segunda-feira, 27 de setembro de 2010

O debate da Record. Só Marina brilha.

Mais um debate, mais algumas performances para confirmar as candidaturas. Eu vi:

O Serra, como sempre, preparado, focado, sabe o que quer, sabe o que diz. Mas diz o mesmo do mesmo jeito. Sem brilho, sem carisma, sem empatia. É de fato um gerente, Seguro, franco, minucioso, mas opaco. Sua personalidade gera admiração mas não arregimenta fãs. Em eleições isto pode siginificar muita coisa.

A Dilma nem faz questão de refutar que foi inventda pelo Lula. Também não tem brilho, não gera sentimentos fraternos, gera expectativas. Seu mantra é "o Brasil mudou com o Lula e vai continuar mudando". Faz o trivial sem se comprometer. Esquiva-se como dá quando apertada do ponto de vista ético. Foi bem treinada.

O Plinio faz a parte bem humorada, embora trate de questões sérias. Ontem lhe deram uma atiradeira que ele usou pra todo lado. Não feriu de morte ninguém, mas causou incômodo principalmente à Dilma que incompetente ou conivente é responsável pela Erenice.

A Marina é a única que brilhou no debate. Tem treino e dominio das palavras. Tem sutilezas quando ataca e quando defende. Nas entrelinhas de sua fala incomoda os adversários, sua linguagem tem linha direta com o povo. Frases de efeitos e mesmo velhos pensamentos tomam vida nova em sua fala.

Se houve um vencedor no debate, penso que foi a Marina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário