sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Da série pergunte ao candidato - 6. Transparência nos gastos.

Caro eleitor.

É da lei que os candidatos apresentem as contas da campanha. O sujeito fica obrigado a dizer quanto gastou e de onde tirou o dinheiro correpondente e exatamente coincidente com os gastos. Não é tarefa para qualquer um fazer esta contabilidade de modo sério.  Mas é o que tem que ser feito.

O mais comum é que os candidatos declarem a menor. Eles dizem que vão gastar 100, arrecadam 500, arrumam recibos de doação para os 100 e comprovação de gastos de 100. Apresentam a papelada ao TRE e ponto final. Mas e os outros quatrocentos? Bem estes somem na certeza de impossibilidade técnica de acompanhamento pelos órgãos de controle.

O sujeito manda fazer 1.000 cartazes, diz que foram apenas 100. A gráfica dá o recibo dos 100. Quem vai contar para provar que foram 1.000 e não 100? O sujeito aluga 50 carros, declara 10 e quem vai contar, fotografar, provar que foram 50? O sujeito contrata uma equipe de marketing por 500 mil, declara 50 mil, tem o recibo de 50 mil, quem vai provar que foram 500 mil? Por estes e outros caminhos é que campanhas aparecem tão baratas que nem precisamos ser experts para sabermos que as contas foram falsificadas.

Então, é o seguinte: quando for escolher seu candidato pergunte quanto ele gastou na campanha e compare com a campanha que voce vê na rua e na TV. Se perceber que a coisa não bate, escolha outro. Se é que vai achar outro, é claro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário