segunda-feira, 5 de julho de 2010

O frigorífico milagroso do Acre. É isto que desmoraliza certos projetos.

Lendo as noticias do Acre me deparo com uma surpreendente e alvissareira. Está em andamento um projeto de implantação de um frigorífico específico para ovinos no estado. Muito bom saber que as atividades vão crescendo e já demandam um investimento de porte no setor. Dados os controles e os preconceitos contra a produção agropecuária, tudo que vier é lucro.

Estava com esta sensação de felicidade quando li no meio da matéria divulgada no "AC 24 horas" que "A estimativa é de que o frigorífico gere 20 empregos diretos e em torno de cinco mil empregos indiretos, através da mobilização dos produtores familiares que estão envolvidos na criação de ovinos." Valha-me meu bom pastor! Quer dizer que para cada emprego direto vão surgir 250 indiretos? Isso não é economia, é mágica, é macumba, é coisa de extraterrestre, é mula-sem-cabeça. Cético e agrônomo que sou, fui ver o assunto em outras fontes.

Achei uma noticia de outubro do ano passado de que em Rondonópolis está sendo implantado um frigorífico com a mesma finalidade, só que cinco vezes maior. São 104 empregos diretos. O povo de lá deve ser meio bobinho porque só contabilizam 450 empregos indiretos, mais de dez vezes menos. Em maio deste ano a experiencia se repetiu em Campo Verde, também no Mato Grosso.

Para não ficar no Centro-Oeste, dei uma olhadinha no Nordeste onde carneiro e bode é prato de todo dia. Lá o povo é ainda mais bobinho, pois os 120 empregos diretos gerados pelo frigorífico a ser inaugurado em Juazeiro na Bahia só conseguiram resultar em 400 indiretos.

Francamente. O pessoal precisa dar mais um pouco de atenção ao que declara, ao que estima e, principalmente, ao que escreve. Se houver oferta de animais e mercado suficientes para manter em atividade o frigorífico e, com isto, preservar o emprego dos 20 funcionários, se poderá com otimismo gerar 100 empregos indiretos. Fiquemos satisfeitos com isto. Quanto aos cinco mil reportados na matéria, é melhor abafar o assunto.


Um comentário:

  1. Nielsen O. M. Braga6 de julho de 2010 09:41

    Insultar a inteligência alheia já é coisa de praxe, essas notícias de resultados arrebatadores, estrondosos e miraculosos já fazem parte do imaginário acreano... tudo maximizado, elevado à enésima potência... O Acre é uma febre, é uma brasa! O povo que trabalha nestas agencias de propaganda governamental deve ser muito motivado ou eu devo ser muito realista. Nos últimos meses até Deus entrou na história, desgraça ou bonança, foi Deus quem deu, emprego ou subemprego, foi Deus quem deu...

    ResponderExcluir