domingo, 31 de janeiro de 2010

Hipertensos, cuidado!

Essa história da hipertensão do presidente Lula me lembrou outra.


Certa vez um amigo meu descobriu que sofria de hipertensão. Até ai tudo bem. Muita gente sofre desse mal. Ocorre que este amigo tinha uma esposa bem esperta, mas que pra enfrentar só com muito Viagra e Viagra não pode ser usado por hipertensos. Entrou num beco sem saída. Se tomava Viagra corria risco, se não tomava a mulher reclamava do não-comparecimento, discutiam, ele ficava tenso e a pressão subia. Final da história: largou a mulher, se mudou pra Curitiba, arrumou uma polaca de vinte poucos e faz planos de viver até os 100 anos.

sábado, 30 de janeiro de 2010

O Himalaia continua lindo, já o IPCC...

Em 2007 o IPCC profetizou que as geleiras do Himalaia derreteriam até o ano 2035. Foi um escândalo. Televisões do mundo inteiro repercutiram a noticia. Neste mesmo ano, o indiano Rajendra Pachuri, chefão do IPCC habilitou-se ao Oscar.

Em comunicado recente o mesmo IPCC afirma que errou. O Himalaia vai ficar como está. Os dados anteriroes foram chutados. Putz! E não acontece nada? Esse cara devia se demitir.

A respeito recomendo a leitura de um artigo do Luis Nassif (aqui )

Vencedor é quem chega na frente

Como é que se ganha uma corrida? Correndo e chegando na frente, certo? Pois se é assim, o Brasil ficou no pelotão de trás da economia global nos últimos oito anos - período Lula. É que o nosso crescimento (3,6% ao ano), embora maior que a média do governo anterior, foi menor que a média global. Ou seja, corremos, mas os outros correram mais. Não soubemos aproveitar devidamente o terreno plano e o vento a favor.

Se fizermos o mesmo raciocínio para o governo FHC, ficamos no pelotão da frente. Corremos pouco (2,5% ao ano), mas os outros correram menos ainda. É que a pista estava cheia de obstáculos e o terreno era íngreme.

É sempre bom ter isso em mente quando se estiver analisando taxas de crescimento de um país, região ou estado. Elas são relativas em termos temporais, ou seja quando confrontamos os dados de uma unidade geográfica em períodos diferentes, mas também geográficos, ou seja, quando comparamos as unidades entre si. Nem sempre um bom resultado temporal é um bom resultado geográfico.

Tomemos como exemplo o caso do Maranhão. Há décadas se verifica crescimento de sua economia, mas há décadas todos os estados nordestinos crescem a taxas iguais ou mais elevadas. Resultado: O Maranhão está cada vez mais atrasado.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Seringais e seringueiros em situação dificil


Acabei de ver na Record que a produção de borracha natural deste ano está ameaçada. Por causa da chuva, cerca de 40 milhões de seringueiras deixaram de ser cortadas (sangradas). Os seringueiros estão com problemas sérios de manutenção do emprego e da renda. Isto pode significar uma queda de 50% na produção anual.

Sabem onde? Na região de São José do Rio Preto, em São Paulo. Não é engraçado?

É isso mesmo que voce está pensando


Isto que voce vê acima é exatamente o que voce está pensando. Chavistas em manifestação contra a liberdade de imprensa e o direito de propriedade. Eles querem transformar a Venezuela em uma nova Cuba. O ditador eles já tem.

Chavismo lá... e cá?

Na Venezuela Chavez fecha as TV’s na presunção de que assim os venezuelanos passarão a ver a sua TV oficial através da qual faz perolações diárias defendendo a maluquice bolivariana.  Esquece que ver TV, ler jornal, ouvir rádio são atitudes discricionárias do indivíduo. Ele jamais será obrigado a ver/ler/ouvir o que não quer.

Por aqui bem que o governo tenta fazer o mesmo. Criou um monstro cheio de cargos, servidores, equipamentos e grana de nossos impostos para produzir uma TV que até agora só da traço de audiência.

Por outro lado, em várias tentativas propôs níveis de controle da imprensa. Ainda não conseguiu. A última está no PNDH. Não vai funcionar. O Brasil não é a Venezuela, embora tenhamos por aqui os nossos Chavez. Por via das dúvidas, cuidemos.

Governar até que não é muito cansativo, mas fazer campanha é uma pedreira.

Nunca antes neste pais um presidente viajou tanto. O "paris-dakar' que botou o Presidente Lula pra dormir é rigorosamente, com todos os requisitos, campanha eleitoral. Não se trata de fiscalizar obra. O governo tem engenheiro de sobra pra fazer isso. Não se trata de inaugurar obra pois raras foram concluídas. Se trata, isto sim, de fazer discurso em cima de discurso, reunião em cima de reunião, tudo para mostrar a continuadora de seu governo - Dilma Rousseff.

Algo que à primeira vista nem seria necessãrio pois a Dilma está sozinha em campo. Os outros, contidos pela lei, guardam suas energias para o período legalmente permitido. Em condições normais não precisaria tanto esforço do Presidente.

Ocorre que a candidata ainda não anda sozinha. Precisa ser guiada até um ponto de onde possa soltar-se. Manja criança aprendendo a andar de bicicleta? Pois é. A Dilma nunca foi candidata a coisíssima alguma. Se não for amparada se estatela no chão.
Ciente disto o Presidente Lula é vigilante. Vai empurrar a Dilma ladeira acima até onde der, mesmo que isso lhe cause alguns desgastes físicos.

Enquanto isso, Serra aguarda o sinal verde da largada. Quando isso acontecer estará pelo menos uma volta atrás.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Estudantes venezuelanos defendem a democracia e são agredidos



No Brasil, a UNE, transformada em mensaleira, apóia o ataque à liberdade de expressão contido no PNDH.

Chavez e sua "democracia até demais" apodreceram



A "democracia até demais" do companheiro venezuelano começa a desmoronar. Por aqui começa a se erguer com os ataques à liberdade de expressão e ao direito de propriedade contidos no PNDH.

O bilionário verde será vice da Marina

Como esperado, vem a noticia de que o empresário dono da Natura, Guilherme Leal, será o companheiro de chapa da senadora Marina Silva. Bom pra ela, senão, vejamos:


1. Neófito na política o cara da Natura não vai ter que dar muitas explicações.

2. Grande empresário, certamente poderá estimular entre os coleguinhas as contribuições financeiras “desinteressadas” para a campanha.

3. Expert em economia poderá enfrentar o debate sobre o desenvolvimento em áreas da administração onde o conhecimento da Marina é precário.

4. Pertencente ao grupo dos magnatas da economia ecológica, Leal dará pragmatismo a um projeto que não pensa apenas em preservação.

5. Dirigente da Ong WWF e do Instituto ETHOS, atrairá o apoio dos verdes de plantão.

6. Rico pra cacête (a Revista Forbes avaliou sua fortuna em 1,2 bilhão de dólares) diz que começou com uma empresa de fundo de quintal - um bom exemplo de trabalho e criatividade para exibir na campanha.

7. Homem, maduro, rico e experiente ameniza o jeitão demasiadamente simples da Marina.

Certamente o empresário cumpre outros papéis no projeto da senadora. Vai sair do patamar onde se encontra? Pode ser. Isto veremos brevemente. Tudo depende muito da campanha, dos tempos de televisão, dos apoios estaduais... Se a candidatura se consolidar e desempacar poderá “despolarizar” a campanha, o que Lula não quer de jeito nenhum. Se ficar por onde está, talvez provoque um segundo turno. Se definhar ao longo do tempo, valeu o esforço pela ecologia.

O aborto eleitoral do aborto no PNDH

Se prosperar a iniciativa de retirar do PNDH a descriminação do aborto, o governo estará dando um passo importante no sentido de amenizar a calhordice ali contida. Obviamente se trata de medida de cunho eleitoral, pois o tema é muito caro às igrejas cristãs de modo geral e ter uma candidata abortista não pegaria bem na campanha.

Não vale é o Vannuchi assumir a culpa e isentar todos os outros, inclusive os que assinaram, inclusive os que "assinaram sem ler". Houve tempo demais, aliás, segundo os autores daquilo, foram dezenas de conferências e milhares de pessoas envolvidas e vários anos de debate até chegar ao ponto.

Depois de azeitar o trânsito com os militares o Governo vai alterar o PNDH para azeitar as escadarias da Igreja. Com mais pressão eleitoral terminam devolvendo tudo ao esgoto de onde saiu.

Tudo pelo poder

Uma das coisas mais curiosas da política é a faculdade que partidos e lideres possuem de sujar e lavar reputações como se fossem camisas enlameadas no futebolzinho do sábado. O negócio é tão sério que quando você vir/ouvir um político esculhambando outro, pode apostar: um dia ainda estarão juntos.

Os exemplos mais flagrantes dessa generosidade foram dados pelo Presidente Lula. Desde seus tempos de ABC não há hoje um político de expressão nacional que não tenha sido por ele esculhambado e hoje ser elogiado e abraçado. Maluf, ACM, Sarney, Collor, Brizola, Renan, Jáder Barbalho… a lista é imensa. Até finados como o Presidente Geisel passaram na lavanderia.

As desculpas são fáceis. De tão usadas podem até ser classificadas. Vejamos algumas que me ocorrem agora.

1. Históricas: “Tem seus problemas, mas fez muito pelo Brasil”, “Temos que ver as circunstâncias em que governou”. "Temos que virar esta página da história".

2. Pragmáticas: “Temos que fazer alianças para governar”, “Votos são bem vindos, venham de onde vierem”.

3. Generosas: “Eu não guardo rancor”.

4. Cristãs: “Atire a primeira pedra quem nunca errou”, “Pagou pelos seus erros”.

5. Democráticas: “Só o povo pode julgar”.

6. Programáticas: “Estamos fazendo uma aliança pelo desenvolvimento sustentável”, “O bem do povo está acima das questões pessoais”.

7. Digestivas: “Política não se faz com o fígado”. “Este assunto já foi digerido pelo partido”.

8. Judiciárias: “O caso foi julgado e nada foi provado”, “Ele foi absolvido de todas as acusações”. “O caso está no Tribunal, até lá não podemos julgar”.

Certamente um exercício mais longo poderia encontrar muitas outras classes de justificativas apresentadas ao eleitor para ao final manter o poder. Este, crédulo, costuma aceitar qualquer uma.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Al Capone tinha razão?

Quando vejo tanta gente fazendo campanha eleitoral fora de época, em flagrante falta de ética, por cima do necessário equilíbrio entre os competidores, encabrestando a imprensa e sufocando adversários, fico pensando que Al Capone tinha razão quando disse que não compreendia o ingresso na marginalidade quando há tantas formas legais de ser desonesto.

Um bilhão de famintos e ainda tem gente querendo diminuir a mecanização agrícola!

Em artigo publicado no site CONTROVÉRSIA (link ai do lado), o jornalista José Arbex Jr. analisa em poucas palavras a disponibilidade de alimentos no  mundo para ao cabo (a intenção era essa) defender o MST e as invasões de terra e acusar o Agronegócio.

Não sei se é do ramo. Mas falou besteira. Em certo ponto afirma "Mesmo levando-se em conta que as compras de máquinas pela Índia e pela China são, em boa parte, responsáveis pelo crescimento do setor, é óbvio que existe uma relação direta entre a crescente mecanização da agricultura e o aumento da fome, como conseqüência da concentração da propriedade e da renda." Negrito meu.

Se a lógica ainda faz sentido, vale dizer que se a mecanização parar de crescer a fome também pára de crescer. Que tal?

Não sei se o jornalista é do ramo. Talvez seja apenas mais um atrasado militante da revogação do direito à propriedade. De qualquer forma se o seu objetivo era acusar a CRUTALE de "grileira de terras públicas, exportadora de suco de laranja e superexplorada do trabalho de seus empregados" poderia ter ido direto ao ponto. Não precisava massacrar o bom senso.

A tecnologia agrícola (máquinas, defensivos e fertilizantes no meio) é responsável por pelo menos metade da produção de alimentos no mundo. Vale dizer que sem ela toda a área atualmente cultivada produziria apenas a metade dos alimentos que produz e o bifinho do Arbex Jr.estaria bem mais caro.

Tecnologia agrícola é o que falta, não o que sobra. Um dos principais problemas da verdadeira agricultura familiar  - praticada por gente vocacionada, é justamente a dificuldade de acesso aos insumos e processos que levam ao aumento da produtividade por área e por trabalhador. Na maior parte da agricultura, o aumento da renda do trabalho só pode ser alcançado com aumento da produtividade física.

Ao invés de acabar o agronegócio como pretende o jornalista, a saida é pelo outro lado, ou seja, é transformar as unidades familiares em pequenos agronegócios individualmente e em grandes agronegócios no conjunto. Isto com mecanização, sementes, adubos, defensivos, organização e tudo mais que a ciência põe ao dispor da sociedade. O resto é política.

Mas a fome no mundo decorre da falta de alimentos? Dizem que não. Desde os anos 50 dizem que a produção mundial é suficiente para alimentar a todos. Se é assim, para onde está indo a sobra? Vamos combinar que é isso mesmo, que a fome é causada pela concentração da produção. Pois que ao invés de perder tempo e dinheiro reunindo 180 países para discutir o aquecimento global  - uma farsa, se reúnam os líderes mundiais para debater seriamente (as reuniões da FAO não valem) a segurança alimentar, a geração e transferência de tecnologia agrícola e o suprimento às regiões famintas da África, por exemplo.

Não vale é, como faz miseravelmente Arbex Jr., usar a miséria para defender sistemas miseráveis de reprodução da miséria. Fui claro?

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Formspring - está na hora dos candidatos criarem os seus

Entre tantas novidades da internet, uma muuuuito interessante é o formspring. O sujeito se cadastra e recebe perguntas de qualquer pessoa, inclusive anônimos (o meu está ai do lado). Em épocas de jornalismo encabrestado e entrevistas açucaradas, é uma boa chance para que políticos e dirigentes de modo geral respondam questionamentos da população.

Um probleminha é que somente são publicadas as perguntas que forem respondidas, ou seja, o sujeito pode se esquivar. Mas, se muitos, especialmente os adeversários adotarem o sistema, o fujão será pego de calça arriada.

Um bom exemplo vem sendo dado por César Maia, ex-Prefeito do Rio de Janeiro.

Em Varsóvia o aquecimento global continua matando. De frio.


Segundo a Agencia de Noticias EFE (AQUI), na Polônia o frio dos últimos dias matou mais de duzentas pessoas. A temperatura chegou a -30 nas ruas de Varsóvia. Não dá vontade de mandar a dupla Al Gore e Rajendra passar uma noite por lá só de cuecas?

Como (não) diriam em Copenhaguen, o aquecimento global a cada dia faz mais vítimas. Congeladas.


A imagem acima foi capturada daqui

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Vai um terremotozinho aí, Chavez?

Tem doido pra tudo. A última vem de Hugo Chavez. Garante o maluco venezuelano que o terremoto do Haiti foi causado pelos EUA. Segundo ele os americanos desenvolveram uma arma capaz de provocar terremotos com hora e intensidade marcada em qualquer lugar do mundo. O troço chama-se Haarp. Era coisa dos Bush (pai e filho), mas pelo jeito foi inaugurada pelo Obama.

E tem gente que acredita. Acredita? Bem que um general americano poderia mandar um terremoto bem calculado para tremer a Venezuela e derrubar pelo menos uma telha na cabeça daqule ditadorzinho de araque, né não? Talvez assim ele largue a mania de fechar jornais e TV's que não propagandeiam suas sandices.

A realidade se impõe. Sempre.




O gráfico acima comprova que as temperaturas médias globais estão diminuindo desde 1998, contradizendo a tese do aquecimento global antropogênico, já que as emissões de CO² continuam crescendo. Pelo jeito, em 2010 se manterá a tendência  declinante.

Outro dia um amigo adepto do Al Gore et caterva me perguntou se não é arrogância questionar "verdades" (aquecimento global antropogênico) tão claramente defendidas por eminentes cientistas, políticos etc,  etc. Pode até ser, mas estou em boa companhia. Senão, vejamos:

Timothy Ball, ex-professor de climatologia da Universidade de Winnipeg, Canadá:

“O CO2 (dióxido de carbono) não é um gás poluente. Ele tem conseqüências positivas, na verdade. Quanto maior sua concentração na atmosfera, maior o crescimento das plantas. A atividade do Sol é o principal fator que afeta o clima no planeta, mas quase não é mencionada. (... ) Eles [os especialistas] têm medo de falar, são acusados de receber dinheiro da indústria do petróleo. Eu mesmo já fui alvo de ataques pessoais”.

Patrick Moore, Co-fundador da Greenpeace:

" A outra razão pela qual o extremismo ambiental surgiu foi o fracasso do comunismo mundial. O muro caiu, e um monte de pacifistas e ativistas políticos migraram para o movimento ambientalista trazendo seu neo-marxismo consigo. Aprenderam a usar a "lingua verde" de um jeito muito inteligente para disfarçar programas que na verdade tinham mais a ver com anticapitalismo e antiglobalização que qualquer coisa a ver com ecologia ou ciência".

Dr. Vaclav Klaus, Presidente da República Checa:

“Como uma pessoa que viveu sob o comunismo na maior parte de sua vida eu me sinto obrigado a dizer que a maior ameaça à liberdade, à democracia, à economia de mercado e à prosperidade hoje em dia é o ambientalismo, não o comunismo. A ideologia ecologista quer substituir o livre e espontâneo desenvolvimento da humanidade com uma espécie de planificação central que agora é chamada de global”.

Henrik Svensmark, diretor do Centro para Pesquisas do Clima Solar, Centro Espacial de Dinamarca:

“Aqueles que acham absolutamente certo que o aumento das temperaturas deve-se exclusivamente ao dióxido de carbono não tem justificação científica. É pura conjetura.”

Prof. José Joaquim Delgado Domingos do Instituto Superior Técnico, Lisboa:

“É um perigoso disparate criar uma ideologia suportada no dióxido de carbono … O alarmismo atual das alterações climáticas é um instrumento de controlo social, um pretexto para grandes negócios e para o combate político. Transformou-se numa ideologia preocupante.”

Dr. Takeda Kunihiko , vice-reitor do Instituto de Ciências e Tecnologia, Univ de Chubu, Japão:

“As emissões de CO 2 não causam absolutamente qualquer problema … Qualquer cientista sabe isso, mas não lhe pagam para dizê-lo … [A alguns pagam para dizer o contrário!] O aquecimento global, como veículo político, mantém os europeus sentados no veículo e os países em desenvolvimento a andarem descalços.”

Prof Ivar Giaever, Premio Nobel de Fisica 1973:

"Eu não acredito no aquecimento global... ele transformou-se numa nova religião".

Dr. Will Happer, Prof. de Física na Universidade de Princeton:

“Estou convencido de que o alarme corrente pelo dióxido de carbono [CO²] está errado… Os temores de um aquecimento global antrópico estão desprovidos de garantias e não estão baseados em boa ciência.”

Dr. Jarl R. Ahlbeck, engenheiro químico na Universidade Abo Akademi da Finlândia:

“Até agora, as medições do mundo real não dão base para se preocupar com um aquecimento catastrófico futuro.”

Dr. Kiminori Itoh, físico-químico ambientalista, membro do IPCC:

“Os temores espalhados sobre o aquecimento global constituem o pior escândalo científico da história... Quando o público perceber a verdade, vai se sentir decepcionado com a ciência e com os cientistas”.

Dr. Arun Ahluwalia, geólogo da Universidade de Punjab , diretor do International Year of the Planet

“Atualmente, o IPCC virou um circuito fechado: não ouve os outros... Não tem abertura mental. Estou deveras surpreso pelo fato de o Prêmio Nobel da Paz ter sido outorgado [a Al Gore e ao IPCC] com base em conclusões cientificamente incorretas.”

Prof. Paul Reiter, Instituto Pasteur, Paris:

"Nós achamos que vivemos numa era de razão, e o alarme pelo aquecimento global parece ciência; mas não é ciência, é propaganda."

Prof. Ian Clark, Departamento das Ciências da Terra, Universidade de Otawa:

"Não podemos dizer que o CO2 vá dirigir as mudanças climáticas, certamente nunca o fez no passado."

Patrick Moore, Co-fundador da Greenpeace:

"O movimento ambientalista tornou-se a maior força que impede o desenvolvimento dos países subdesenvolvidos."

Prof Ivar Giaever, Premio Nobel de Física 1973:

"Eu não acredito no aquecimento global... ele transformou-se numa nova religião".

Philip K. Chapman, geofísico, engenheiro astronáutico, ex-astronauta, físico do M.I.T.:

“Todos esses que exigem inverter a curva do aquecimento global com urgência precisam desligar o pisca-pisca e apresentar algum pensamento sobre o que nós deveríamos fazer se, em lugar do aquecimento global, nós estivéssemos enfrentando um esfriamento global”.

Dr Evaristo Eduardo de Miranda, chefe-geral da unidade de monitoramento por satélite da EMBRAPA:

“O ambientalismo não entendeu o conceito de desenvolvimento sustentável . (...) outra tendência perigosa é tratar o assunto de maneira apocalíptica. Só se prevêem coisas ruins com as mudanças climáticas. É preciso trazer outros pontos de vista. Por exemplo, o desaparecimento da calota polar vai gerar uma economia de combustível inacreditável, porque vai encurtar caminhos na navegação. É preciso lançar um pouco de racionalidade à questão, sobretudo quando se trata de hipótese inverificável. É curioso como os cientistas, senhores da razão e ateus, adotam nessa hora uma linguagem totalmente religiosa. Eles falam de toda a teologia do fim dos tempos, das catástrofes, do homem vitimado e castigado com o dilúvio, como Noé”.

Stanley B. Goldenberg, meteorologista da NOAA - National Oceanic and Atmospheric Administration:

“Há uma mentira ovante que está sendo espalhada pela mídia e que faz acreditar que só uma franja de cientistas não acredita no aquecimento global provocado pelo homem”. (Stanley B. Goldenberg é especialista em furacões na NOAA)

Prof David S Gee, professor emérito de Ciências da Terra, Universidade de Uppsala, Suécia:

“Durante mais quantos anos o planeta deverá ainda esfriar para que comecemos a ouvir que o planeta não está aquecendo? Durante mais quantos anos deverá continuar o atual esfriamento?”

Freeman Dyson, da US National Academy of Sciences e professor emérito de Física de Princeton:

“O mundo real é turvo, complicado e cheio de coisas que nós não entendemos ainda. É muito mais fácil para um cientista se sentar num prédio com aquecimento e fazer rodar modelos de computador do que se vestir com roupas de inverno e sair a medir o que realmente está acontecendo do lado de fora nos pântanos e nas nuvens. É por isto que os expertos em modelos climáticos acabam acreditando nos seus próprios modelos...” Freeman Dyson é membro da U.S. National Academy of Sciences e professor emérito de Física do Institute for Advanced Study da Universidade de Princeton.

R.Austin e W.Happer, professores de Física em Princeton; L.Gould, em Hartford; R.Lindzen (MIT) etc:

“O céu não está caindo, a Terra vem se esfriado há dez anos. O presente esfriamento NÃO foi predito pelos modelos de computador alarmistas. Os melhores meteorologistas do mundo não podem predizer o clima com duas semanas de antecipação, e nem ousam predizer o resto do século. Pode Al Gore? Pode John Holdren? Estamos sendo inundados de afirmações de que as provas são claras, de que o debate está encerrado e de que devemos agir imediatamente, mas de fato NÃO EXISTEM ESSAS PROVAS, NÃO EXISTEM.”

Prof. Nils Axel Mörner, ex-presidente da Comissão Internacional para os Câmbios do Nível do Mar:

“O mar não está crescendo e não cresceu nada nos últimos 50 anos”

Richard Keen, climatologista do Department of Atmospheric and Oceanic Sciences, Colorado Univ.:

“A Terra vem se esfriando desde 1998, em desafio às predições do IPCC da ONU... A temperatura global em 2007 foi a mais fria numa década e a mais fria do milênio... tal vez seja por isso que o “aquecimento global” está sendo chamado de “cambio climático”.

Dr. Pal Brekke, físico solar, do Norwegian Space Centre em Ohio:

“Quem quer que pretenda que o debate está encerrado e que as conclusões são definitivas pratica uma abordagem fundamentalmente anti-científica numa das questões mais nevrálgicas da nossa época”.

Luiz Carlos Baldicero Molion, Prof. de Meteorologia da Universidade Federal de Alagoas:

“Quando eu digo que muito provavelmente estamos num processo de resfriamento, eu faço por meio de dados. (...) eu já vi esse filme antes, na época do discurso da destruição da camada de ozônio pelos CFCs, os compostos de clorofluorcarbonos. (...) inventaram a história de que esses compostos estavam destruindo a camada de ozônio. Começou exatamente com a mesma fórmula de agora. (...) um terrorismo climático como é esse aquecimento global.”

Bob Carter, professor de geologia na Universidade James Cook, Austrália:

“Ao longo dos últimos anos vem sendo registrados sinais climáticos mais frios do habitual em todo o mundo, levando muitos cientistas a questionar a moda, já muito desatualizada, do alarmismo com o aquecimento global”.

De qualquer modo em breve saberemos quem tem razão. A realidade sempre se impõe acima dos interesses políticos e pessoais de pessoas e grupos. Espero que Al Gore tenha humildade para fazer um mea culpa. Mesmo que tenha enchido os bolsos vendendo tecnologia "verde".

Entrevista de Molion à "Catolicismo"

Luiz Carlos Baldicero Molion é daqueles pesquisadores que não se importam de ir contra a maré midiática, desde que os dados científicos assim recomendem. Ciência se faz indo contra consensos. Se não fosse assim, ainda estaríamos catando coquinho. Daqui a alguns anos, quando o aquecimento global antropogênico tiver virado piada até no jardim da infância, Molion estará entre os que dirão "eu já sabia". Pena que até lá muita grana terá sido gasta inutilmente e muitos carreiristas científicos e políticos terão se dado muito bem.

Ver entrevista AQUI

Em defesa da vida, CNBB chama Lula de Herodes


A Igreja Católica resolveu bater pesado no PNDH do Governo. Em panfletos distribuídos em São Paulo a CNBB chama Lula de Novo Herodes e confronta quatro pontos da patifaria esquerdopata que assola o país. As preocupações da Igreja são com o aborto, casamento entre gays, adoção por duplas gays e ostentação de símbolos religiosos em repartições públicas.

A rigor, desta vez a Igreja se manteve no seu quadrado. Não é costume. Normalmente se mete em questões qua vão além da doutrina católica. No panfleto, por exemplo, deixa de fora a fragilização extrema do direito de propriedade e a investida contra a liberdade de expressão contidas no PNDH. Se quem cala consente, provavelmente a CNBB não vê nada demais em que o Governo controle os meios de comunicação e despossuídos (para usar a linguagem que eles entendem) tomem de assalto a propriedade alheia legalmente constituída. Imagino que pensem que seus conventos, mosteiros e sedes estejam a salvo.

De todo modo, a CNBB faz um gesto correto. Não é possível que passe em branco a permissão ao assassinato de crianças inocentes ainda hospedadas na barriga de suas mães. Esperemos que tal insatisfação não seja suprimida pelos interesses eleitorais imediatos aos quais se vincula e serve grande parte de seus membros.



A figura acima foi extraida DAQUI

sábado, 23 de janeiro de 2010

O Brasil e o Haiti

Haiti é o tema da hora. Já se disse até que gerou gigolôs políticos, artisticos, jornalisticos... Fico aqui pensando... por que será que só agora Haiti virou tema da hora?

Pobre e negra Haiti é uma nação de última linha. Ninguém se importa. Os que agora se prestam não davam a mínima até outro dia. Fala-se em 130 mil mortos. Choca agora porque são vítimas ao mesmo tempo de uma catástrofe. Morrendo lentamente de aids, de malária ou de subnutrição nunca ativaram os sentimentos nobres de tanta gente.

O Brasil, gigolôs à parte, faz o que dá pra fazer. Jamais será ator principal em eventos desta ordem. Não está preparado, não tem expeirencia. Os EUA é que são a polícia e os bombeiros do mundo. Guardemos a nossa megalomania para o bolsa-qualquer-coisa.

Só para não não deixar o assunto "esfriar"


Lembram da COP 15 em Copenhaguen? Lá cerca de 30.000 ambientalistas "ocupados" com a saúde e o bem-estar da humanidade se reuniram para debater o aquecimento global antropogênico. Ao final deveriam estabelecer um protocolo no qual estivessem claras as responsabilidades  políticas e financeiras de 180 nações em relação ao modo de produção e às fontes de energia que, segundo os aquecimentistas, estão a inviabilizar a vida na terra.

Diante de algumas declarações de alguns líderes, inclusive os velhos e os novos ambientalistas brasileirs, Dilma, Marina e Serra no meio, senti meu bolso tremer. Sabe como é, o pobre sempre paga a conta. No final das contas, fracasso total. Adiaram a indecisão. Os ricos não toparam pagar o prejuizo, os pobres não toparam continuar na miséria e os mais ou menos não quiseram dividir a fatura. Quem sabe na próxima, né? Até lá se o homem ajudar, o mar já subiu mais um tiquinho, as temperaturas idem, uma seca aqui outra acolá e o ambiente estará própicio para um acordo.

Esqueceram de combinar com o clima. Dá-lhe frio. Aquele gelo de Copenhaguen era só uma prévia do que viria em seguida. O ano virou com a Europa e a China chamando urso polar de cobertor. Foi o periodo mais frio dos últimos 30 anos.

De acordo com os E.U. National Snow and Ice Data Centre, no Colorado, o gelo do mar Ártico aumentou em 409.000 milhas quadradas, ou 26 por cento, desde 2007. Nem os mais comprometidos ativistas do aquecimento global contestam os dados.

Ainda não se sabe o que dirão os cientistas caras do IPCC e adeptos do Al Gore. Talvez queiram expurgar as temperaturas de janeiro de seus modelos - já fizeram isso no Climategate.

A miséria. Eis uma questão que merece conferência e fundo global

O que não faltaram nos últimos dias foram bondades dirigidas ao povo haitiano. Em alguns casos, como disse o jornalista Augusto Nunes, apareceram verdadeiros gigolôs do terremoto - gente querendo se promover às custas da desgraça alheia. É a política se aproveitando, como sempre.

Fazendo umas contas sobre o total de doações e gastos previstos para a reconstrução do país, chego à conclusão de que a grana bem poderia vir daquela patifaria de Copenhaguen. Se ao invés de sustentar políticos oportunistas, turistas da ecologia e cientistas de araque, toda aquela grana sugerida na COP 15 fosse destinada ao combate à miséria global, incluindo a do Haiti, muito certamente o meio ambiente agradeceria.

Sei. Já existe conferência e fundo para isto na ONU. Uma esmola que não resolve absolutamente nada além de afagar a consciência de certos "humanistas".

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Marina precisa falar as palavras inteiras

Segundo o noticiário a senadora Marina Silva fez declarações sobre o PAC. Pelo que li foram meias palavras. Dizer que o PAC é pontual e sem visão de conjunto é muito pouco. Melhor que nada, mas pouco.

Seria bom que em algum momento fizesse uma análise aprofundada do PAC, de sua execução e de seus impactos reais no desenvolvimento nacional. Ser candidata exige posturas firmes. Como diz minha velha mãe "quem não pode com o pote não pega na rodilha".

Direito "humano" de matar inocentes. É o PNDH do Governo.


Assisti nesta segunda-feira a uma audiencia pública onde pilantras que se dizem defensores dos direitos humanos debatiam entre si e com uma plateia de companheiros, o tal PNDH - Programa Nacional dos Direitos Humanos recentemente lançado pelo governo. Lá pelas tantas uma dessas declarou que este é um momento importante e que as várias correntes devem se unir, ou seja, invasores de propriedade alheia, abortistas, repressores da liberdade de expressão e outras calhordices devem atuar juntos para garantir os "avanços" do Programa. Presentes os deputados Domingos Dutra do PT maranhense, Pedro Wilson do PT goiano e Luiz Couto do PT paraibano.

Em determinado momento a representante de uma ONG feminista, uma tal Silvia Camurça disse que é direito humano extrair um feto indesejado até a décima-segunda semana de gravidez (dai pra frente o risco é muito alto).

A foto acima é de um feto de 12 semanas. Segundo essa turma do PNDH aquela criança poderia ter o corpo sugado aos pedaços depois de esmagado, se a irresponsável da mãe assassina quisesse. É um "direito humano".

Sinceramente, adoraria ver os presidenciáveis falar a respeito. A Dilma já sabemos que é a favor. Faltam os outros.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

As pessoas de bem precisam resistir aos vagabundos que estão por trás do PNDH 3.

Nunca antes neste pais se tramou tamanha safadeza contra o povo como esta do Plano Nacional dos Direitos Humanos. Toda a vagabundagem que invade propriedade privada, pratica abortos, defende o uso livre da maconha e teima em controlar a imprensa se reuniu na tarefa sórdida de empurrar goela abaixo dos brasileiros um plano que solapa a sua e a minha liberdade em favor de agressões travestidas em "direitos".

Cuidemos.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Ai de ti Haiti

Ai do Haiti, pais infernizado por ditaduras e corrupção. Agora infernizado por um terremoto de proporções apocalipticas. Que não seja infernizado pela indiferença dos poderosos.

Ai de ti Haiti e de todas as nações que cedem ao apelo de ditadores e populistas. Ai de nós se não nos cuidarmos.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

A propriedade ameaçada

Só quem não possui coisíssima alguma e vive de alguma sinecura tipo bolsa-ditadura e congêneres, pode se sentir à vontade com as constantes e crescentes ameaças ao direito de propriedade. O Governo Lula acaba de dar mais uma canelada através do novo Decreto de Proteção aos Direitos Humanos. Parece que deseja transformar em direito a propensão ao roubo e invasão de certos grupos contra o patrimônio privado.

Enquanto não chegar a  vez dos bancos a tendência é que a propriedade seja cada vez mais relativizada. Um prêmio à incapacidade, à incompetência e à preguiça.

A respeito sugiro a leitura do Blog do Reinaldo Azevedo com link aí ao lado.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Noticias quentes do aquecimento global


Acessem AQUI AQUI e AQUI e saibam um pouquinho do que está a acontecer com o clima no pós-COP 15. Até agora Al Gore não apareceu para explicar. Deve estar embaixo dos cobertores puxando a barba do Rajendra.

Se deixarmos por conta dos cientistas do IPCC alguns deles vão propor a exclusão deste período no cálculo da temperatura média global do ano. Como sempre, precisarão aconchambrar os dados para que caibam na teoria. Estão acostumados.

Vai um gelinho aí?


Acabei de ver na TV que, na Inglaterra, o Primeiro Ministro Gordon Brown teve que dar garantias de que não haverá um apagão por lá. É que os ingleses resolveram não dar bola para o aquecimento global e dnaram-se a ligar aquecedores para dar uma esquentadazinha básica no frio de mesno 20 que anda fazendo por lá. Quem não fez isso já esticou as canelas. O consumo de energia aumentou 30%.

Na China nem os trens dão conta de vencer a nevasca que nunca antes naquele pais havia acontecido tão intensamente em janeiro. Tá faltando cobertor pra tanto chinês. Com temperatura de menos 16 graus as escolas estão paralisadas, aeroportos fecharam e o preço do petroleo disparou.

Pelo jeito, aquecimento global está virando piada pronta que nem europeu nem chinês acham engraçada.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Pai Nosso

Fora do ar

Estarei fora do ar durante alguns dias. Esporadicamente postarei sobre algo que me pareça relevante. Feliz ano novo!