terça-feira, 29 de maio de 2012

Nem tudo está perdido


Infelizmente, para cada Filipe Catto surgem 100 Michéis Telós, 200 Luans Santanas...

Lula, STOP!

O trecho abaixo foi copiado de um post do Blog do Reinaldo Azevedo. Irretocável. Engraçado é que conheço uma penca de petistas que pensam do mesmo jeito. Só que são reféns da criatura.

"Dada a condescendência com que sempre foi tratado, pouco importava a besteira que dissesse ou fizesse, Lula foi criando balda. Com o tempo, até ele próprio acreditou que, de fato, era o Lula criado pela máquina de propaganda e endeusado pela súcia de “funcionários” do partido. Com o tempo, ele passou realmente a acreditar que era aquela figura mágica que recebe títulos de doutor honoris causa às baciadas. Com o tempo, imaginou que o Brasil inteiro cabia naquela sala de professores e reitores áulicos, que se dispunham a lhe entregar tudo, muito especialmente a honra. E partiu, então, para o gesto tresloucado: chantagear um ministro do Supremo Tribunal Federal, depois de ter molestado, ainda que com sua famosa e falsa candura, alguns outros."

A Rio + 20 será um sucesso!

Por enquanto pelo menos Barack Obama  (EUA), Ângela Merkel (Alemanha), David Cameron (Inglaterra) e Stephen Harper (Canadá) já avisaram que não virão à Rio + 20. Todos eles tem mais o que fazer. Sabe como é... alguém tem que trabalhar, né?

Mas não se preocupem, senhores carbofóbicos. O presidente do Butão já garantiu presença. Isto somado com Evo Morales, Bono Vox, Cristiane Torloni e Leticia Sabatela garante o sucesso da maior conferência da história. Parece que o Ilê Aiyê vai se alternar com o Gremio Recreativo Escola de Samba Beija Flôr de Nilópolis na animação. Ahhh, ia esquecendo. O Tiririca já desmarcou uns shows para participar do evento.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Lula e o Supremo. Simplesmente estarrecedor.

Quando leio sobre o mais recente ataque do ex-presidente Lula às instituições penso no que aconteceria se o Brasil não fosse o Brasil, se fosse a Inglaterra, a Alemanha, o Japão, os EUA. Como se comportariam a nação, o parlamento, a imprensa, a OAB, o Zé da padaria...

A indecência de Lula, Gilmar e Jobim

Comportamento de Lula é indecoroso


quinta-feira, 24 de maio de 2012

Enquanto o mundo acorda, o Brasil fabrica seus próprios pesadelos.

Com a dona Dilma prestes a vetar parte do Código Florestal por imposição de ong's tão barulhentas quanto anti-nacionais e por seus representantes no Brasil, vale a pena ler a entrevista do cientista Bob Carter, ontem, ao Financial Post.

Abaixo alguns trechos traduzidos.

"Nos últimos 18 meses, os formuladores de políticas no Canadá, nos EUA e no Japão calmamente  têm abandonado o objetivo ilusório de prevenir o aquecimento global, reduzindo as emissões de dióxido de carbono. Em vez disso, surgiu uma visão alternativa mais sobre a forma e o custo efetivo de lidar com os riscos inegáveis ​​da mudança climática.

 Esta visão aponta para estabelecer uma política de preparação e de adaptação para eventos climáticos e alterações à medida que ocorram, o que é distintamente diferente da ênfase anterior dada pela maioria dos parlamentos ocidentais para a mitigação do aquecimento global reduzindo as emissões de dióxido de carbono."

"Apesar de um gasto estimado de mais de US $ 100 bilhões desde 1990, procurando um sinal de influência humana na temperatura global, avaliado contra a realidade geológica não existe nenhuma evidência empírica mensurável convincente e muito menos de impacto preocupante humana na temperatura global."

Pois é. Enquanto o mundo lúcido abandona o alarmismo climático e a seita do aquecimento global antropogênico, no Brasil a idiotia institucionalizada afunda o pé no ecologismo bocó e se pretende vanguarda do atraso.

Que a dona Dilma vete e que os parlamentares DERRUBEM o veto.

Robert M. "Bob" Carter is emeritus fellow and science policy advisor at the free market think-tank the Institute of Public Affairs and an adjunct professorial research fellow in earth sciences at James Cook University, Queensland. Carter is a former Director of Australia's Secretariat for the Ocean Drilling Program and a Co-Chief Scientist for drilling leg 181 (retirado do Wikipedia)





Boa noticia. Fichas-sujas serão afastados dos cargos comissionados.

Está nos noticiários de todo o Brasil. Abaixo um texto retirado do Blog do Noblat. Já que prefeitos e governadores não cuidaram de afastar a vagabundagem de seus quadros comissionados, a Lei deverá fazê-lo.

CCJ do Senado estende Ficha Limpa para todos os cargos de confiança

Projeto que aplica os efeitos da lei aos servidores comissionados segue para a Câmara

Lisandra Paraguassu, Agência Estado

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira, 23, Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estende os efeitos da lei de ficha limpa a todos os funcionários públicos em cargos comissionados do País. A proposta, do senador Pedro Taques (PDT-MT), vai agora para o plenário do Senado, onde terá que passar por duas votações, e depois ainda será remetida para a Câmara.

A PEC foi aprovada por unanimidade na CCJ e prevê que funcionários que estejam em situação de inelegibilidade por terem sido condenados em processos judiciais por decisão de órgão colegiado (com mais de um juiz) não podem ser contratados pelo poder público em nenhuma esfera de poder, mesmo que ainda caiba recurso. A proposta vale para os três poderes e para União, Estados e municípios.

A Controladoria Geral da União (CGU) já estuda, a pedido da presidente Dilma Rousseff, um decreto presidencial nos mesmos termos, mas que valeria apenas para o Executivo da União.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Xuxa no "Fantástico".








Vi a entrevista da Xuxa no "Fantástico". Sinceridade? Achei tudo muito falso. Cada frase pronunciada como se fôra antes pensada e ensaiada. Muito mal ensaiada, por sinal. Cada gesto e olhar pareceu estudado, sem verdade.

Canastrona como atriz e insuportável como cantora, a loura que caminhava para a última fila alcançou o estrelato lançada pelo namoro com o Rei do Futebol e por uma produção primorosa da Globo que viu o grande mercado que são os "baixinhos".

Amar o Airton Senna não é nenhuma vantagem. Tirando o Nelson Piquet todo mundo adorava o Rei da Fórmula Um. Quero ver é se apaixonar pelo Zé da Padaria.

Deu um fora no Michel Jackson? Convenhamos, ali não era relação pessoal, era negócio. O Rei do Rock não era chegado, todos sabem.

Peraí. Notaram que o negócio dela é com reis? A "rainha" dos baixinhos não deixa por menos. Tá faltando é rei no pedaço. Avisem o Neymar (se não for considerado abuso).

Está com tudo na campanha contra o abuso sexual contra crianças e adolescentes? Ótimo. Gente honestamente a favor de valores importantes da sociedade é sempre bem vinda, ainda mais quando são famosos e influentes. Mas não precisava expor-se daquele jeito. Deprimente. Melhor seria ter movido uma ação contra os abusadores e dado o exemplo.

(fotos tiradas da internet)

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Detonando o aquecimento global

Não gosto muito do seu estilo, mas o professorRicardo Augusto Felício diz coisa com coisa em palestra que pode ser vista no link do Ecotretas ai do lado. Vale a pena assistir o vídeo, ainda que seja demasiado longo.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

No nordeste, seca, esmola e dependência. Como sempre.

Nasci em em maio de 1958, no clímax daquela que foi a maior seca do nordeste (há quem diga que foi a de 1917), em um vilarejo chamado Potiretama no interior do Ceará. Muitos dos nascidos naquele ano viraram "anjinhos" levados pela doença e pela fome. Eu mesmo, contam a minha mãe e irmãos, estive com a vela na mão e caixãozinho encomendado. Pensei nisso enquanto lia reportagens sobre a seca que aflige o nordeste agora em 2012. Entre tantas, uma matéria de "O Estado de São Paulo" republicada abaixo. Hoje os coronéis foram substituídos pelos cabos eleitorais, presidentes de sindicatos e representantes do governo que trocam direitos por votos, o bolsa-família acode o estômago momentaneamente e  mantém a condição mesma de dependência. A dona Dilma disse na TV que agora temos um Brasil carinhoso. Eu queria um Brasil honesto.

A maior seca em 30 anos

O Estado de S. Paulo - 13/05/2012
O semiárido nordestino enfrenta a maior seca dos últimos 30 anos, com os efeitos devastadores das calamidades que ciclicamente castigam a região. A estiagem, que já colocou 515 municípios em estado de emergência, provocará uma queda de 40,1% na produção agrícola nordestina em relação à safra de 2010/2011, o que significa uma perda de 1,4 milhão de toneladas, basicamente de milho e feijão, segundo estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A cultura do arroz também foi afetada pela falta de água nos reservatórios. A pecuária regional foi seriamente afetada. Os criadores de gado em zonas mais afetadas pela seca perderam muitas cabeças de gado e, para reduzir os prejuízos, vendem as reses magras que lhes restam para pecuaristas do Maranhão e do Pará. Não são poupadas nem mesmo as matrizes, o que tornará mais difícil a recomposição dos rebanhos.

O governo federal, em articulação com os governos estaduais, tem agido, mas, por enquanto, limita-se às habituais políticas de cunho assistencial, deixando de lado programas estruturais de combate efetivo às secas, como uso mais racional dos açudes, perfuração de mais poços artesianos e emprego da tecnologia desenvolvida para a construção de reservatórios subterrâneos, capazes de evitar que a água acumulada se evapore devido à forte insolação.

Isso não quer dizer que as medidas emergenciais não sejam necessárias. A diferença em relação às secas passadas, como disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Águas Belas (PE), André de Santana Paixão, é que a população passa por dificuldades, mas, por enquanto, não passa fome, graças ao Bolsa-Família, que atende 850 mil famílias na região atingida pela seca. Esse programa foi reforçado pelo lançamento, no fim de abril, pela presidente Dilma Rousseff, da Bolsa Estiagem, com uma verba total de R$ 200 milhões. O programa prevê um auxílio de R$ 400, distribuído em cinco prestações de R$ 80, além do Bolsa-Família, desde que o beneficiário comprove que reside em área afetada pela seca.

O novo programa ainda não alcançou todas as áreas atingidas pela estiagem e é preciso controle adequado para que o dinheiro chegue realmente a quem precisa e não seja desviado no meio do caminho. O governo promete também antecipar recursos do Programa Garantia-Safra (seguro para pequenos produtores), abrindo uma linha de crédito emergencial para produtores no Banco do Nordeste do Brasil (BNB).

Também está em andamento a Operação Carro-Pipa para levar água potável a 654 municípios nordestinos. Há queixas de que o número de carros-pipa dos governos estaduais e do Exército é insuficiente, mas, segundo o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, a frota será ampliada, sendo aplicados cerca de R$ 174 milhões nessa operação. Também serão recuperados 2,4 mil poços, mas o ministro não especificou a verba a ser destinada para esse fim.

Quanto às soluções técnicas, hoje está claro que a transposição de águas do Rio São Francisco, cujas obras estão sendo conduzidas com lentidão, não será uma resposta à altura do desafio. O canal beneficiará uma pequena parcela da população nordestina e as águas serão utilizadas mais para irrigação do que propriamente para abastecimento. Parece claro que falta um empenho do governo em atacar frontalmente o problema das secas no Nordeste.

Não se trata de falta de planejamento. A Agência Nacional de Águas (ANA), que elaborou em 2006 o Atlas Nordeste de Abastecimento de Água, tem projetos para atender às necessidades de 34 milhões de pessoas que vivem em áreas urbanas da região. Para o meio rural, a Articulação do Semiárido Brasileiro, uma rede formada por cerca de 750 organizações da sociedade civil, tem como meta implantar 1 milhão de cisternas, triplicando o número hoje em uso.

É chegado o momento de o governo levar a cabo os projetos que se encontram na gaveta, para que o Nordeste possa conviver com o fenômeno cíclico das secas e prescindir, no futuro, de programas emergenciais.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

A ministra do Meio Ambiente e sua ideologia torta.


A ministra do Meio Ambiente do Brasil, Izabela Teixeira, disse hoje que “O padrão de consumo dos países desenvolvidos não pode ser replicado”. É mesmo, santa? Bidu. Quero ver quem vai dizer isso aos pobres dos países pobres, ou aos pobres dos paises desenvolvidos, ou aos pobres dos paises em desenvolvimento. Ou vão continuar com a farsa do aquecimento global até os coitados se convencerem de que seu bife vai sufocar o mundo?

Vejam bem. A ministra poderia ter dito que “O padrão de consumo dos países desenvolvidos não pode ser mantido”. Afinal, o que atualmente está "esquentando" o planeta é a queima de petróleo nos paises desenvolvidos e não a queima de gravetos na savana africana. Mas não disse. Ela acha mais simples e interessante restringir as possibilidades da turma do andar de baixo e liberar o consumo da turma do andar de cima, como diria Elio Gaspari.

Tem mais. Se o padrão de consumo dos países desenvolvidos não pode ser replicado, então que padrão de consumo poderão adotar os paises pobres? A ministra não topou dizer, mas deixa ver se advinho. Energia - eólica, solar (caras, insuficientes e ineficientes, mas renováveis). Transportes - bicicleta (limitado, cansativo, mas faz bem ao coração e não gasta petróleo). Água - da chuva (armazenada em cisternas, sujeitas à contaminação, mas de graça). Alimentação  - vegetariana (de preferência plantada no quintal) Carne - proibido (a vaca solta pum que causa aquecimento global). Paralelamente, vacinas esterilizantes e aborto à vontade (já tem muito pobre no mundo).

Que tal? Não é uma maravilha de pensadora a nossa ministra do Meio Ambiente? A julgar pela foto, bem que ela poderia adotar o padrão de consumo adequado aos países pobres e perder uns quilinhos que seguramente não estão ali por excesso de alface.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Um brevíssimo mergulho no lago frio da ciência.

O Prof Paul Ehrlich, autor do best seller "A Bomba Populacional" fez recentemente ao The Guardian novas declarações bombásticas. Segundo ele, a população mundial atualmente nos 7 bilhões é insustentável. Pelas suas contas, para vivermos dignamente teríamos que ser menos de 2 bilhões. Só não disse aonde deveria ocorrer a redução. Nem precisava. Paul Ehrlich é o mais renomado analista populacional e, obviamente, um queridinho dos carbofóbicos.

Um leitor me cobrou uma teoria a respeito. Pois bem, serei sintético. A questão central é o neomalthusianismo escancarado por Ehrlich e não o "aquecimento global" propagado pelo IPCC. A teoria AGA funciona como aquele coelhinho das corridas de galgos tradicionais na Grã Bretanha, em que os cães correm atrás do coelho falso e inalcançável.

Enquanto a população corre atrás do “coelhinho ecológico” a economia política utiliza seus mecanismos para reduzir a taxa de progresso dos países mais pobres (onde nascem mais pessoas) e diminuir a pressão sobre as fontes básicas de energia. Os "aquecimentistas" lúcidos sabem o que estão fazendo. Eles não querem menos carbono (sabem que não provocam aquecimento global)", querem é menos gente no planeta para dividir os recursos existentes. Mais gente consumindo significa ameaça ao "modo de vida digno" dos europeus e americanos que dominam a academia e financiam toda sorte de ONG's ambientalistas. No extremo, caras como Bill Gates defendem a aplicação em massa de vacinas esterilizantes e militantes esquerdopatas defendem abertamente o aborto como política de estado. Os aquecimentistas dementes simplesmente vão na onda do militantismo verde defendendo causas que não compreendem.

Do outro lado, escritores como Matt Ridley, autor de "O Otimista Racional" afirma que "Se continuarmos a disseminar novas variedades e práticas agrícolas – além das práticas nascentes de tornar mais produtos resistentes a insetos, com organismos geneticamente modificados, uma irrigação que desperdiça menos água ao usar técnicas de gotejamento e fertilização mais barata com plantações eficientes no uso de nitrogênio – então, em 2050, nós poderemos facilmente dobrar a produtividade por hectare das plantações, o que temos conseguido fazer desde 1960. Isso significa que em 2050, nós conseguiremos alimentar mais pessoas – 9,3 bilhões em vez de 6,7 bilhões– usando uma área muito menor do que usamos hoje. Nós basicamente pegaremos grandes pedaços de terra e os devolveremos às florestas tropicais, áreas alagadiças, prados e semidesertos. Nós podemos expandir e conectar parques nacionais às reservas naturais, restabelecer habitats e reintegrar ecossistemas. Lembre-se: nós tivemos que lidar com uma população mundial que quadruplicou no século 20; neste século, a população crescerá apenas 1,5 vez. Se fizermos as coisas direito, este será um século de imensa restauração ecológica."

Voce escolhe se vai com a manada tonta ou com as mentes esclarecidas.





quarta-feira, 9 de maio de 2012

Mais um cientista abandona a seita do aquecimento global. Ao final, vai sobrar Al Gore, Rajendra Pachauri, Marina Silva e Cristiane Torloni.


O físico e meteorologista Klaus-Eckart Puls, do Insituto Europeu de Clima e Energia, fez ontem declarações importantes à revista suíça factum. Não é qualquer um. Há pouco tempo estava entre os mais prestigiados defensores da farsa do aquecimento global. Muita gente que prosperou na carreira política e acadêmica repetia suas bobagens como se fossem ciência. Agora ele faz um mea culpa. Vejam um trechinho da entrevista (original em alemão Aqui).

factum: Você foi defensor da teoria do aquecimento global produzido pelo homem durante anos. Como você se tornou cético?
Puls: Dez anos atrás eu simplesmente repetia tudo o que o IPCC nos dizia. Um dia eu comecei a checar os fatos e dados - Comecei com uma sensação de dúvida, mas então eu fiquei indignado quando descobri que muito do que o IPCC e os meios de comunicação nos diziam era pura bobagem e não eram todos apoiados por fatos e medidas científicas. Até hoje eu ainda sinto vergonha de que como cientista eu fiz apresentações de sua ciência (do IPCC), sem primeiro verificar. A histeria climática do CO2 na Alemanha é propagada por pessoas que estão buscando atenção, dinheiro e poder.

A mudança climática é normal. Sempre houve fases de aquecimento do clima, muitas vezes até mesmo ultrapassou em muito o ponto que vemos hoje. Mas não tem havido qualquer aquecimento desde 1998. Na verdade, os dados do IPCC até mostrarm um ligeiro arrefecimento.

factum: O IPCC está projetando 0,2 ° C o aquecimento por década, ou seja, 2 a 4 ° C até o ano de 2100. Qual é o seu ponto de vista?

Puls: Estas são as projecções do modelo especulativos, os chamados cenários - e não prognósticos. Devido à alta complexidade do clima, prognósticos confiáveis ​​simplesmente não são possíveis. A natureza faz o que quer e não o que os modelos apresentam como profecia. Todo o debate de CO2 é um disparate. Mesmo se o CO2 fosse duplicada, a temperatura subiria apenas 1 ° C. O restante do aquecimento assumido pelo IPCC é puramente baseado em mecanismos de amplificação especulativos. Apesar de que CO2 aumentou, não houve aquecimento em 13 anos.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Segure o pum, agarre o pum, segure o pum, pum, pum, pum, pum...


A mais nova descoberta a sustentar a "teoria" do aquecimento global antropogênico é que os dinossauros sumiram do mapa por causa do volume de gás carbonico que mandaram pro ar com seus puns que certamente não eram pequenos. Foi o "aquecimento global" da era mesozóica.

 Você que ainda crê nesta farsa, já sabe o que fazer. Mas depois não venha reclamar se lhe der um nó na tripa.

Quando os fatos observados não comprovam a "teoria", a dita cuja deve ir pro lixo.


Os  gráficos acima, copiados DAQUI mostram previsões do IPCC e medidas observadas. Os dementes adeptos da igreja do aquecimento global antropogênico cuja bíblia é escrita e atualizada ano a ano pelo IPCC continuam dando com os burros n'água.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Doutor a granel.

Doutor, Doutor, Doutor, Doutor, Doutor Lula. De uma vez só o ex-presidente recebeu CINCO títulos de Doutor Honoris Causa dados por universidades fluminenses. No caso, a causa é a sua trajetória política. E que trajetória.

Enquanto isso, em alguma gaveta do STF dormita aguardando relatório de Lewandowski o processo do mensalão que o enésimo Doutor Lula diz que nunca existiu, mas que o Procurador-geral da República garante que fez a festa de muita gente (quarenta para ser mais preciso) que anda desavergonhadamente pelos corredores do poder.

No Congresso, uma CPMI feita por encomenda ameaça tratorar a oposição e livrar a cara dos amigos do Doutor. De quebra, tranca o acesso às informações que todos nós deveríamos conhecer. Que tempos!

Uma lição do mestre Lovelock aos discípulos dementes da igreja do aquecimento global antropogênico.

Depois das recentes declarações de Lovelock os dementes carbofóbicos membros da igreja do aquecimento global antropogênico - AGA vão precisar, no mínimo, rasgar algumas páginas de sua Bíblia - os relatórios do IPCC. Lovelock está para esta gente como Chico Mendes para a floresta amazônica. É o cara.

O criador da "Teoria" Gaia que recebeu a adesão de artistas (sempre eles), de cientistas (?), de políticos e até de ex-católicos como Leonardo Boff reconhece que as previsões alarmistas foram pro espaço, se é que me entendem.

"O problema é que não sabemos o que o clima está fazendo. Nós pensávamos que sabíamos há 20 anos. Isso levou a alguns livros alarmistas - o meu incluído - porque parecia clara, mas não aconteceu". Lovelock

"O clima está fazendo seus truques habituais. Não há nada importante realmente acontecendo ainda. Nós deveríamos estar a meio caminho em direção á fritura do mundo de fritura agora". Lovelock

"O mundo não se aqueceu muito desde o milênio. Doze anos é um tempo razoável ... ela (a temperatura) manteve-se praticamente constante, ao passo que deveria ter vindo a aumentar - o dióxido de carbono está aumentando, não há dúvida sobre isso". Lovelock

Eu que nunca acreditei a balela da AGA não me surpreendo. Sinais evidentes já denunciavam que os carbofóbicos estão dando marcha a ré em suas previsões aquecimentistas. O principal foi a mudança do nome da besta. É quase impossível hoje em dia ouvir um deles falar em aquecimento global. A palavrinha da hora é "mudança climática" que abarca qualquer fato climático relevante. Choveu? Culpa do CO². Secou? Culpa do CO². Fez frio? Culpa do CO². Fez calor? Culpa do CO². Tempestade? Culpa do CO². Furacão? Culpa do CO². Alguma espécie desaparceu? Culpa do CO². Alguma espécie surgiu? Culpa do CO². Os caras resolveram colocar o cidadão numa cilada do tipo se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Como o clima é, por definição, dinâmico, não temos escapatória aos dementes do AGA que dominam a academia, os órgãos de pesquisa, os governos e a imprensa. A não ser quando alguém como Lovelock cria vergonha na cara e reconhece que ERROU. Quem sabe, depois dele mais algumas estrelas do AGA se rendem à verdadeira ciência e a mídia começa a mostrar a realidade em lugar da fantasia.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Aos bolivianos, com carinho. RECIPROCIDADE

A Bolívia é um pobre país latino-americano faz algum tempo governado por um índio cocaleiro vagabundo e falastrão. Produz basicamente bolivianos, cocaína, gás e petróleo. Embora apenas os últimos sejam úteis, importamos todos eles e disso depende a economia dos "patrícios". Mesmo assim, aspectos de uma relação histórica fazem com que o vizinhos nos tratem a pauladas sempre que podem. Brasileiros estão comendo o pão que o diabo amassou do lado de lá da fronteira. A prática da extorsão e ameaça se tornou comum, nem a maior autoridade deixa de exigir um "por fora", a corrupção na Bolívia é endêmica. Todos são tolerantes com ela e a utilizam descaradamente contra os brasileiros. O que fazer para defender os os nossos que por lá se aventuram a morar? RECIPROCIDADE.

Sou a favor da reciprocidade entre as nações. Recentemente recorremos a ela quando se tratou de defender os brasileiros que desembarcavam na Espanha. Criamos por cá as mesmas dificuldades que nos impunham por lá. RECIPROCIDADE, nada mais justo.

Em relação aos bolivianos, RECIPROCIDADE. Que tal tocar com o mesmo carinho uma meia dúzia deles daqui pra lá? Existem aos montes em São Paulo. Que tal suspender provisoriamente a importação de gás? Que tal apertar o cerco contra os narcotraficantes bolivianos? Usamos a RECIPROCIDADE e no outro dia os bolivianos estarão nos pedindo desculpas pela falta de civilidade. Garanto.

A lama


O governador do DF está enrolado até o pescoço com a turma do Cachoeira, o governador do Goiás idem, o governador do Rio de Janeiro dá um show de promiscuidade com empreiteiros de seu próprio governo a cada imagem que o deputado Garotinho exibe em seu próprio site, a turma do mensalão se prepara para sair ilesa na base do "todo mundo é ladrão", o tal PAC continua empacado e sob a incompetência geral e relações pouco transparentes com a Construtora Delta periga andar pra trás, a turma da base do governo faz uma CPMI para tratorar os inimigos e livrar a cara dos amigos, um monte de executivos priféricos estão com o c na reta rezando para que o Cavendish da Delta não tenha que dar explicações e que as conversas gravadas do Cachoeira parem onde estão... É a lama, é a lama.