quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Educação - Brasil fica penúltimo ligar no ranking de 40 países. E continuamos admirando a indigência intelectual.

O Brasil ficou em penúltimo lugar em um ranking global de educação que comparou 40 países levando em conta notas de testes e qualidade de professores, dentre outros fatores. A pesquisa foi encomendada à consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU), pela Pearson, empresa que fabrica sistemas de aprendizado e vende seus produtos a vários países.

 Em primeiro lugar está a Finlândia, seguida da Coreia do Sul e de Hong Kong. Os 40 países foram divididos em cinco grandes grupos de acordo com os resultados. Ao lado do Brasil, mais seis nações foram incluídas na lista dos piores sistemas de educação do mundo: Turquia, Argentina, Colômbia, Tailândia, México e Indonésia, país do sudeste asiático que figura na última posição.

 Os resultados foram compilados a partir de notas de testes efetuados por estudantes desses países entre 2006 e 2010. Além disso, critérios como a quantidade de alunos que ingressam na universidade também foram empregados.

 Para Michael Barber, consultor-chefe da Pearson, as nações que figuram no topo da lista valorizam seus professores e colocam em prática uma cultura de boa educação.

 Ele diz que no passado muitos países temiam os rankings internacionais de comparação e que alguns líderes se preocupavam mais com o impacto negativo das pesquisas na mídia, deixando de lado a oportunidade de introduzir novas políticas a partir dos resultados.

 Dez anos atrás, no entanto, quando pesquisas do tipo começaram a ser divulgadas sistematicamente, esta cultura mudou, avalia Barber.

 "A Alemanha, por exemplo, se viu muito mais abaixo nos primeiros rankings Pisa sistema de avaliação europeu do que esperava. O resultado foi um profundo debate nacional sobre o sistema educacional, sérias análises das falhas e aí políticas novas em resposta aos desafios que foram identificados. Uma década depois, o progresso da Alemanha rumo ao topo dos rankings é visível para todos".

 No ranking da EIU-Person, por exemplo, os alemães figuram em 15º lugar. Em comparação, a Grã-Bretanha fica em 6º, seguida da Holanda, Nova Zelândia, Suíça, Canadá, Irlanda, Dinamarca, Austrália e Polônia. 
 
Cultura e impactos econômicos

 Tidas como "super potências" da educação, a Finlândia e a Coreia do Sul dominam o ranking, e na sequência figura uma lista de destaques asiáticos, como Hong Kong, Japão e Cingapura.

Alemanha, Estados Unidso e França estão em grupo intermediário, e Brasil, México e Indonésia integram os mais baixos. O ranking é baseado em testes efetuados em áreas como matemática, ciências e habilidades linguísticas a cada três ou quatro anos, e por isso apresentam um cenário com um atraso estatístico frente à realidade atual.

 Mas o objetivo é fornecer uma visão multidimensional do desempenho escolar nessas nações, e criar um banco de dados que a Pearson chama de "Curva do Aprendizado". Ao analisar os sistemas educacionais bem-sucedidos, o estudo concluiu que investimentos são importantes, mas não tanto quanto manter uma verdadeira "cultura" nacional de aprendizado, que valoriza professores, escolas e a educação como um todo.

 Daí o alto desempenho das nações asiáticas no ranking. Nesses países o estudo tem um distinto grau de importância na sociedade e as expectativas que os pais têm dos filhos são muito altas.
Comparando a Finlândia e a Coreia do Sul, por exemplo, vê-se enormes diferenças entre os dois países, mas um "valor moral" concedido à educação muito parecido.

 O relatório destaca ainda a importância de empregar professores de alta qualidade, a necessidade de encontrar maneiras de recrutá-los e o pagamento de bons salários.

 Há ainda menções às consequências econômicas diretas dos sistemas educacionais de alto e baixo desempenho, sobretudo em uma economia globalizada baseada em habilidades profissionais.

Fonte: TERRA

Derretendo a farsa.

Abaixo, trechos iniciais do artigo de Mauricio Porto sobre a farsa do Aquecimento Global Antropogênico. Veja mais AQUI

A cada dia que passa, na minha opinião, os adivinhólogos do clima e seus "Goebbels Boys" da mídia, demonstram cada vez mais o seu desespero. Os dados divulgados pelo Met Office e a Universidade de East Anglia Climatic Research Unit em janeiro deste ano de 2012, confirmando que o aquecimento global, desde 1997, se estabilizou - ou seja, acabou - e posteriormente os do HadCrut em abril apresentando um gráfico que mostra claramente que a temperatura da terra vem apresentando sinais de um leve arrefecimento, deixou a "Máfia Climática" totalmente "lelé da cuca", enlouquecida de vez!


Agora, mais uma vez, foi a NASA. Num ato, ao meu ver, de total e proposital histeria, divulgou uma imagem capturada por seus satélites de dois mapas da Groenlândia, que instantaneamente a mídia mundial reproduziu, como sempre, com o maior prazer para o mundo inteiro. Na imagem à esquerda, segundo a NASA, a cor branca corresponde a camada de NEVE depositada sobre a geleira no inverno e que agora no verão derrete para depois ir se recompondo naturalmente, mesmo antes do inverno seguinte. Na imagem da direita - aí é que mora o perigo - a cobertura de NEVE desaparece no mapa que praticamente não tem branco. Só fica um rosa escuro. A mensagem, para eles foi passada! Quem acabou? A NEVE ou a GELEIRA, "Eis a questão"!!! Os mapas e a notícia saíram na primeira página de vários jornais do mundo . Quem é que tem tempo para ler a notícia inteira?

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Não sabia de nada

Com a Rosemary falando 5 vezes ao dia com o Lula, desconfio que desta vez quem não sabia de nada era o Noronha.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Contra o terror, o combate extremo.

Todos os dias é a mesma coisa. O PCC continua barbarizando geral em São Paulo. Chegam atirando sem motivo, sem escolha, sem piedade. Matam por matar. Implantam o terror tendo como causa a expansão de seus domínios. O que são? TERRORISTAS.

A hora é de reconhecer o fato, declarar a facção uma organização TERRORISTA e contra eles investir na forma devida. Como é que se combate o terror? Matando os terroristas. O estado tem preparo e condições legais para isto. É isso aí.

Cotas raciais. Não sei, só sei que é assim.


Se você tem a cor da pele escura, mesmo que seja filho do Carlinhos Brown, ou de Pelé, ou do Joaquim Barbosa, tem direito a uma das vagas reservadas para os afrodescendentes nas Universidades Brasileiras. O branquelo do lado, mesmo que tenha melhor desempenho nas provas sifu. Isso é o que chamam de Cota Racial.

Mas como pode? O filho do Pelé jamais foi discriminado, jamais deixou de ter ou ser o que quis por ser negro. Como pode ter direito ao privilégio? Deixa de ser bobo homem. A Cota Racial é para reparar a dívida histórica. A prole de Pelé não foi discriminada, mas seu Donga ou o pai do Donga, ou o avô do Donga certamente foi, então o filho do Pelé tem direito face à dívida histórica com os negros.

Então tá.
Continuando...

Excetuando parentescos colaterais, um vivente tem 1024 ascendentes em 10 gerações que equivalem mais ou menos a 300 anos, o que nos remeteria ao inicio do século 18. Em um vídeo que vi recentemente, Chico Buarque se pergunta: Será que todos os ascendentes de um brasileiro branco eram brancos? E deduz, logicamente, que não é razoável. Ou seja, em algum momento entrou negro na história e, consequentemente, ninguém é branco puro. Todos somos miscigenados em alguma medida.
Então, se na perspectiva histórica todos somos mestiços e as Cotas são reparação histórica, por que apenas os de cor negra tem direito às Cotas Raciais?

Como diria Chicó, Não sei, só sei que é assim. 

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Sim. Há Juízes!.

Terminou hoje, para o núcelo politico, o julgamento do mensalão, como ficou conhecido o maior escândalo da república brasileira - a compra em dinheiro de apoio político no Congresso Nacional.

Durante muito tempo se especulou a respeito. Tentativas de protelação legítimas e outras nem tanto foram executadas. Alguns até achavam que por terem sido nomeados pelo Presidente Lula e pela Presidente Dilma certos ministros votariam conforme o interesse do palácio. Outros tinham certeza, mas foram surpreendidos pela altivez do STF. Sim. Ainda há juízes.

Aqui e ali se ouvem algumas vozes inconformadas. Dos condenados, o compreensível erperneio, de outros um pedido de igualdade de tratamento em relação ao mensalão mineiro. Da população, felizmente, apoio e esperança de que o país tenha dado um passo objetivo na punição de gente que se considera livre para delinquir, para manipular, para afrontar, para subornar pessoas e instituições apodrecendo a democracia.

E tudo isso sem que Marcos Valério tenha dito vinténs de tudo o que sabe. Torçamos para que fale e ilumine todos os casos escabrosos em que se envolveu. Doa a quem doer.