segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Sobrou para quem? Para o assessor do assessor.

Para variar, quebrou do lado mais fraco. Sobrou para o funcionário de quarto escalão do Gabinete Civil que pediu demissão. No andar de cima fica tudo como está e se arma a pantomima de uma investigação da Comissão de Ética. Se valer a tese de que as pessoas não precisam ser virtuosas, a Ministra Erenice, mãe do novo "ronaldinho dos negócios" não virtuosos permanecerá no cargo com todo o prestígio do governo. Um "belo" exemplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário