sábado, 25 de setembro de 2010

Não, dona Dilma, a maior violência do aborto é contra a criança.



Mais uma vez a dona Dilma se enrola quando fala do aborto. Neste caso foi no debate promovido pela CNBB, onde ela jamais diria o que já disse em outras ocasiões. Note-se quem em nenhum momento a candidata trata do feto, da vida a ser assassinada. Segundo ela o "aborto é uma violência contra a mulher". É claro que é. Mas é mais ainda uma violência contra a vida do ser indefeso assassinado pelas abortadeiras.

Como recurso à enrolação o governo vem tratando o aborto (a dona Dilma repete) como questão de saúde pública. O povão não entende isso, não entende o que vem a ser. A pergunta deveria ser feita em situações mais claras. Eu perguntaria: Uma determinada mulher descobre que está grávida e por motivos pessoais não deseja ter filhos, não quer aquela criança. O estado deveria prover os meios para que ela faça um aborto seguro? Pronto. Simples assim. É sim ou não. Não tem talvez, não tem essa de saúde pública, não tem embromação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário