sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Deus já manda a chuva, o resto é com os seresumano.


Tirante a casquinha politica que a oposição quer tirar, a blindagem da Dona Dilma, a desculpa esfarrapada do Governo e o papelão do Lobão (o ministro), em todo este episódio do apagão sobra uma certeza. Tem algo muito esquisito por aqueles lados do Sarney (é quem manda na área energética). Pra variar.

Como não há mais nenhum cristão que acredite na historia do raio, sobra uma gravíssima fragilidade de gestão do sistema. Seja operacional ou financeira. Imaginemos que nos próximos anos a economia cresça a taxas chinesas, algo do tipo 6-8% como anunciam por ai. Que segurança o pais pode oferecer aos investidores?

Tá bom. To sabendo que não se trata de geração de energia. Se São Pedro não nos faltar com chuvas (raio não pode) e os reservatórios mantiverem-se em níveis elevados, se as usinas forem concluídas no tempo certo (estão atrasadas) etc. não vai haver racionamento. OK.

Mas quem está na ponta do processo, os industriais expandindo suas plantas, os empresários abrindo portas no comércio e consumidores adquirindo bens querem ter segurança energética. Alguém precisa vir a público, dizer qual foi o problema, garantir que foi solucionado e ai sim, viramos essa página. Não vale o Lobão encerrar o papo nem o Presidente botar a responsabilidade em Deus. Isso ai é com os "seresumanos" mesmo, sabe?

Nenhum comentário:

Postar um comentário