sexta-feira, 15 de julho de 2011

Campeões por antecipação.

José Jorge, ministro do TCU, afirmou com todas a letras que "É impossivel dizer que não haverá corrupção nas obras da Copa". Se referindo à nova lei que estuprou a Lei de licitações para facilitar a roubalheira foi igualmente enfático: "Não conhecer o preço básico não impede que os licitantes combinem preços."

Um ministro normalmente tem essa preocupação de falar em tese, tem a responsabilidade do cargo, tem o ônus politico de suas declarações. Mas para bom entendedor, é como se dissesse que a corrupção foi facilitada para as obras da Copa. Aliás, nem precisava. Todos sabemos disso.

Pode ser que o Mano Menezes seja um mané, pode ser que o Neymar não jogue nada, pode ser que o nosso goleiro se vicie em comer frangos, pode ser que o Messi arrebente... mas é certo que seremos campeões mundiais da corrupção. Nunca na história das Copas tanto dinheiro será gasto em tão pouco tempo por gente tão desonesta.

Instado a comentar a questão, o ministro dos esportes saiu-se com uma pérola. "O Brasil tem instituições adequadas à investigação de qualquer irregularidade". É mesmo, santa? E para prevenir a roubalheira, cadê as instituições? Cadê os gerentes?

Nenhum comentário:

Postar um comentário