quarta-feira, 13 de julho de 2011

UNE pré paga. Quem diria...

Quem me conheceu no final dos anos setenta lembra que fiz politica estudantil. Era presidente o General Figueiredo e já se respirava algum cheiro de democracia. A ditadura vivia seus estertores, o que não impedia os órgãos de repressão de manter sob controle os jovens mais abusados. Espionagem, deduragem e perseguição ainda se faziam sentir. Congressos estudantis eram muitas vezes clandestinos, programados para um lugar e realizados em outro... Algumas borrachadas, o prendo e arrebento... Bom, quem viveu viu, quem não viveu está vendo agora o contrário.

Não é que o Congresso da UNE se inicia hoje financiado pelo governo? Os meninos estão nadando em dinheiro público, fazem encontros e congressos para gritar a favor. Lá desfilarão sob aplausos as eminências do governo. As pardas e as claras. Onde já se viu estudante a favor? Por isso que os jornalistas estrangeiros se surpreendem. É mesmo dificil de acreditar.

Observando isso depois de 30 anos do tempo em que vivia a luta estudantil chego à conclusão de que estamos mal encomendados. Restaram dois movimentos estudantis. A marcha da maconha e a UNE pré-paga e pelega. Que tempos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário