sábado, 31 de dezembro de 2011

Mais Adele e menos Luan Santana

Que seja maravilhoso

Feliz 2012.

PAZ!

Sejamos mais tolerantes, sejamos menos tolerantes.

Nada se pode dizer às vésperas de um novo ano que não tenha sido dito antes. Da minha parte, apenas desejo que sejamos mais tolerantes uns com os outros, que respeitemos mais as nossas diferenças, que sejamos mais generosos. Na política, que sejamos mais intolerantes com o roubo, os desvios, a incompetencia, o arrivismo, o oportunismo e que não nos deixemos enganar pelos estelionatários morais que vicejam nos palanques. Façamos a nossa parte.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

O mais podre poder.

A melhor arma contra a corrupção é e sempre será a transparência. Arreganhar as contas deveria ser de lei em todas as esferas. Sigilo fiscal para quem ocupa cargo público deveria ser abolido - quem não quiser mostrar as contas que não aceite nomeação. Sinais exteriores de riqueza deveriam ser imediatamente investigados. O povo tem todo o direito de saber o que fazem os servidores públicos politicamente nomeados, vigiá-los e denunciá-los.

Nos últimos dias uma briga surda vem se travando no mais alto escalão da república. O STF ameaça as prerrogativas do Conselho Nacional de Justiça e a ação da Ministra Eliana Calmon. Aos poucos a imprensa (sempre ela) vem mostrando o que há por baixo de algumas togas que jamais foram passadas na lavanderia. Aguardemos o que virá. De certo apenas que em ambientes fechados, para variar, algo fede.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

De fracasso em fracasso as Conferências Climáticas ainda terminam em happy hour de ecochato.

O trecho abaixo capturei de um post do Folha Verde News dá bem a medida do que aconteceu na Conferência do Clima recentemente realizada em Durban.


"Salvo engano, o principal saldo da Conferência de Durban, a CoP 17, encerrada neste domingo, foi marcar uma nova reunião para 2015 quando serão fixadas metas para valer a partir de 2020. Até 2015 os gigantes poluidores do planeta - os EUA é o maior deles, com emissão per capita 9 vezes a do Brasil, por exemplo - ficam livres para adotar cortes voluntários nos despejos de CO2 na atmosfera.

Significa que o destino da humanidade ficará entregue por mais uma década a quem se recusou a subscrever Kyoto em 1997 e continuou a fazê-lo em 2011, 14 anos depois. Que garantia existe de que em 2020 assistiremos a uma guinada redentora nesse recorrente veto ao futuro? Pouca, para não dizer nenhuma.

Uma evidência: em Durban, os gigantes poluidores não aceitaram nem mesmo endossar até 2015 as metas de Kyoto - que vencem em 2012. Os países que aceitaram fazê-lo respondem por apenas 15% das emissões globais. O desfiar de datas e metas-fantasia da agenda ambiental poderia ser apenas um incômodo exercício de tergiversação diplomática não fossem as perdas e danos que estão em jogo."


Em síntese, se reuniram para marcar outra reunião que certamente será tão fracasssada quanto esta, ainda mais se considerarmos a crise financeira que se abate sobre a Europa. Nos próximos anos, os loirinhos barrigudos estarão mais preocupados em arrumar um empreguinho básico do que em prestar atenção na escatalogia da seita do aquecimento global antropogênico. Chineses e Indianos idem.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Facismo a caminho trazido pelas mãos da ONU

No link abaixo voce pode ler algo que já vem sendo previsto por muitos democratas que não baixam as armas nem para os ecofacistas que pululam por ai. Pra iniciar, a ONU, infestada desses energúmenos, está propondo a criação de um tribunal climático internacional. Os ecofacistas querem cagar regras para todos os países e julgá-los em caso de descumprimento. Pelo que sei, o último que planejava dominar o mundo, aquele do bigodinho, sifu.

Clima | Climate || Virtual vs Real: Os eco-fascistas da ONU em Durban: projecto do tra...:

sábado, 10 de dezembro de 2011

Quando os malfeitos são mal feitos...

Nem deram conta das consultorias do Pimentel e surge essa história da falsificação de documentos por gente graúda ligada ao Governo Lula. De tanto ler sobre a putaria que rola chego à conclusão de que o problema não são os "malfeitos" dessa turma como gosta de chamar a dona Dilma. O que está pegando é que são mal feitos. PQP! A gente nem tem tempo de entender uma sacanagem e lá se vem outra. Agora é todo dia?

Estou convencido de que esse pessoal além de ladrão é muito burro. Ministros de todos os partidos, gente experiente, todos putas véias na arte da malandragem fazem coisas que não entendo. Estou me decepcionando com esses caras. Sinceramente. Sempre achei que pra chegar onde chegaram deviam ser inteligentes, geniais mesmo. Tudo bem que na administração já demonstraram muita incompetência, mas como ladrões achei que eram sabidos. Tenho um amigo que explica dizendo que todo dia pipoca um caso porque a turma exagerou na dose, passou a tirar picolé de menino e ai deu nas vistas. Pode ser, mas ainda assim deviam ser mais inteligentes. Consultoria para microempresa de tubaína? Falsificando assinatura e falando disso ao telefone? Tenha dó.

Ai vem os caras e reclamam da imprensa. Ora, ora. Se não dá pra serem honestos e não querem ser pegos, pelo menos façam seus malfeitos bem feitos, né?

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Celso Arnaldo captura a nova ministra do Supremo durante a sabatina no Senado: Uma Rosa da Rosa é uma Rosa da Rosa

Voces lembram daquela situacao em que o professor escolhe um aluno de sopetao e faz uma pergunta daquelas de fazer o sujeito mijar nas calcas? Foi como vi a Ministra indicada pela dona Dilma perante o senador Demóstenes. Vá ser fraquinha assim longe. Se estamos dependendo na Alta Corte de gente dessa qualidade estamos lascados. Essa ai certamente nao passaria no exame da OAB. O presidente do STF deveria botar a ministra no milho no primeiro dia. Vejam abaixo e nao riam, se puderem, é claro.

Celso Arnaldo captura a nova ministra do Supremo durante a sabatina no Senado: Uma Rosa da Rosa é uma Rosa da Rosa

Mais uma promessa de ação contra o crack. Alguém acredita?








Voces viram, está em todos os jornais e televisões que o governo federal lançou ontem (de novo) um programa para combater o cosumo de crack. Os números anunciados são significativos. Nada menos que quatro bilhões de reais. A medida mais polêmica é a internação "na marra" de viciados para tratamento. Toda a psicologia é contra, mas o governo entende que tudo começa tirando os "nóia" da rua e mantendo-os em alguma enfermaria. Só quero ver no que vai dar.

Não sou do ramo. Nem dos que usam nem dos que entendem de drogas e alucinógenos, mas tenho cá minhas convicções. Duvido que este programa (se for implementado) resulte em algo concretamente válido. Já disse antes. É preciso atuar na origem e isto significa negociar politicamente com o governo boliviano, usando a pressão possível e necessária, um programa de diminuição radical da produção de coca naquele país. O crack só inunda as grandes cidades e chega no interior do Ceará porque é barato e só é barato porque é muito e só é  muito porque a produção de coca na Bolívia mais que duplicou nos últimos anos e só duplicou porque o governo de lá faz força a favor. Não há vigilância na fronteira ou programa de internação que resolva a situação.

Alguém acha que o país vai enfiar mais de um milhão de usuários em clínicas de tratamento? Alguém acredita que dá pra vigiar milhares de quilômetros de fronteira com a Bolivia, Peru e Paraguai por onde a cocaína passa livremente para o Brasil?

O programa lançado ontem pela dona Dilma é uma pilhéria. Uma reação política a uma questão nacional que exige respostas. Infelizmente as respostas são mais promessas. Oremos.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Canadenses sobre o Protocolo de Kyoto. "Me incluam fora dessa".

Uma noticia que voce não verá no Jornal da Globo, nem no Fantástico, nem em jornal brasileiro nenhum. Veja abaixo.




O jornal The Washington Times repercutiu a notícia em editorial. Abaixo.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Sobre consultorias e consultores

Antigamente era assim. Um sujeito possuia alta especialização em determinada área e, não querendo ser empregado de ninguém, abria o próprio escritório de consultoria ou se associava a alguém com o mesmo objetivo. Bons economistas, por exemplo, vivem disso. Fazem prognósticos, elaboram estudos, apontam áreas de investimento etc. Palestras também são solicitadas por grupos de acionistas ou de empresas. Quem precisava do serviço contratava o escritório, pagava o resultado e tchau, até a próxima. Isso era antes, pois de uns anos para cá consultoria virou algo muito nebuloso, para dizer o mínimo.

Me acompanhem. Qual o mais importante e mais caro consultor do momento? Ele mesmo, o nosso ex-presidente Lula. Uma "palestra" de duas horas e lá se vão 200, 300 mil reais para o bolso do nosso mais querido presidente da historia. Sua especialidade? Não faço a mínima idéia, mas poderia ser "como governar um pais durante oito anos de cima de um palanque". Outro grande e bem mais discreto consultor é o ex-ministro Zé Dirceu. A especialidade, não sei. Mais um dos grandes é o Palloci, ex-ministro da Fazenda. A especialidade também não sei, mas como ex-ministro e pelo que ganha deve ter algo muito importante a dizer. O consultor da vez é o atual ministro Fernando Pimentel cuja experiencia e capacidade fizeram-no amealhar em dois anos uma pequena fortuna.

Longe de mim sequer desconfiar da capacidade desses senhores. São pessoas de elevadíssima experiência e certamente, mesmo se dizendo socialistas, conhecem os segredos que fazem enriquecer mais ainda os capitalistas que os procuram. O que me deixa encabulado é por que raios esses caras tão geniais, no primeiro estalo largam o que estão fazendo com competência e altíssima lucratividade, para enfrentarem a espinhosa tarefa de serem auxiliares do governo, uma posição que na melhor das hipóteses lhe rende míseros 15 mil reais líquidos. Sinceramente, esta decisão não recomenda quem pretende ser consultor. Quem vai querer ouvir os conselhos de um cara que larga uma atividade que rende milhões de reais anualmente para virar um funcionário público mal pago? A não ser que...

Mais uma mentira dos carbofóbicos.

Sabem aquela história espalhada pelos membros da seita do aquecimento global de que os oceanos subiriam não sei quantos metros, que as praias seriam inundadas, que as casas e hotéis virariam atlântida etc..etc...? Era MENTIRA. Talvez por isso é que Al Gore nunca deixou de passar férias na mansão que possui na praia.

O gráfico abaixo mostra o nível do mar com tendência declinante

                                            Fonte:http://theclimatescepticsparty.blogspot.com/

domingo, 4 de dezembro de 2011

Mais um fora do Sujistério da Dilma.

Finalmente o Lupi "vazou", tomou o caminho da rua na iminência de tomar um pé na bunda bem tardio, diga-se de passagem. Fico com a impressão de que deram um tempo para ele dar uma "limpada" na própria sujeira. Coisas como sumir com documentos, refazer páginas de processos, fazer adendos, retificar datas, negociar com auxiliares... enfim, se garantir para uma eventual investigação. De qualquer forma o Sujistério que a Dilma herdou do Lula e mantém por que quer fica um pouquinho menos indecente sem o dito cujo. Agora é esperar o próximo.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Mais uma do aquecimento global

Os jornalões deixam por menos, a Globo nem fala no assunto (se fosse calor...), os carbofóbicos dão as costas, mas em Santa Catarina as temperaturas bateram recordes negativos para a época. É o que se pode ler no Diário Catarinense. A turma de lá adoraria um aquecimentozinho básico...

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Quem tem medo da privatização do SAERB?

O sistema de abastecimento de água no Acre, assim como em outros estados sempre foi problemático. Desperdício, sucateamento, desvios e inadimplência foram a tônica em sucessivas gestões que jamais conseguiram equacionar devidamente a questão e resolvê-la a partir do Estado. Isto sem contar com as famosas compras, vendas e transporte de insumos que enriqueceram gente muito viva e até gente que já morreu. Hoje em dia tem gente grandinha com a vida feita pelas estrepolias do avô esperto.

Quando em 1997 o sistema da capital foi municipalizado com a criação do SAERB tinha-se a esperança de que, desvinculando-se o abastecimento da capital do resto do estado se poderia dar eficiência ao sistema. Não deu certo. De lá para cá as administrações municipais, sem exceção, enfiaram dinheiro público nos canos do SAERB cuja crônica é o não-pagamento do uso e consumo, seja pelas famílias seja pelas empresas ou mesmo pelos órgãos do estado.

Além disso, em muito pouco tempo o SAERB foi tomado por interesses sindicais e político-eleitorais, às vezes misturados com interesses financeiros inconfessáveis. Influências deste tipo manobraram contra a eficiência. Na soma, uma constatação obvia. Não há saída por dentro do setor público.

O municipio planeja privatizar a gestão do sistema? Faz muito bem. Já vai tarde, se querem saber. A água vai ficar mais cara? Bobagem. A água que chega na torneira só chega porque a prefeitura está cobrindo o déficit com recursos (sempre públicos) de outras fontes que bem poderiam estar sendo gastos em outros benefícios para a comunidade. O máximo que pode acontecer é que quem não paga vai pagar, vereador vai deixar de indicar e pressionar dirigente, empresas privadas que vendem água vão vender menos e o sistema sendo bem gerido pode financiar a própria expansão alcançando mais famílias com água de boa qualidade.

É claro que uma proposta deste tipo encontrará adversários, né? Já pensou aquele pessoal dos carros pipa perdendo clientes? E aqueles vereadores perdendo a bocarra boquinha? E aquela turma do mercado de insumos e equipamentos? Quer apostar como estarão todos eles açulando os funcionários?

Não sei se é politicamente oportuna tendo em vista a sucessão, mas se efetivada, esta seria certamente uma ótima herança deixada pelo bom Angelim.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Corrupção, doenças mentais e coca-cola...

De vez em quando dou uma olhada nos textos do Ezio Flávio Bazzo por quem tenho grande admiração. Recomendo a todos que façam o mesmo. De tão cáustico seu pensamento incomoda fortemente nossas certezas arrogantes. Abaixo um trecho do que está no link do  Ezio.

"Não é novidade para ninguém que no Brasil, desde que os simplórios e desvairados portugueses estiveram cagando ordens e semeando suas loucuras por aqui, até hoje, tanto o Estado-Infeliz como os Governos-Infelizes que vieram se sucedendo não deram a mínima, nem afetiva, nem intelectual e nem orçamentariamente à questão da saúde mental, resultando no que somos agora: um imenso e maquiado manicômio. E não preciso demonstrar, não é verdade?."

A Internacionalização da Amazônia

Um texto necessário para os que ainda tem dúvidas sobre os "bons interesses" de ONG's e ongueiros de fora e de dentro na Amazônia. Infelizmente, a troco de fama, fortuna e prestigio gente de cá se prostra e milita contra os interesses nacionais.

PPS, Marina Silva, dinossauros e fadas.

Leio em alguns jornais e blogs que o PPS do Roberto freire vai esverdear o partido e tentar atrair a Marina Silva que não tendo êxito em mandar no PV procura uma saida para sua própria candidatura a presidente em 2014. Essa eu quero ver.

De politica conheço nada, mas de PPS conheço um tantinho assim. A direção do ex-partidão, comandada desde sempre pelo Roberto Freire é assim, como diria... Ah! É uma permanente oficina de história tendo à frente uma velharada que responde sim aos comandos do Freire. Os velhinhos são medonhos, não é, Ciro Gomes?

Sabendo que a Marina não pretende entrar num partido que não chame de seu, du-vi-d-ó-dó que esse namoro prospere. Se uns gatos pingados lá do PV peitaram a madrinha da floresta imagine Roberto Freire, Rubem Bueno e Raul Jungman juntos. Eles jamais cederão o comando.

Outro detalhe é que o PPS, pelo menos no seu núcelo (São Paulo - Minas Gerais) faz algum tempo orbita em torno do PSDB. Largariam os ossos nestes e em outros estados para apostar no projeto verde despolitizante de Marina Silva? Aqueles comunistas jurássicos que adoram partido político adotariam a visão neo-qualquer coisa da Marina? Penso que não. A Marina aceitaria ser aliado compulsório dos tucanos? Never. Então, que raios de namoro é esse?

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Para "variar", as usinas eólicas são movidas a subsídios. Ô ventinho caro!

Turbinas abandonadas nos EUA.


Canoa Quebrada
Quem visita a região Nordeste está se acostumando a ver imagens de turbinas eólicas em tudo que é praia. As estradas estão repletas de carretas transportando esses monumentos. Nem a adorável Canoa Quebrada escapou. Embora sejam caras, barulhentas, tenham menos de 30% de eficiência energética e afastem tudo que é pássaro dos locais oonde são instaladas, dizem que esta é a salvação do Planeta. Os bonitinhos da Globo até propõem substituir a usina de Belo Monte por turbinas eólicas. Alguém já fez o cálculo da área necessária? Talvez seja maior que a área inundada pelo lago projetado.

Pois bem. Enquanto por aqui estamos brincando de catar vento caro e ineficiente, nos EUA já existem mais de 14.000 delas abandonadas. A causa é que elas somente são economicamente viáveis com altos subsídios, ou seja, são efetivamente deficitárias. Quando por algum motivo o governo deixa de entregar nosso dinheiro (subsídios) às empresas privadas, o vento deixa de mover as hélices e os monstrengos param de funcionar.  Resumo: o vento que move as turbinas tem nome - SUBSÍDIOS.

Corrupção nas Cidades, assim como no campo, nos esportes, no turismo...

Certa vez, não faz muito tempo, um amigo mineiro de Diamantina, daqueles bem matutos ("capiau" lá pra eles) me disse entre uma cachaça e outra: Corrupto e estrada ruim não acaba nunca. Foi do que me lembrei com a noticia de que andaram até gravando a turma do PP do Mário Negromonte em conversas cabeludas. O rombo provocado pela fraude vai às centenas de milhões. Mais um a caminho do cadafalso.

Com a presidente Dilma dando férias ao próprio avatar faxineira e engolindo a vagabundagem no ministério do trabalho em nome sabe-se lá do que, a turma parece que se sentiu mais à vontade para traquinar. Pelo jeito, se gritar pega ladrão não fica um. A herança do Lula é de lascar. Ô timezinho picareta. Onde já se viu um troço desses? Pra onde se vira é gente roubando, armando falcatruas, fraudando processos, desviando recursos, detonando a administração. E pensar que durante oito anos essa turma nadou de braçadas sob o lençol de popularidade do presidente Lula. Alguém tem idéia de quanto esses caras roubaram de nossos impostos que já vão na casa dos 40% do PIB?

Dona Dilma, dê um basta nisso. Põe essa turma pra correr. Pega na vassoura senão daqui a pouco alguém pode começar a querer chafurdar onde tu passastes achando que na era Lula não tem exceção, e ai...

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Novo Climategate. O consenso "científico" sobre o AGA é nojento.

De acordo com publicação de Donna laframboise (AQUI ), nada menos que 5.000 novos e-mails do Cimategate foram divulgados na última segunda-feira, dia 22 de novembro. Como diz a jornalista, não é nada lisonjeiro o que se vê por cima dos ombros dos cientistas carbofóbicos. 

AQUI voce pode ler centenas de comunicações entre cientistas tratando do clima. Algumas como esta:

"Você concorda que não há nenhuma evidência convincente para a geleira do kilimanjaro 
derreter devido ao aquecimento recente (e muito menos pelo aquecimento de origem humana?"

Fora com os fichas sujas!

No link abaixo matéria de O GLOBO, publicada pelo Noblat, informando que a Assembléia Legislativa Estadual do Rio de Janeiro aprovou projeto que impõe a ficha limpa para todos os ocupantes de cargos públicos em qualquer dos três poderes. Ai está uma medida que merece aplauso e reaplicação em todas as outras unidades da federação. É quase uma contingência da Lei Ficha limpa. Se não pode ser candidato a governador, não pode ser nomeado Secretário, por exemplo. Infelizmente muita gente está dando uma de migué e deixando a onda passar.

A Lei não garante a honestidade de ninguém que seja nomeado mas tira de circulação nos órgãos públicos figurinhas fáceis que fazem carreira e fortuna saqueando o estado. Alô, Moisés Diniz, está ai uma boa causa.

APENAS FICHA LIMPA EM CARGOS PÚBLICOS (NOS TRÊS PODERES)

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Anton Uriarte e a empulhação do aquecimento global



Quer saber a verdade sobre o Clima? Leia o livro (disponível AQUI) do cientista espanhol Anton Uriarte. De sobra, veja alguns vídeos a partir do que está acima. As informações retirei do site cético EcoTretas.

domingo, 20 de novembro de 2011

Sigilo bancário não diz nada. Há tempos os corruptos esqueceram a porta do banco.

Uma das maiores barrigadas quando se trata de uma investigação envolvendo gente graúda é a tal "quebra de sigilo bancário". Alguém acha que um sujeito que chega ao cargo de governador, de ministro e outros do mesmo nível, vai deixar rastro em sua conta bancária? Insistir nessa bobagem é querer passar certidão de honestidade ao corrupto investigado. Essa gente não deposita a grana ilícita na mesma conta em que recebe o salário, só se for muito abestado e abestados não chegam no topo.

Conheço gente de muito menor estatura que esconde a grana roubada em nome de filhos, irmãos, pais e parentes e mantém a própria conta no vermelho. Dá pena ver o extrato da conta daquele sujeito que de leso não tem nada. Contratos de gaveta, laranjas, fazendas e gado sub-declarado... tudo isso e muitas outras formas fazem parte do arsenal estratégigo desses ladrões. Por isso, o Agnelo Queiroz bate palmas para a quebra do seu sigilo bancário, por isso o Orlando Silva nem pestanejou em liberar ele mesmo o seu sigilo. Não leva a nada.

sábado, 19 de novembro de 2011

Peidei, mas não fui eu!

Lupi descendo de avião de que não se lembra, cujo proprietário nunca viu, em viagem que esqueceu.


quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Lupi sifu!

Parece que enfim o pé vai na bunda do minstro do trabalho. Mentir é feio. Se for em audiência na Câmara dos Deputados, é horrível. Se for para a presidente da república é suicídio. Foi o que se deu. Enredado em justificativas tortas, o lobo velho que de carregador de malas do Brizola virou ministro do trabalho em um governo que não se pode elogiar pela qualidade dos ministros está com os dias contados. A cada dia uma nova acusação, algumas com direito a imagens e audios. Uma vergonha.

Desconfio que agora a própria imprensa vai dar um tempo ao governo federal. Talvez se concentre no anjo do DF, afinal ministro roubando deve ser notícia, não pode ser banalizado, senão as proprias revistas e jornais perdem leitores. Quem se interessa por noticia rotineira? A dona Dilma deveria aproveitar de fazer logo aquela reformazinha, botando pra fora uns e outros que ela bem sabe andaram deixando rastros por ai e botando pra dentro gente nova, de preferência gente com nome e capacidade reconhecida. Estamos cheios de ministro de quinta categoria.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Arquibaldo Antunes foi vítima de um estelionato moral.

Conheço o jornalista acreano Archibaldo Antunes há muitos anos. Estivemos juntos várias vezes enquanto partilhávamos o mesmo projeto que para nós era político, de transformação, de realização da capacidade produtiva do Acre mas que, aos poucos, foi se revelando uma fraude, um projeto pessoal de um ser desprezível, arrogante e manipulador, cujo único objetivo é o enriquecimento, já que para ele o dinheiro substitui com vantagens o conhecimento, a cultura, o saber, a reflexão criativa, acúmulos do qual é solenemente incapaz.

Arquibaldo Antunes é, todos sabem, um exímio redator. Sua pena talvez seja a mais hábil e interessante entre os jornalistas acreanos. Possui uma inteligência rara, nutrida pela leitura e observação crítica dos fatos. Talvez paradoxalmente é, também, um crédulo. Por muitos anos emprestou sua elaboração à perspectiva de um projeto que necessariamente tinha um líder e uma interlocução política com a sociedade e, para isso, não mediu esforços. Tomou partido, foi contra a corrente, se indispôs, quebrou pontes. Em alguns momentos renunciou à carreira, ao trabalho formal, aos colegas de profissão e dedicou-se de modo quase solitário a sustentar no verbo escrito, na assistência intelectual, na assessoria direta, um discurso e uma estratégia política. Foi enganado.

Arquibaldo foi vítima de um estelionato moral. O que é isso? Explico. A correspondência privada de afinidades e atitudes, a demonstração de afeição, admiração etc., pertencem ao campo da moral, fazem parte do que conhecemos como amizade e, em seu nome, favores, concessões e mesmo sacrifícios são pedidos e oferecidos. Quem não é capaz de se sacrificar por um verdadeiro amigo? Quem não é capaz de ser generoso quando se trata de ajudar ou socorrer um amigo? Pois é. Infelizmente há gente que ardilosamente identifica essa capacidade nas pesssoas para explorá-las em benefício próprio. De um Arquibaldo é capaz de arrancar a melhor idéia, a melhor elaboração, o melhor texto, tudo em nome de uma suposta amizade, já que a remuneração, quando há, é irrisória, afinal está-se tratando de "amigos". O crédulo nem nota a exploração de que é vítima até que ela se revela com toda crueza como estelionato -  a amizade oferecida é vazia como um cheque sem fundos.

Há neste contexto outro aspecto que precisa ser explicado. Os avarentos e exploradores da boa fé alheia precificam a amizade. É o seu caráter mais desumano e calhorda. O Arquibaldo foi precificado, não o seu trabalho, pois se de trabalho se tratasse este teria sido corretamente avaliado, negociado e pago desde o inicio. Ao dispensar ao jornalista o tratamento mesquinho e pulisânime o estelionatário fez um cálculo e concluiu que lhe dar as costas era financeiramente mais vantajoso. Outros Arquibaldos sempre há por ai, pensou o oportunista. Melhor ainda se puder desqualificá-lo, se puder diminuí-lo profissionalmente.

Não. Pode parecer, mas não sou um amigo em defesa do Arquibaldo. Não privo de sua companhia, nunca fui na sua casa, nunca saimos para beber juntos, não conheço seus filhos (nem sei se os tem). O Arquibaldo tem a minha admiração como intelectual e jornalista e tem a minha solidariedade.

O lobo ministro não sabe a diferença entre ladrar e ladroar.

O lobo instalado no minsitério do trabalho onde a maior ocupação é azeitar o fluxo de verbas para centrais sindicais e ONG's resolveu botar a cara a tapa. Deu uma de Zagalo "voces vão ter que me engolir".  Engraçado que o velho Zagalo também era Lobo (Mario Jorge Lobo Zagalo), so que neste caso, era lobo do bem.

Lupi pegou corda do deputado paraense Geovanni Queiroz  e , de sobra, enquadrou a presidente Dilma. "Não saio e ela não me demite porque me conhece e eu a conheço bem". Será? Ficou no ar uma ameaça.

Tudo bem que a dona Dilma, ex-brizolista, tenha antes de entrar no governo cruzado com o Lupi quando este carregava a mala do Brizola, mas será que conhece o que faz o Lupi no ministério? Se conhece bem como este afirma, significa que suas estrepolias não são novidades pois que elas existem parece claro.

Penso que a melhor coisa seria a dona Dilma dar logo um pé na bunda do falastrão. Ele vai ficar ladrando bobagem até ser arrastado por novos fatos, novas denúncias, ou pela abertura de inquérito da PGU como aconteceu com o Orlando Silva. O PDT de Reguffe, Cristovam Buarque e Pedro Taques não lhe faltará.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

O lobo pronto para a degola. Depois vem o anjo. Depois vem o...

O quase ex-ministro Lupi decidiu seguir a orientação do Lula e disse que não se acovarda, que vai resistir, que tem o casco duro etc. etc. etc. Nada mais do que disseram os outros que caíram antes dele. Enquanto isso gente do seu proprio partido lhe dá as costas e pedem apuração. Tem um deputado do DF, Reguffe, campeão de votos nas últimas eleições pelo PDT, que não se permite defender corruptos. Fez carreira apenas com essa nota - combate à corrupção - e, certamente, não pretende jogar fora seu capital político. Vai baixar o pau no colega trabalhista. O mesmo se diz do Senador Pedro Taques. Enfim, o lobo não tem saída.

Em outra raia, aparece na corrida ao cadafalso, o governador Agnelo Queiroz, petista novo, ex-comunista do B, de quem muita gente é um pote até aqui de mágoa. Agnelo foi eleito porque em Brasília, pasmem, se ecolhe o menos ruim. Apesar de ter o maior nível educacional do país, a maior renda per capita, o melhor nivel de vida, o DF tem a pior política. Seus deputados não serviriam para serem vereadores em um município razoavelmente sério. Gente desqualificada se situa entre policiais corporativistas e evangélicos de meias largas. Vez por outra aparece um empresário corrupto e corruptor como diria um velho político acreano. Este é o perfil dos políticos do DF. Com base nisto, qualquer Agnelo (médico) parece bom.

Desconfio que essa história do Agnelo vai render.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Se gritar pega ladrão...

Tem ministro com a corda no pescoço. O da semana é Carlos Lupi, do PDT. De novo é a imprensa a escarafunchar e publicar o rol de malandragens do ministério do qual o PDT se apoderou depois que morreu o Brizola. Lupi não era nada, não passava de um mequetrefe que Brizola encarregava de lidar com a burocracia partidária. Com a morte do caudilho, ele tomou conta do partido e entregou-o ao governo em troca do MTE onde gente como Paulinho da Força e outros da espécie fazem carreiras e fortuna.

A sua relação com as centrais sindicais e ONG's (sempre elas) é fedorenta. Todos já estavam cansados de saber que a qualquer momento aquele tumor estouraria. Não surpreende que a corda esteja apertando o pescoço do ministro. O que está pegando é a rotina de cabeças rolando, já que será o sexto em menos de um ano a cair por causa de corrupção. Será que não tem ninguém honesto na esplanada? PQP! Sinceramente, não quero me acostumar com isso. Do jeito que a coisa anda, logo logo queda de ministro ladrão deixará de ser notícia.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Antes da tempestade...

Semana boba. O câncer de Lula, Dilma no exterior, a invasão dos maconheiros à reitoria da USP, o imbrólio do ENEM, a desistência forçada da Marta à prefeitura de São Paulo, Aldo Rebelo prometendo salvar o Ministério dos Esportes das ONG's, dia de finados, nenhum escândalo novo, nenhum Ministro pego traquinando. Só o ex-Ministro Agnelo Queiroz flagrado em conversas impróprias. Quem diria, o mestre dele é o soldado de policia que detonou o Orlando Silva.

Convenhamos, o mestre fez um bom trabalho já que o aluno ex-comunista virou governador do DF, o que não é pouca coisa. Talvez, se as investigações prosperarem, Agnelo tenha o mandato ameaçado e vá fazer companhia ao Arruda entre a cadeia e o Fórum. Motivos certamente não faltam, o que falta é pressão já que escorado no novo partido Agnelo tem costas mais largas a sustentá-lo. Aguardemos.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Olha o frio ai, gente!

O frio de rachar que chegou ao Sul e Sudeste fora da hora programada, assim como nos EUA onde tem gente morrendo e milhões de pessoas não conseguem sequer chegar ao trabalho com tanta neve. Deve ser mais um daqueles sinais de que o "aquecimento global" não está para brincadeira.

AQUI tem uma noticia do Jornal do Brasil sobre a nevasca nos EUA. Não sei se vocês já perceberam, quando a noticia é de calor no deserto ou nas savanas africanas, sempre aparece a opinião de um "especialista"relacionando a desgraça com a gasolina que você põe no carro ou com o bife que você comprou no supermercado. A culpa é SUA seu carnívoro insensível! Seu gastador de combustível fóssil! Mas quando a noticia é de que o frio está rachando em lugar e intensidade não programados pelos computadores do IPCC, parece que é obra do acaso. Não é engraçado?

Fim de ano tá chegando e se as coisas continuarem neste ritmo, teremos um Natal com tanta neve que os veadinhos do Papai Noel vão fazer greve e ficar em casa vendo o blim blem pela TV. Aguardem.

Lugar do Lula é no Sírio Libanês. O resto é inveja de liso.

Tá rolando uma confusão danada nos blogs e redes sociais sobre a doença do Lula e o SUS. Alguns provocam, a título de questionar a eficiência do sistema de saúde, o presidente ser atendido no melhor e mais caro hospital brasileiro. Uma bobagem.

O presidente Lula é hoje um homem suficientemente endinheirado para pagar o próprio tratamento ou de quem quiser, nos melhores hospitais do mundo. Aliás, acho que qualquer hospital faria isso de graça, só pela imagem do Lula por lá. O fato de ter sido presidente e responsável pela qualidade da saúde ofertada ao brasileiro comum (ele chegou a dizer que estava próxima da perfeição) não o obriga. Sabemos todos que o Lula nunca foi dado a comedimentos. Falou besteira a rodo. Esta foi apenas mais uma entre tantas. Se ele fosse cobrado por todas elas não faria outra coisa além de se explicar. Compreendamos que o Lula é o Lula. Adquiriu junto ao povo brasileiro inimputabilidade plena por palavras e atos, portanto, não é porque disse que o SUS é maravilhoso que tem que ir pra lá e se arriscar a ficar mudo de vez, no mínimo.

Então, deixemos o "cara" se tratar, e torçamos para que fique restabelecido. Quem tiver dinheiro que vá para o Sírio Libanês ou Albert Einstein, quem não tiver que se lasque no SUS. Cest la vie.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Maconheiros querem derrubar o reitor da USP

O bicho tá pegando na USP - Universidade de São Paulo. Aquela que deveria ser o maior centro de inteligência do Brasil está aos poucos se transformando em criadouro de maconheiros e mercado livre para traficantes de drogas. Uma praga que se alastra de sul a norte sob a presunção de que a Universidade é território vedado à presença de policiais. Na UNB é a mesma coisa. Um grande equívoco.

Queiram ou não, a Universidade tem uma missão fundamental - gerar e transmitir conhecimento. Quem vai lá deveria estar ciente disso. Há, porém, uma turma que pretende transformá-la em campo onde a liberdade serve, prioritariamente, à ociosidade, ao debate estéril, à militância partidária e ao uso e tráfico de drogas.

Os garotos da classe média e os riquinhos que conseguem acessar a universidade pública querem alvará para delinquir. Quando a polícia aborda um veículo e prende portadores de droga ilícita, a meninada chia. Quando um traficante que foi lá servir um nóia assalta, estupra e mata (já aconteceu milhares de vezes) dentro do Campus, é falha do governo, a sociedade vai em cima, reclama providências.

A meu ver, quem deveria responder se a policia deve ou não estar presente na USP ou em qualquer universidade, além dos professores e funcionários, são os pais dos alunos que, ao cabo, é quem sustentam uns e outros.

Aldo Rebelo vem com um espanador. Assim seja.

Da Coluna do Claudio Humberto.



27/10/2011 | 19:40





Aldo vai fazer a limpa no ministério

"O novo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, vai tirar gradativamente, até o fim do ano, toda a equipe auxiliar do ex-ministro Orlando Silva em todas as diretorias e secretarias da pasta. Aldo vai buscar outros técnicos no próprio ministério e no mercado, adiantou fonte do PCdoB ligado ao ministro. Mais cedo, Aldo informou que não haverá, por ora, nenhum contrato mais com ONGs, e que todos os que estão em andamento passarão por pente fino."


Embora não seja fácil, não duvido que o novo ministro cumpra a promessa e passe o espanador nas mesas do ministério onde os camaradas dividem a renda do jogo. Em primeiro lugar porque o seu partido precisa dizer que não tem compromisso com a gatunagem, em segundo porque certamente quer preservar o capital ético que possui perante a sociedade, em terceiro porque é o único capaz de redimir os comunistas do B pois o partido não tem outros nomes à altura - se ele falhar o partido perde o ministério.

Por outro lado, corre o risco de alguém achar que desse jeito, sem a turma mandando, sem a ONG faturando, sem o partido enchendo as burras é melhor não ter ministério. Faz todo sentido se dermos uma olhada geral na esplanada. Afinal, não estão todos, de um modo ou de outro, operando em benefício próprio?

Torço por Aldo Rebelo. Se cumprir o que promete é até possível que produza efeitos pedagógicos e outras pastas atualmente entupidas de ONG's traquinas venham à vitrine. Não pensem que os esportes são a única fonte onde bebe essa gente. Elas estão espalhadas em toda a esplanada e em alguns ministérios talvez até com mais força do que nos esportes onde eram clientes. Há casos em que elas são patrões.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

No time de Aldo Rebelo, ONG não fica nem no banco. Bom jogo!

Dona Dilma resolveu deixar de aldo a rusga com o Aldo Rebelo por causa do Código Florestal e o convidou para o Ministério dos Transportes. Covenhamos, era o único no PC do B com biografia sufientemente limpa e estatura para o cargo. Foi um bom Presidente da Câmara dos Deputados, foi ministro anteriormente, tem prestígio na oposição, negocia nos seus termos, assume convicções e, ao julgar pelo comportamento que teve como relator do Código Florestal, não cede a pressões dos politicamente corretos. Está de bom tamanho.

Um bom sinal logo de inicio é a declaração de que não quer negócio com ONG no Ministério dos Esportes. Vamos ver o que vai fazer com os negócios e negociatas que já estão em andamento por lá. Desmanchar aquele ninho de ongueiros já seria uma belíssima tarefa, pois poria em crise o método Agnelo-Orlando de desviar nossa grana. Parece que de tanto lidar com as questões ambientais, Aldo Rebelo ficou com nojo de ONG's.

Fora isso, é a Copa e as Olimpíadas. Desconfio que na frente do Aldo Rebelo o Ricardo Teixeira não vai cantar de galo. Com forte sentimento nacionalista, Aldo não vai nem querer discutir o afrouxamento da legislação para satisfazer interesses comerciais da turma da FIFA. Vamos acompanhar. Por enquanto penso que foi a melhor substituição que a dona Dilma fez até hoje.

Elder Andrade - uma voz a ser ouvida.




Conheci o Professor Dr. Elder Andrade lá em 1984, quando juntamente com outros jovens técnicos acreanos da época (Mauro Ribeiro, Raimundo Araújo, Tristão Cavalcante, Raulino e outros) frequentamos um Curso de Especialização em Planejamento Regional. Entrávamos num processo de formação de quadros para implantação de projetos de desenvolvimento rural. Desde então, embora raríssimas vezes tenhamos nos encontrado, sempre que tenho oportunidade acompanho seu pensamento e suas elaborações. Muitas vezes concordamos. Lembro de uma em que os projetos agroflorestais ao redor de Rio Branco foram comemorados como uma nova e criativa reforma agrária (basta ver os jornais da época). Em palestras e artigos refutei, contra a onda, aquela presunção. Elder foi dos poucos que me acompanhou. Seu espírito inquieto nunca se deixou capturar pelo politicamente correto ou por marés de popularidade que sabem os mais experientes são sempre passageiras.

Embora com lógica diferente, assim como eu o professor Élder Andrade é um crítico severo do modelo apresentado com facilidade a olhos ignorantes como sustentável. Sabe que por trás de tudo que se apresenta como alternativa para a Amazônia, apenas se move, sem alterar minimamente as próprias bases, o capitalismo.

Em sua entrevista recente à Eco Agência (link acima), deixa claro. "... as políticas climáticas e a economia verde não enfrentam os problemas estruturais que geram as mudanças climáticas no mundo, como, por exemplo, o atual padrão da civilização capitalista, denominado por um consumo crescente de mercadorias, que demandam mais e mais energia, e a concentração de renda que acompanha esse movimento". Concordo em parte. E explico:

Como sabem os que me lêem, não acredito que as mudanças climáticas sejam geradas pelo "padrão de consumo da civilização capitalista". O que o padrão gera é a escassez relativa ao aumento do consumo. As mudanças climáticas que, aliás, historicamente sempre existiram, só entra na conversa para dar sustentação ao discurso da administração das expectativas das nações pobres.

Sobre a economia verde, Elder assinala com exatidão. "Essas pessoas passam a ganhar dinheiro com o discurso de que conservarão o planeta, seja através de documentos diversos, como a comercialização dos créditos de carbono, serviços ambientais. Enfim, todas essas políticas que são vendidas como a salvação dos problemas climáticos." É isso ai. Faltou dizer que essa gente também ganha fama e prestígio.

Élder parece acompanhar os que questionam a ideologia do desenvolvimento. É como perguntar "que desenvolvimento"? Autores muito próximos de nós brasileiros como Ignacy Sachs já apontavam para esta questão há 30-40 anos. Quando dizia que não há um modelo pret-a-porter de desenvolvimento, Sachs  estava negando a replicação de padrões de consumo, de expctativas, de modo de vida. Infelizmente, a realidade parece estar contra ele. Não pensemos que a "primavera árabe" é apenas um grito de liberdade contra ditadores sanguinários. É sobretudo a abertura de novos mercados. Cada mulher que no Iemen queima seu véu, sonha com uma maquiagem Victoria Secret.

Em sua crítica às políticas para a Amazônia, Elder se refere, entre outras, à Lei de Concessão de Florestas Públicas. Mais que qualquer outra, esta deveria ter o nome de Lei Marina Silva, dado o esforço da então Ministra para sua aprovação. Acompanhei de perto os debates, assisti várias audiências públicas, li diversos documentos. O mantra preferido da Marina "Precisamos valorizar a floresta em pé" era música para os ouvidos das madeireiras. O capital estava, através da Lei de uma ambientalista renomada, apropriando definitivamente a Amazônia.

Segundo Elder, "Todas as famílias que vivem do Projeto de Assentamento Agroextrativista Chico Mendes estão cadastradas no programa Bolsa Família, apesar de praticarem o manejo comunitário de madeira há quase uma década". Quer dizer, estão situadas abaixo da linha de pobreza. Uma vergonha, seguramente, mas uma situação que não surpreende quem consegue olhar a floresta e seus atores internos e externos sem as viseiras do engajamento político-partidário.

Recomendo que leiam a entrevista e prestem atenção ao pensamento e elaboração do Professor Elder Andrade. É claro que não tenho a esperança de que sua crítica altere o andar da carruagem, principalmente porque em determinados centros de decisão o que menos se admite é voz discordante. A política tem o condão de criar ouvidos seletivos, ou seja, aqueles que só escutam aplausos e bate-paus. Mesmo assim, que sirva de alento aos que ousam pensar.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Orlando se foi, mas é preciso faxinar o método.

Como todos esperavam, caiu o Ministro dos Esportes.  Tem mais. Se conheço a estrutura de governo, não aposto um tostão furado na longevidade do interino. Por um motivo simples. Nada acontece em qualquer Ministério que não passe pelo Secretário-Executivo. Orlando, aliás, era o secretário do Agnelo Queiroz, hoje governador do DF que foi, afinal, quem instaurou o método comunista-ongueiro de desviar nossa grana. O interino logo vai ser alcançado por denúncias e delações.

Tem comunista na fila aguardando a decisão da dona Dilma. Fala-se no Aldo Rebelo que me parece o único com o tamanho que o cargo exige. O problema é que andou se arranhando com a presidnte por causa do Código Florestal. Fora ele, o PC do B não tem quadros à altura. O que vem por ai nos próximos anos não é para amadores. De qualquer forma, seja ou não Aldo Rebelo o próximo ministro, importa saber é se na mochila com que deixou o Ministério o Orlando carregou o método.

Penso que a dona Dilma deveria aproveitar o momento para faxinar o modus operandi da turma instalada nos postos de comando. Por exemplo, poderia mandar fazer uma auditoria em TODOS os convênios com ONG's, verificar um a um o cumprimento das metas, apurar os preços praticados, os prazos, as contrapartidas e assim por diante. Só assim se poderia restaurar minimamente a confiança no Ministério dos Esportes.

Pelo Voto Distrital

O manejo florestal tem limitações e as empresas não são instituições de caridade.

Na celeuma em torno do projeto de manejo da reserva Antimary, no Acre, é bom que se tenha cuidado para preservar o manejo florestal como técnica de produção de riqueza com baixo impacto ambiental. Não conheço os detalhes da execução do projeto especificamente, mas conheço de manejo o suficiente para afirmar que como sistema de exploração tem boas possibilidades econômicas e deve ser prestigiado dentro de suas condições. Neste ponto o secretário Edvaldo Magalhães está certo.

O problema é que no Acre quase tudo que aparece vem com um estandarte à frente, como se fosse uma revolução em marcha, como se fosse A SOLUÇÃO de todos os problemas, como se fosse produto de mentes extraordinárias capazes de transformar rápida e definitivamente a realidade local e promover a felicidade das pessoas. Nada é assim. Nada é referência, nada é exemplo para o mundo, nada é mágico. Tudo é processo, construção, tentativa sujeita a erro.

O manejo florestal é interessante, produz riqueza, gera arrecadação de impostos e dinamiza a economia, mas tem seus limites e possibilidades. Cumpre um determinado papel, mas não o de distribuir justamente a riqueza produzida. Não esqueçamos que se trata de exploração por empresas capitalistas que obviamente visam lucro. Máximo lucro. Quem prometeu que os moradores da reserva teriam partes justas da renda gerada devia ter fundado uma cooperativa ou algo do gênero.

Por outro lado, como se trata de concessão, é necessário que as condições contratadas sejam rigorosamente cumpridas de parte à parte. A empresa privada e o poder público estabeleceram determinadas condições que protegem o morador da reserva, a biodiversidade, a integridade da floresta... enfim, uma série de providências que não podem ser negligenciadas, sob pena de rompimento do contrato ou sanções contra a empresa. Que o curso normal das coisas seja seguido, mas não se espere do manejo a redenção do Acre. Seu alcance social é limitado.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

A maioria das ong's é séria?

Em artigo publicado hoje em O GLOBO, link do J. Bastos Moreno abaixo, o presidente da ONG Comitê para Democratização da Informática, Rodrigo Baggio garante que:


É nada. A grande maioria é fajuta, inoperante, tem dono ou serve a interesses pessoais e políticos de gente de igual espécie. Se das 340 mil ONG's que ele admite existirem, a maioria fosse séria, as coisas não estariam como estão nos campos da educação, da segurança, da saúde, do meio ambiente etc. etc.

Basta ver os números. Dá quase uma ONG para cada 500 brasileiros incluindo crianças e velhos, sendo que a maioria nem sabe o que é isso. Alguém acredita que um troço que existe às centenas de milhares pode ser sério na maioria? Nem aqui nem na China.

Toda ONG é vagabunda? Claro que não. Há por ai algumas que merecem crédito, que não servem à politicagem, que não vivem penduradas no dinheiro público, que não dão emprego à pilantras. Mas são poucas.

Por outro lado, as ONG's só se multiplicam feito piôlhos porque o governo não cumpre o seu papel. A cada vazio de atuação do poder público surge um esperto pronto para fundar uma ONG, apresentar um projeto e arrancar uma grana do governo. A prestação de serviços correspondente ninguém sabe, ninguém viu. Não dá pra fiscalizar 340 mil ONG's, dá?

Se voce quiser saber se determinada ONG é séria comece perguntando quanto dos seus gastos é financiado pelo governo. Se for mais da metade pode desconfiar.



segunda-feira, 24 de outubro de 2011

A cartola por onde some o gado.

Na celeuma da evolução patrimonial dos políticos acreanos me chamou a atenção foi a subvalorização. Que o Moisés Diniz tenha aumentado várias vezes seu patrimônio não representa absolutamente nada. Se os dados forem corretos, é a declaração mais próxima da verdade que já vi, dado que a base (valor inicial) de cálculo era muito baixa. Se alguém tem uma casinha de 50 mil, quando comprar outra casinha de 100 mil já aumentou em 100%.

De lascar é um velho conhecido que possui (visível) casa confortável, apartamento em Brasília, latifúndio e milhares de cabeças de gado e apresenta um valor total ridículo, que não paga o apartamento. Parece que apartamentão virou quitinete, fazenda com milhares de hectares virou chácara e vaca virou galinha. Em termos fiscais é a mágica da sonegação, em termos políticos é a prática da mentira.

A tática de esconder o patrimônio tem muita serventia, principalmente para quem fez fortuna por meios ilícitos. Aquela verba idenizatória embolsada via "laranjas", aquele "por fora" da emenda parlamentar, aquela grana da empreiteira amiga, aquela "sobra" da campanha eleitoral... tudo fica escondido.

Penso que no caso dos ocupantes de cargos públicos a declaração parimonial deveria estar sujeita à avaliação de peritos da Receita Federal que, verificando subvalorização, poderiam solicitar retificação e aplicar multa sobre o valor sonegado, sem prejuizo de sanções na esfera da Justiça Eleitoral dado que se trataria de falsa declaração. Que tal? Será que assim o gado botava os chifres fora do curral? Fica a sugestão para que os deputados façam da idéia um Projeto de Lei. Vamos lá... Coragem!

sábado, 22 de outubro de 2011

Lama mole em casco duro tanto bate...

Seguindo instruções do ex-presidente Lula, o ainda ministro Orlando Siiva resolveu mostrar que tem o casco duro e promete resistir. Obviamente, até quando a dona Dilma resolver que com casco duro ou não tá na hora de faxinar a quadra onde o esporte favorito é enfiar a nossa grana no bolso e nas despesas do partido. Mais um que se vai enlameado pela chafurdagem no chiqueiro em que transformaram o ministério.

Quando vai chegar a hora? Não sei. Segundo alguns articulistas, deve ser quando a lama bater à porta do partido da dona Dilma trazida pelos pés do ex-comunista, o atual governador do DF Agnelo Queiroz, enrolado até o pescoço em malandragens já fartamente denunciadas na imprensa.

Casco duro nem sempre resolve. Desconfio que desta vez não é a dureza do casco que salvará o elemento. A receita que serviu para o Lula é personalíssima, não pode ser transferida. Orlando Silva já era.

Com a saída do seu ministro pelo esgoto o que fará o PC do B? Vai incendiar o pais com os meninos da UNE pré-paga? Vai mover uma luta dos trabalhadores contra a Veja? Vai nada. Vai estrebuchar um tiquinho  para a coisa não "pegar" no partido, depois fica quieto e tenta botar outro camarada no lugar, o que não será fácil, pois a esta altura do campeonato tem muito craque de outros times de ôlho na posição.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

The Delinquent Teenager, por Donna Laframboise

Donna Laframboise é uma fotógrafa, jornalista e escritora canadense que nos últimos tempos tem se dedicado a questionar o "consenso científico" sobre o aquecimento global antropogênico que preside todas as declarações e documentos do IPCC.

Semana passada ela lançou o livro The Delinquent Teenager: Who Was Mistaken for the World’s Top Climate Expert, an IPCC Exposé. Pode ser adquirido em PDF AQUI. Um trecho:

Tendo se transformado em um adolescente desagradável, o IPCC é agora um problema de todos. Isso é porque ele realiza um dos trabalhos mais importantes do mundo. Sua finalidade é fazer um levantamento da literatura científica sobre a mudança climática, para decidir o que isso significa, e para escrever uma série contínua de relatórios. Estes relatórios são informalmente conhecido como a Bíblia do Clima.

A Biblia do Clima é citada por governos ao redor do mundo. É a razão pela qual os impostos de carbono estão sendo introduzidos, contas de aquecimento estão subindo, e novas e caras regulamentações estão sendo promulgadas. É por isso que todos acha que as emissões de dióxido de carbono são perigosas. Simplificando: o planeta inteiro está em um estado de confusão por causa de um relatório da ONU. O que a maioria de nós não sabe é que, em vez de ser escrito por um método meticuloso, profissionais de alto nível, este relatório foi produzido por uma turma de "adolescentes" desleixados que tem dificuldade em distinguir o certo do errado.

Em sua resenha do livro, Jonathan Duhamel diz:

"Neste livro, a jornalista canadense Donna LaFramboise expõe o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas como uma fraude. LaFramboise passou dois anos investigando o IPCC. Ela diz que ele age como um adolescente mimado, daí o título do livro.

O IPCC tem sido apontado como a autoridade preeminente sobre a ciência do clima. Mas LaFramboise mostra que os participantes foram escolhidos pelos governos, não por seus conhecimentos científicos, mas por suas conexões políticas. Muitos dos cientistas são, de facto, muito jovens estudantes de pós-graduação. Muitos dos burocratas do IPCC são de grupos radicais do meio ambiente. Verdadeiros especialistas são muitas vezes ignorados. Ela diz que o IPCC é uma organização puramente política, não uma teoria científica, e ela faz o backup de suas acusações com referências copiosas."

Aos poucos mais gente criteriosa vai se dando conta do monumental engôdo em que estamos nos metendo.

Kadafi

As imagens que correm o mundo na internet são chocantes. O ditador líbio, que alguns por aqui tinham como amigo e irmão, foi pego vivo, torturado e executado por um grupo de guerrilheiros frenéticos. Não são imagens de luta, de troca de tiros, nada disso. O corpo de Kadafi era um molambo nas mãos daquela gente. Em declaração à imprensa os novos líderes líbios disseram que o ditador foi morto em uma troca de tiros. Como poderia?

A morte de Kadafi se deu de modo atroz e serviu para revelar um pouco da natureza humana. A cena em que o grupo, formado majoritariamente por jovens, exibe o corpo sem vida é degradante. Apesar de se tratar de Kadafi, não consegui deixar de olhar aquelas pessoas com um misto de nojo e decepção com a espécie.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Quem com João Dias se mistura...

O PC do B aproveitou o programa eleitoral para fazer a defesa do Ministro Orlando Silva. Colocou-se como o partido da ética e acusou uma tentativa de emporcalhar o partido. No geral o texto foi paupérrimo. Clichês no balde e canastrões em cena.

Não entendi foi a acusação contra o delator. Pareceu que o amiguinho de outrora faria parte de uma conspiração contra o PC do B. Fala sério. Nem que João Amazonas e Luis Carlos Prestes viessem juntos de onde estão fariam o PC do B gerar uma ação conspiratória de quem quer que seja. Não tem essa importância.

Outra coisa. Todo delator é deplorável, mas se não existissem os malfeitos não seriam descobertos. É claro que o João Dias não vale nada, mas queriam o quê? Queriam que o delator fosse a Madre do convento? Gente séria não delata. Gente séria não se envolve em esquemas de corrupção.

ONG's

Nunca dei muito crédito à ação das entidades genericamente chamadas de ONG's. Em primeiro lugar, porque elas são falsamente não-governamentais, já que na grande maioria recebem direta ou indiretamente recursos do GOVERNO. Em segundo, porque muitos de seus membros são servidores públicos que dedicam a maior parte do seu tempo às suas ONG's, embora sejam pagos pelo GOVERNO. Em terceiro, porque como pagador de impostos quero GOVERNO na saúde, na educação, na segurança... Não pago imposto pra ONG. Em quarto, porque no mais das vezes as ONG's se dizem representantes de quem não lhe deu procuração nenhuma para representá-lo.

Se tudo isso é verdadeiro, imagine quando as ONG's se misturam a partidos e sindicatos para assaltarem os cofres públicos. Infelizmente o Brasil está cheio delas. Grandes e pequenas, em todos os setores, em todos os temas, contaminando a administração pública, solapando a democracia e fazendo a fama, prestígio e fortuna dos espertos que as dirigem.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Jogador contundido só atrapalha.

O time está em campo, o jogo correndo, muita firula, placar indefinido, nem um quarto do tempo se passou, a treiandora já fez 5 substituições (uma a pedido), ai vem um dos atacantes leva uma porrada daquelas. Dai pra frente apenas se arrasta em campo. Capengando, não corre mais atrás da bola, os adversários vendo o drama ficam no seu calcanhar. Cada bola, uma dividida. O jogador sente mas não quer sair do time, acha que se recupera. E o tempo passa...

Na beira do campo a treinadora já começa a dar sinais de insatisfação. A torcida começa a xingar. Cadê a vassoura??? A treinadora é solidária, por enquanto. Não quer acabar com a carreira esportiva do jogador. Além disso, o dono do passe tem que ser considerado, dívidas a pagar... Não é fácil substituir o jogador machucado. A não ser que ele mesmo peça pra sair.

Vai lá, Orlando. Diz que vai fazer o número dois e se manda.

domingo, 16 de outubro de 2011

Mais um a caminho do cadafalso.

Não é de hoje que em Brasilia até quem não sabe de nada sabe que no Ministério do Orlando Silva o esporte preferido é passar dinheiro nosso para as ONG's amigas, muitas delas de fachada mas com um ralo enorme por onde a grana some.

Causa estranheza é que somente agora tenha sido levada a público a roubalheira que por lá ganha de goleada. Não duvido que tenha sido por causa da Copa do Mundo. Tem muita gente achando que é muita areia pro caminhãozinho do Orlando. Com tanto dinheiro envolvido, gente da própria base, de ôlho no cargo do Ministro, pode ter facilitado as coisas. Além disso, a Veja precisou de tempo para convencer o capanga do Agnelo a abrir o bico.

Importante é que mais uma vez a imprensa vem fazendo o trabalho que os órgãos de contrôle(?) não fazem. Ainda bem.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Marcha contra a corrupção. O pavio está aceso.

As marchas contra a corrupção que aconteceram ontem em algumas das principais cidades brasileiras são um alento. Não são a nossa primavera, infelizmente. É que no nosso caso as organizações da sociedade que poderiam conduzir a luta contra a corrupção, leia-se a UNE, as centrais sindicais e outros movimentos populares, estão é se defendendo. Penduradas nas tetas do governo, tornadas pelegas por lideranças políticas, transformadas em aparelhos partidários, não podem entrar em tal contradição. Acusar o patrão de corrupção seria demais.

De todo modo, contextualizado como expressão autêntica, não corportativa e espontânea da população, deve ser comemorada. Talvez até mais do que imaginamos. Não é fácil tirar conclusões a respeito desse movimento já que os mecanismos de aferição existentes não estão calibrados para algo tão especial. Se fosse uma manifestação daquelas custeadas pelo governo através de certas organizações se poderia dimensioná-la e fazer comparações numéricas. Não é o caso. Os poucos milhares de pessoas que sairam de casa no feriado para fazer um protesto autêntico podem ser representativos apenas de si mesmos ou de milhões de pessoas que resolveram ficar em casa ou cumprir outro programa. Não se sabe.

Importante é que está acontecendo e isso tem um simbolismo extraordinário. A sociedade brasileira está atenta. Escorregões do governo na questão ética serão menos tolerados daqui em diante porque o pavio da indignação está aceso e pode levar a um alastramento incontrolável. Não abusem.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Dia do Engenheiro Agrônomo do Acre.

É comum que as profissões tenham um dia no ano para comemorarem como seu. Hoje é o Dia do Engenheiro Agrônomo. Parabéns a todos eles, eu no  meio.

A comemorar, principalmente, o papel que desempenhamos no Brasil, na geração, desenvolvimento e aplicação de conhecimentos que nos transformaram em um dos principais produtores de alimentos do mundo. A despeito das críticas de alguns setores, estamos paulatinamente ganhando produtividade e criando alternativas que procuram respeitar o meio ambiente, mas não renunciam à missão de gerar segurança alimentar para a sociedade.

Em alguns estados brasileiros submetidos a uma visão dita moderna de supressão da vocação agrícola em favor de processos atrasados de exploração direta da base natural, ser agrônomo, funcionar como agrônomo, levar a termo a tecnologia agronômica é quase um insulto. Estes agrônomos mais que outros merecem a nossa consideração e homenagem.

No Acre, para onde dirijo cotidianamente minha atenção primeira, os esforços no sentido de estabelecer uma base agrícola mínima vem se dando ao longo dos últimos anos em uma espécie de cabo de guerra. Até juízes se insurgem contra o cultivo da terra. Nada mais tosco e atrasado.

Mesmo assim, há os que resistem. Pertenço a este grupo. É cada vez mais evidente os termos em que se basearam os formuladores da política do "aqui não pode" só sustentaram, por algum tempo, carreiras políticas. Como propulsores da economia fracassaram redondamente. Emboram não saiam de suas casamatas para peitar uma discussão séria sobre o desenvolvimento do Acre, sabem seus autores e prmotores que perderam. Infelizmente o Acre perdeu junto.

No dia do agrônomo quero reverenciar especialmente os agrônomos do Acre. Sem citar nomes, homenageio cada um que se mantém consciente de sua missão. Que sejam mais ouvidos e mais valorizados. Que falem e se apresentem. Que não tenham medo de confrontar os ratos de seminários ecológicos. Eles estão tontos, não sabem para onde ir.

Parabéns a todos voces agrônomos do Acre.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

A Carta do Acre. Voces não viram nada.

No Blog do Altino (link ai do lado) se pode ler o inteiro teor da Carta do Acre, assinada por várias organizações. Algumas são acadêmicas, outras são populares, todas, porém, de algum modo ligadas à causa ambiental. São, por assim dizer, militantes ambientalistas que reunidos em torno de um tema "Serviços Ambientais, REDD e Fundos Verdes do BNDES: Salvação da Amazônia ou Armadilha do Capitalismo Verde?" resolveram publicar suas principais preocupações e conclusões.

De inicio é bom reconhecer o mérito de haverem se reunido para ao invés de baterem paus para o modelo, realizarem uma crítica. Se consequente, o futuro dirá. Pelo menos falaram, o que já é uma boa novidade.

A julgar pela Carta, os participantes deram uma olhada no passado recente, visitaram experiências concretas do modelo em vigor, exploraram regulamentações, analisaram os mecanismos implementados pelo estado e concluíram que estamos sob o domínio do "capitalismo verde". Bidu.

O que pensavam antes desta reunião? Que encontrariam no Acre uma experiência revolucionária de rompimento com o capitalismo e realização do bem comum sob a égide de um novo sistema? Tomaram a "florestania" ao pé da letra? Bom. Se foi isso, imagino o susto que levaram.

Lamento dizer, meus caros, mas do "capitalismo verde" voces só reconheceram a sombra. Sugiro, pra começar, a leitura da Tese de Doutorado de Daniela de Souza Onça. Todo o sistema que preside a discussão sobre o esgotamento dos recursos naturais incluindo a "igreja do aquecimento global antropogênico" é do capitalismo. Voce acredita que o capitalismo está levando ao colapso do planeta? Pois acredite em mais uma: Não há salvação fora dele. Pensam que a ONU-IPCC representa que interesses?

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Sobre o traidor ao seu lado.

"Somente aquele em quem voce confia pode traí-lo."

Acho que a frase acima ouvi pela primeira vez do meu avô. Faz tempo. É um tantinho tautológica, mas nem por isso menos verdadeira. Tomei-a emprestado várias vezes quando precisei alertar alguém ou a mim mesmo para as tentativas de aproximação ou para o comportamento de pessoas e grupos. Não adiantou muito. Ao final, fui eu mesmo vítima de quem confiei. É que a total segurança contra a traição implica não confiar em ninguém e, para meu gosto e desgosto, confiar faz parte de minhas fraquezas.

Observando o cenário político acreano, alguns comportamentos recentes e algumas reações de precaução, não pude deixar de lembrar a frase do meu avô e pensei: O traidor está agindo.

Porque é tão dificil identificar o traidor e se prevenir contra o ato traiçoeiro? Depois de alguma reflexão, posso dizer dele algumas características:

1. Incerteza - o traidor tem uma enorme capacidade de não gerar antagonismos insuperáveis. Ele não é absolutamente contra ou a favor. Ele é apenas relativamente, circunstancialmente, contra ou a favor. Isto lhe dá a condição (não precisa usar) de mudar de lado sem ser execrado.

2. Civilidade - o traidor jamais acusa frontalmente, jamais alude com termos chulos. Embora de modo privado esculhambe até a última geração do adversário, em público precisa manter a fleuma para que a qualquer momento possam sentar e acertar ponteiros.

3. Expectativas - o traidor não adianta concessões ou favores. Ele gera expectativas e as conduz enquanto for possível até que em algum momento seja obrigado a confirmá-las. Se não for conveniente, basta negá-las, afinal eram apenas expectativas. O otário que vá chorar sentado na calçada.

4. Espionagem - o traidor possui olhos e ouvidos na casa dos adversários. Ele procura atrair a confiança de assessores e amigos do adversário, cultiva essas amizades e, com isto, recolhe informações preciosas.

5. Dissimulação - o traidor tem como estratégia não gerar inimizades que possam, por exemplo, obstruir canais de comunicação com a população. Neste sentido, jornalistas, presidentes de sindicatos, proprietários de jornais e TV's, representantes de igrejas etc., são todos tratados com simpatia máxima, embora deles escarneça pelas costas. Vagabundos, pelegos, ladrões e mercadores da fé são os verdadeiros conceitos que formula em privado.

6. Insegurança - o traidor de vez em quando dá algumas piscadelas para o adversário. Confiança? Admiração? Amizade? Nada disso. Apenas uma tática para ameaçar os companheiros e, por outro lado, desarmar os espíritos mais beligerantes do grupo adversário.

Essas e outras características do traidor são difíceis de perceber e mais difíceis ainda de desmascarar porque são todas implícitas, dedutíveis, jamais ostensivas. Portanto, acautelem-se contra os traidores. Eles estão por aí. Sob sua confiança.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Agora vai. A juventude acreana mal podia esperar.

“O fato de saber que o PRTB tem paixão pela igualdade social e lutar pelos menos favorecidos, me deixou fascinada. Este detalhe me chamou atenção e motivou para que eu aceitasse o convite. Quero movimentar a juventude do Acre em torno de um projeto político de renovação. Vamos percorrer o Estado promovendo campanhas de filiação. A idéia é despertar o interesse políticos dos jovens no destino político do Acre”, destaca Milena Câmara.

O trecho acima foi extraído de matéria do site AC24horas (link do lado). Vendo a foto da moça fiquei imaginando o comichão da rapaziada doida pra fazer uma manifestaçãozinha na base do cara pintada pela justiça social.

Aquecimento global. Se a realidade não confirma a teoria, dane-se a realidade.

Com link aí do lado, o Dr Tim Ball dá uma rápida destrinchada no mecanismo de falseamento que mantém a Teoria do Clima da ONU-IPCC e, por consequência, de organizações que lhes servem de correira de transmissão. Abaixo dois trechos traduzidos para o português.

"Uma definição simples, mas poderosa da ciência é a capacidade de prever. Se suas previsões estão erradas, evidentemente há algo de errado com sua ciência. O fracasso, ou na melhor das hipóteses imprecisão das previsões meteorológicas, indicam que não é uma ciência. Os defensores da ciência "oficial" do clima, produzido pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), tentou distanciar-se deste problema, dizendo que eles eram duas coisas diferentes."

"A ciência oficial do clima foi produzida pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). Evidências extremamente inadequadas da ciência apareceram cedo. Todas as suas previsões estavam erradas no primeiro relatório, mas eles não resolveram o problema como faria uma verdadeira ciência ao perceber que havia algo errado com sua compreensão do tempo e dos mecanismos do clima. Em vez disso, eles simplesmente mudaram as regras do jogo. Isso geralmente é feito com uma mudança de nome. Neste caso foi a mudança do aquecimento global para mudança climática."

terça-feira, 4 de outubro de 2011

As leis da FIFA e as nossas.

Se vingar, como parece, a agressão da FIFA ao direito do consumidor, ao estatuto do torcedor, ao estatuto do idoso e às leis estaduais que protegem estudantes, como nunca antes na história desse país estaremos nos curvando a interesses que seguramente não podem ser colocados acima da dignidade e da honra nacional.

A questão que se coloca é que, ao escolher o Brasil para sede da Copa do Mundo de 2014, a FIFA já sabia da vigência de leis que, por exemplo, proíbem a venda de bebidas dentro dos estádios. Não dá pra depois disso impor regras que desfazem as normas atuais. Se, em alguma hipótese, as leis tivessem sido criadas depois da escolha, talvez coubesse alguma negociação pois se presumiria que teriam surgido para beneficiar grupos na Copa. Mas não é o caso. As exigências da FIFA não podem se sobrepor aos interesses nacionais que, por definição, sustentam as leis vigentes.

Se nossas autoridades cederem de alguma forma nesta questão, é melhor procurar um esporte que seja jogado de cócoras.

Emendas parlamentares à venda. Estourou em São Paulo.

Em São Paulo tem deputado apertado para explicar a venda de emendas parlamentares, no caso, emendas ao orçamento do estado. Já pensou se alguém resolve entregar a venda de emendas ao orçamento geral da união?

Este cabresto aceito docemente por deputados e senadores se transformou ao longo do tempo em meio eficiente para a troca de favores que vão do apoio político à uma grana "por fora". Prefeitos e empreiteiros conhecem bem o sistema. Tem um caso em que um certo deputado muito "honesto" praticamente expulsou do partido um prefeito que se negou a cumprir o combinado.

Se o submundo das emendas parlamentares que se estenderam por todo o pais fosse conhecido, a espécie não permaneceria nas leis orçamentárias. Aguardemos.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Os royalties do pré-sal e os candidatos a odaliscas.

Esta semana é do petróleo. Vai à pauta a votação do veto do presidente ao projeto que divide a grana dos royalties do pré-sal entre todos os estados de conformidade com os índices do FPM e FPE. Petróleo brasileiro, grana do brasileiro. Os governadores do Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo pensam diferente. O Cabral, principalmente pegou em armas e soltou a língua. Quer que os estados "produtores" tenham a grana e que os outros se virem com a parte da União. Sonha ser o Xeique de Ipanema. Pelo menos o harém dizem que já tem.

Entre uma proposta e outra surge a do Senador Wellington Dias, do Piauí. Mesmo essa não agrada o Governador Cabral nem o Senador Lindbergh Farias. Prometem ir pro pau, entrar na justiça etc. Os outros governadores que possuem nesta questão ampla maioria deverão, espero, peitar o Xeiquezinho de araque e o galã da baixada. Produtor uma ova! Não existem estados produtores de petróleo, assim como não existem os produtores de água, de florestas... Se os parlamentares dos 23 estados mais o Distrito Federal dançarem nessa disputa é porque merecem mesmo virar odaliscas do Cabralzinho.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Eliana Calmon - a mulher da vez.

A Ministra que não abre mão da verdade deverá ir ao Senado (imperdível) defender o Conselho Nacional de Justiça - CNJ, daqueles que o querem como órgão omisso e subserviente. Disse e repetiu que há bandidos no judiciário. Quem duvida disso? Parece que uma associação dos magistrados e o STF não concordam. Pediram que ela se retratasse, ela ratificou. Aguardemos.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Bolsa Verde: Como tem que ser.

Hoje a dona Dilma lançou o programa Bolsa Verde que vai distribuir mais uma grana entre aqueles que preservarem a floresta. Sabe qual é a melhor parte do programa? É que reconhece sem frescuras que o negócio é dar dinheiro para quem lá viver. Não precisa fazer nada. Basta ficar cochilando na rede e no final do mês recebe uma grana.

Ao invés de tentar nos enrolar com promessas de atividades rentáveis baseadas no extrativismo de sementes, coquinhos e raízes, o programa apenas declara: Fique lá sossegado e aguarde a grana que ela vem. A sociedade quer pagar um tantinho assim pra vocês preservarem a floresta. Ponto final.

Sei. Alguém vai dizer que a grana vai pagar serviços ambientais, tipo sequestro de CO², preservação da biodiversidade... Tudo bem. Vamos fazer de conta que é isso mesmo.

Kassab. "O PSD vem para somar".

Ora, ora. Se não fosse por oportunismo eu juraria que a declaração foi por burrice. Partido sempre divide. Por definição. Um todo dividido por 28 dá X, o mesmo todo dividido por 29 dá menos que X. Elementar que nem a álgebra que as escolas de hoje não ensinam mais às nossas crianças.

Gilberto Kassab veio para DIVIDIR. Arrancou um naco do DEM e saiu garimpando aqui e ali políticos pouco dados à fidelidade partidária. Gente que não sabe o significado de partido político nem nunca saberá.

Divide a oposição, leva mais gente para aquela faixa dos mais ou menos, dos que nem fedem nem cheiram, dos que dependem da força da onda. Tudo para que Kassab se torne um político nacional, com força para decidir alianças na eleição presidencial. De cara já vem com a terceira bancada na Câmara Federal, atrás apenas de PMDB e PT. Se resolver daqui pra lá engrossar a base do governo poderá indicar dois ministros, pelo menos. É o Brasil.

O partido do Kassab.

Enfim foi autorizada a criação do PSD ou, se prferirem, o Partido do Kassab, criado apenas para que o prefeito de São Paulo possa exercer plena influência perante um grupo, já que ideologicamente nem ele mesmo soube dizer para que vem a nova agremiação.

De fato não se viu até hoje ninguém dizer que o PSD exercerá um papel novo que o justificasse. Reúne gente de todas as matizes ideológicas e muita gente que nem sabe o que é isso. São apenas políticos insatisfeitos em seus partidos ou que vislumbram uma brecha para novas candidaturas ou exercerem mais poder e liderança regional ou, ainda, gente que quer se aproximar do governo mas tem vergonha de apresentar a velha cara. Uma nova lhe parece bem.

De qualquer forma, é o Brasil e seus sistema partidário maluco. Qualquer membro do novo partido pode apontar o dedo e perguntar: O seu é melhor do que o meu? Ninguém dirá que sim. Os partidos são todos uma mistureba de interesses eleitorais. O novato nasce grande. Já exibe uma relação contendo dezenas de deputados, dois governadores, senadores, lideranças setoriais e um discurso que ninguém entende.

Será governo ou oposição? Sabe-se lá. Depende do assunto e, logicamente, da conversa por trás do assunto. Toca pra frente.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Essa dona é quem vai controlar as contas públicas! Putz!

Depois de campanha vergonhosa realizada por seu filho governador, a deputada Ana Arraes acaba de ser eleita para aquele carguinho vitalício no Tribunal de Contas da União. Vai ser Ministra até morrer só porque é mãe do Eduardo Campos. Não que precise daquele salariozinho, mas porque isso dá prestigio, imortaliza a cidadã e enche de orgulho. É claro que no meio de tudo isso, boquinhas e boconas vão sendo criadas para abrigar a prole e a prole da prole.

Suas primeiras declarações depois de eleita na semana passada foi de que o TCU é órgão político e que não tem nada a ver essa história de suspender obras por um motivozinho besta como corrupção. Jornais de hoje mostram como aquela dona é cuidadosa com o destino do nosso dinheiro. Em seu blog, Josias de Souza pontua o casinho simples mas bem emblemático do que rigor com que ela trata a grana que sai dos nossos bolsos para o dela.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Musa da floresta não salva os próprios neurônios.



Depois que deu umas braçadas num igarapé a atriz global resolveu salvar a floresta com tudo que nela há. Divulgou uma cartinha fuleira para a qual colheu milhares de assinaturas, deu entrevistas em programas importantes, participou de manifestações, esteve no Congresso e não se candidatou à rainha dos povos da floresta porque o cargo já está ocupado. Ganhou fama de ativista ambiental. Ela quer cuidar dos índios, dos seringueiros, dos ribeirinhos, dos castanheiros... Tomara que não seja com esse troço que andou consumindo no Rock in Rio.


quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Educação não tem fim. Petróleo, sim.

O Senador Cristovam Buarque, do DF, está defendendo, parece que juntamente com o Senador Aloysio Nunes, de São Paulo, uma proposta para os royalties do pré-sal que deveria fazer pensar o governo e os parlamentares. Segundo ele, toda aquela grana constituiria um Fundo cujos rendimentos (não o capital) seriam investidos em Educação e Ciência e Tecnologia distribuídos pelos estados de conformidade com o número de alunos na escola pública. Com isto estaria assegurada a perenidade da grana, já que se utilizaria apenas os rendimentos e a promoção da educação em níveis crescentes e sustentáveis pois as dotações seriam obviamente cumulativas. E então? Não parece bacana?

Parece e é. Ao meu gosto se incluiria ai também a saúde, que padece da falta de fonte segura de financiamento. Um dos principais argumentos do Senador Buarque é que a grana do pré-sal jogada no saco dos tesouros estaduais e municipais corre o risco de ser dissipada em obras e programas de baixa qualidade e inconsequentes. Tem razão o Senador. Esfregando as mãos diante do dinheiro, prefeitos e governadores esquecem que o petróleo é não-renovável. Por maior que seja a jazida, um dia acaba. Portanto, é desejável que gastos permanentes sejam associados a fontes permanentes e isso se poderia conseguir transformando os royalties em Fundo e não em receita corrente.

Já pensou quanta grana seria investida na formação de nossas crianças e jovens? Quanto capital humano constituiria o Brasil? Quanta ciência e tecnologia seria desenvolvida? Que pais teríamos em 20-30 anos?

Duvido é que os coleguinhas do Cristovam estejam interessados nessa proposta.

Ana Arraes no TCU. Do nepotismo ao afrouxamento do controle.

A nomeação do conselheiro do Tribunal de Contas sempre foi algo nojento, mas desta vez ultrapassou todas os limites. Ana Arraes foi "eleita" na Câmara Federal em um processo que envolve uma forma peculiar de nepotismo (ela é mãe do Governador Eduardo Campos, do Pernambuco), intromissão do executivo (membros do governo fizeram campanha descarada a seu favor) e negociações espúrias (troca de verbas por votos de parlamentares).

A mãezona não poupou agradecimentos: Declarou que "é uma honra criar um filho como o Eduardo". Aos colegas parlamentares se saiu com uma novidade, dizendo que o TCU é político. Ao governo sinalizou com uma promessa de recompensa, se dizendo contra a paralisação de obras suspeitas de corrupção. Não sei o que é mais abominável.

Na página do TCU encontramos em seu refeencial estratégico:

Missão

Controlar a Administração Pública para Contribuir com seu aperfeiçoamento em benefício da sociedade.

Visão
Ser reconhecido como instituição de excelência no controle e no aperfeiçoamento da Administração Pública.


Valores

Ética
Ter como padrão de conduta ações que busquem a verdade dos fatos, amparadas em honestidade, moralidade, coerência e probidade administrativa.

Efetividade
Atuar orientado para resultados que assegurem o cumprimento da missão e a excelência da imagem institucional.

Independência
Atuar com imparcialidade, liberdade e autonomia, de forma a rejeitar a interveniência de qualquer interesse que não o público.

Justiça
Pautar-se estritamente por princípios de justiça, pela verdade e pela lei, com integridade, eqüidade, impessoalidade e imparcialidade.

Profissionalismo
Atuar de forma técnica, competente, responsável, imparcial, coerente e objetiva e estar comprometido com a missão institucional


Ora. A Mãe do Eduardo já chega no TCU afrontando todos os seus valores fundamentais. Em primeiro lugar, a Ética, já que promete atuar politicamente em uma instituição que busca a verdade dos fatos e não uma interpretação política. Em segundo, a Efetividade, à medida que propõe "em favor da admnistração" permitir o prosseguimento de gastos com obras em suspeição. Em terceiro, a Independência, já que devendo a própria indicação aos acordos promovidos pelo filho influente, não poderá atuar livremente. Em quarto, a Justiça, pois em prejuízo impessoalidade e imparcialidade deseja arbitrar de conformidade com a oportunidade ou urgência da obra.  Por último, vai contra o Profissionalismo, dado que a missão institucional é o controle da administação pública e não a sua conveniência, seja política ou operacional.

Deram assim, os nossos deputados, mais um passo no sentido contrário da sociedade que tenta a todo custo frear a corrupção no Brasil. Eleições corruptas não podem gerar representantes honestos.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Prestem atenção ao pré-sal. Cabral descobriu o petróleo.

Tá no Noblat repercutindo matéria da Renata Lo Prete, da Folha.

Trecho de e-mail enviado por Sérgio Cabral (PMDB) a aliados do Rio na madrugada de ontem: "Não vamos aceitar negociação com o pós-sal e o pré-sal licitado. O pré-sal a ser licitado já foi objeto de negociação com o presidente Lula. Com o aval da então ministra Dilma e do ministro Lobão".

Segue o governador, que está na Europa: "O Rio fechou acordo. Ninguém pode nos acusar de intolerância. Mas não vamos transigir no licitado. O governo federal tem o dever de encontrar uma solução".

O assunto do pré-sal está fervendo e recomenda que todos os parlamentares prestem atenção, do contrário Sérgio Cabral se tornará o novo Xeique Árabe.

Somos poucos nas ruas, mas uma multidão na urna.


Ontem, enquanto a dona Dilma prometia se aliar ao combate à corrupção em reunião com Barack Obama nos EUA, na Cinelândia, cidade do Rio de Janeiro, pouco mais de 2.000 cariocas convocados pelas redes sociais protestavam contra a falta de combate à corrupção.

Alguns fariseus fazem força para julgar a intensidade e importância da reação popular à corrupção pelo número de pessoas na manifestação. Estão errados. Embora importantes, as manifestações de rua são neste caso a representação do inconformismo da sociedade e não ele próprio. O grau de adesão dos brasileiros à luta contra a corrupção só pode ser efetivamente medido no campo onde se realiza, ou seja, na internet. Não é como na parada gay onde vão todos os gays e simpatizantes, puxados por meses de organização e propaganda na mídia em geral.

Sinceramente, não espero que os defensores da ética consigam incendiar o pais e levar às ruas milhões de militantes da causa. Mas acredito que a manutenção do tema e das manifestações nas grandes cidades será capaz de sinalizar eficientemente para os politicos e dirigentes: Estamos de ôlho!