Pouquíssimo a ver com geração de emprego e renda.

A pobreza de nossa gente decorre de anos e anos de discurso fajuto e palavrório de seminário que encantam platéias mas estão sempre desacompanhados de políticas efetivas de promoção da economia regional. Cada vez mais chego à conclusão de que lá em cima, onde se decidem as coisas de verdade, não querem que a região progrida e ponto final.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Alarmem-se alarmistas, Rick Perry vem ai!

Os alarmistas da seita do aquecimento global estão se coçando no mundo todo. É que o governador do Texas, o republicano Rick Perry, está com a popularidade em alta e pode ser o adversário de Obama na corrida à Casa Branca. Se vencer, Al Gore, Rajendra Pachauri e outros de menor calibre na hierarquia da seita vão ter um baque em suas carreiras políticas. Para termos uma idéia, vejamos o que disse o Perry recentemente em New Hampshire:

"Eu acho que nós estamos vendo quase que semanalmente, ou mesmo diariamente, os cientistas vindo para a frente e questionando a idéia original de que o aquecimento global causado pelo homem é o que está causando a mudança climática". Ele disse que alguns querem um gasto de bilhões ou trilhões de dólares dos contribuintes para resolver o problema, mas ele acrescentou: "Eu não quero estar envolvido em gastar tanto dinheiro em uma teoria científica que ainda não tenha sido comprovada e que na minha perspectiva está cada vez mais sendo posta em dúvida. "

Já pensou um presidente americano dizendo numa COP da vida que não vai gastar dinheiro com base em falsa ciência? Algo me diz que o IPCC vai sofrer um abalo.

Rick Perry (vídeo)

Movimento Contra a Corrupção.

Ainda incompleto foi lançado o site Movimento Contra a Corrupção. O grupo é de Brasília, uma cidade cujos habitantes pagam caro pelos mal-feitos de seus hóspedes. Movimentos como esse estão surgindo em outras cidades brasileiras, reunindo pessoas que não aceitam tanta roubalheira nem a cara de paisagem de quem deveria manter a vassoura ao alcance da mão. O movimento não tem rostos, não tem nomes, não tem líderes buscando holofotes e não pretende se deixar aparelhar por grupos e grupelhos partidários. Trata-se de apresentar ao Brasil a indignação do cidadão comum.

Aí em sua cidade, independentemente do tamanho e importância sócio-econômica, pode surgir um desses.Não precisa ser um grupo numeroso. Se voce, mesmo sozinho, está indignado com o avanço da corrupção no Brasil, crie sozinho uma página na internet, mande para amigos que considera honestos, faça um cartaz e cole na porta de casa (no lugar daquele cartaz de véspera de eleição), se comunique pelas redes sociais, marque um encontro (pode ser na escola, na praça, no campo de futebol...) e no próximo dia 12 de outubro faça uma caminhada. Se houver outros grupos sendo criados, juntem-se. Só não deixe que político, candidato, ex-politico e partido bote a cara no movimento. Se aparecer algum querendo tirar uma casquinha, seja de que partido for, não lhe dêem voz. Donas de casa são bem vindas, assalariados, operários, trabalhadores rurais... todos são bem vindos, desde que não exibam faixas e bandeiras partidárias ou de sindicatos e organizações ligadas a partidos. Estes, aliás, são tão corruptos quanto os lá de cima.

Enfim. Façam algo. Mobilizem-se, experimentem o gosto de andar com as próprias pernas e façam o Brasil ver que a dignidade que falta no poder ainda existe no povo.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Quem endoidou primeiro? O clima, a seita ou o fanático?

Até agora não ficou provado que o homem é responsável pelo aquecimento global, aliás, cada vez mais a "teoria" perde força. Há poucos dias um estudo de altíssimo nível demosntrou a influência dos raios cósmicos na formação das nuvens e, por consequência, na temperatura terrestre. Pesquisa recente do Gallup mostrou que o número de crentes da seita do aquecimento global só cresce em países e regiões pobres e de baixo nível de informação. Nos outros, principalmente na Europa e EUA, está caindo. Já tem gente achando que o troço é coisa de doido.

Não posso afirmar que a "teoria" é maluca, por enquanto ela parece apenas falsa, mas que o aquecimento global está criando maluco, parece não haver dúvidas. Um relatório publicado pelo Instituto do Clima, da Austrália, sugere que sentimentos profundos e preocupantes de fracasso, perda, impotência, ansiedade elevada, estresse e depressão estão associados às mudanças climáticas.

É o seguinte: O sujeito passa o dia todo sendo bombardeado por notícias catastróficas. Temporal? Culpa sua. Furacão? Culpa sua. Sêca? Culpa sua. Nevasca? Culpa sua. Animais morrendo? Culpa sua. Inundação? Culpa sua. Não há quem aguente. O camarada começa a achar que não tem saída. Nem para o planeta, nem para si mesmo, nem para seus filhos. Se for fraco, entra em parafuso. Também por isso é bom termos cautela com o que dizemos às nossas crianças. Não tem nada mais perigoso do que o fanatismo.

A educação indo pro ralo


O Noblat publica matéria do O Globo sobre a qualidade do ensino médio no Brasil. Uma lástima. É o saldo mais emblemático da era da mediocridade que estamos vivendo. Desde que a mídia e parte dos intelectuais brasileiros passaram a considerar a ignorância votada como representação de uma certa modernidade, o modelo se espraiou para todas as áreas. Não poderia dar outra! Segundo o Ministério da Educação, adolescente tem é que saber usar camisinha, tomar a pílula, usar agulhas descartáveis... Gramática, pra quê? Matemática, geografia, história... deixa pra lá. Tem gente que conseguiu chegar lá em cima sem saber nada disso.

Nada menos que 80% das escolas públicas ficaram abaixo da média do ENEM que já não é grandes coisas. O Ministro da Educação acha o resultado natural. Pois é... Eu também acho natural que ele ache natural.

Dona Dilma, dona Dilma...

Não gostei. Sinceramente, não gostei da entrevista da dona Dilma ao Fantástico de ontem. Quando falou de corrupção então, foi uma tristeza. Disse que não é faxina. Segundo ela faxina começa de manhã e termina pelas 8 horas. É Presidenta, mas faxina se faz todo dia, esfrega bem o chão, retira o pó de todos os cantos, joga a sujeira no lixo. No outro dia, de novo e, assim, vai faxinando e mantendo limpo o ambiente.

E se não é faxina, é o que então? Ossos do ofício? Ora, ossos do ofício significa a parte ruim do trabalho. Tem a carne do oficio e os ossos do ofício. Ela acha que combater a corrupção é a parte ruim. Uma pena.

Outra coisa. Falou que o governo não acaba com a corrupção, mas a torna mais difícil. É verdade, mas pode tornar mais fácil também, né? Por exemplo, quando faz um troço daqueles que fizeram para acelerar as obras da Copa do Mundo. Já se fala que os custos previstos inicialmente serão multiplicados por três. Logo alcançaremos a maravilhosa maraca do Cabral no Panamericano. É isto que ela chama de tornar mais difícil? Afrouxar regras e soltar os freios dos orçamentos?

Não sei se foi combinado antes, mas bem que a Patricia Poeta poderia ter perguntado sobre a marcha contra a corrupção do dia 7 de setembro que ocorreu do outro lado do palanque onde ela estava. Talvez no próximo 12 de Outubro ela possa dar uma olhada pela janela do palácio e ver que a turma dos sem medo de faxina está crescendo, crescendo...

Voltoooooooooooooooooooou. O campeão voltou!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Meus cúmplices saíram de casa.


A foto, da Folha Online, mostra a marcha contra a corrupção que ocorreu em Brasília no último dia 7 de setembro. Não é um mar de gente, mas é um tantinho bem interessante, principalmente se considerarmos que foram lá sem grana do governo como outras marchas que passam por ali todos os anos. Também não houve campanha publicitária, cantores populares, informações na mídia ou líderes carismáticos. A turma foi porque resolveu dizer que tá doendo no calo tanta corupção. Não dá pra aguentar.

Imagino o que a dona da vassoura estará pensando a esta hora. Um dia antes ela disse em cadeia nacional que não se acumpliciaria com os mal-feitos. Pois bem. Deveria então se acumpliciar com aquele povo ali na Esplanada. É gente que não se junta à malandragem.

Pelo menos por enquanto não se ouviu um pio da dona Dilma a respeito das marchas que aconteceram aqui acolá. Talvez seus conselheiros lhe digam "isto passa, não merece atenção". Outros já saíram a detonar o movimento comparando-o com outro, menos consistente, ocorrido sob o título Cansei.  Mais alguns querem é partir para o confronto. Planejam marchar contra a revista Veja, aquela que bem ou mal é a primeira responsável pelas apurações e demissões ocorridas recentemente. Mas e a dona Dilma? O que pensa?

Fosse uma mosca eu iria lá no Palácio e antes que ela terminasse a cantiga de ninar para o Gabriel, lhe diria: Vai lá. Toma para si a responsabilidade, pega de novo na vassoura e manda ver, não deixe que o movimento cresça e atropele sua credibilidade, não permita que os ratos se escondam no porão do partido, não deixe que desapareçam com as provas. Vai pra cima!

Ok. Ok. Isto é conversa de ingênuo. É isto. Ingênuo é o que sou. Voce ai é esperto?

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Marcha contra a corrupção. Pra começar até que não foi mal.

É claro que se fosse uma marcha Gay teria um 1.000.000, mas como é contra a corrupção, 25.000 tá bom. É a estimativa do número de pessoas que estiveram na Esplanada para protestar contra a corrupção. Sem grana do governo federal, sem propaganda institucional, sem rádios, TV's e jornais, sem atores da Globo, sem cantores famosos, apenas na base das redes sociais, reunir 25.000 pessoas em um feriado em Brasília é quase um milagre.

O próximo passo? Fazer outra. O número é suficiente para estimular quem ficou em casa. Infelizmente não podemos contar com centrais sindicais pois estão todas penduradas nas tetas do governo. Nem com a UNE que, nadando em dinheiro do governo, hoje só faz manifestação a favor. Nem com a ABI caduca. Talvez a OAB e a CNBB ainda se importem e possam ajudar. O resto é "cum nóis mesmo". Tamo nessa.

Marchas contra a corrupção. Pode ser apenas o começo.

Estão ocorendo em vários estados brasileiros as marchas contra a corrupção. Em Brasília será ao mesmo tempo que a Marcha da Independência oficial. Não faço a mínima idéia da quantidade de pessoas que reunirão. Mas sei que são necessárias. Principalmente se não acoitar motivos partidários ou eleitorais. Se cada brasileiro que preza a honestidade sair de casa para dar um basta forçaremos os políticos, todos, de todos os partidos, a minimizarem seus ataques ao dinheiro público. Forçaremos a dona Dilma a pegar de novo na vassoura e completar a faxina que apenas começou.

Não. Não tenho a ilusão de que isto aconteça hoje. Tenho a esperança de que um dia aconteça e sei que é  preciso começar. Que seja hoje.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Dia da Independência. A fala (seria a falha?) da dona Dilma na TV.

Dia da Independência e a dona Dilma na TV. Otimista que sou, pensei "Ela vai dizer que resolveu dar um grito de independência e enfiar o pé no acelerador do combate à corrupção". Engano meu. De raspão, depois de seguir a receita do antecessor de auto-elogio, a presidente apenas afirmou que "... não se acumplicia com o malfeito". Bom. Não é o que parece depois que encostou a vassoura quando chegou nos aposentos do PMDB e na própria cozinha. De qualquer forma, para não perder o freguês, vamos entender que ela mandou um recado à base. Aguardemos o próximo Dia da Independência.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Dia da Amazônia

Quantas homenagens à Amazônia teremos hoje? Não faço a mínima idéia. Sei que serão muitas. Os românticos dedicarão loas à grande floresta, os ambientalistas se ajoelharão em frente a uma samaúma, os pecuaristas tirarão fotos de seus nelores, os madeireiros derrubarão uma cerejeira... E o povo?
Ahhh o povo. Este manterá inalterado seu ritmo de vida, suas preocupações como o desemprego, com o alto custo de vida, com um sistema de saúde doente, com uma educação precária, com o tráfico de drogas batendo à porta em busca de seus filhos, com a prostituição que rapta suas filhas.

Viva a Amazônia!!!

sábado, 3 de setembro de 2011

Os cientistas fanáticos, Marina quis dizer.

Em artigo publicado na "Folha" a ex-senadora Marina Silva baixa o sarrafo no senador Luis Henrique, acusa o governo de armar uma pantomima com o senado e, como sempre, se vale das ONG`s para sustentar seu discurso carbofóbico. Em um trecho garante que o relatório aprovado na Câmara dos Deputados foi reprovado pelos cientistas. Ora, assim fica parecendo que TODOS os cientistas estão ao seu lado. Nada mais falso. Confrontados com resultados de novas pesquisas, a cada dia mais e mais cientistas estão desembarcando da aventura comandada por Al Gore e Rajendra Pachauri. Nos EUA e na EUROPA a falsa teoria do aquecimento global antropogênico está perdendo crentes aos montes - caiu significativamente o percentual dos que acreditam na mudança climática causada pelo homem -, logo vai virar piada.

É claro que muitos ainda levantam o estandarte de sua fé. Principalmente aqueles que tem acesso aos recursos que o governo dispõe para as pesquisas, viagens, eventos...