terça-feira, 31 de agosto de 2010

Meia noite - a hora do espanto. E não é filme de terror.

A minha insônia sempre me leva a assistir ao Jornal da Globo e ontem não foi diferente. Melhor que deu pra ver a entrevista de 20 minutos com a dona Dilma que inapelavelmente será nossa presidente durante quatro anos e, creiam, nem mais um dia. Sinceramente, cada vez que a ouço mais me convenço de que Deus existe e existe muitas vezes para nos submeter a provações.

A dona Dilma não conseguiu responder uma perguntazinha sequer de modo inteligível e verdadeiro. Em todas optou por tergiversar, desviar e, por vezes, mentir. Tá certo que políticos de modo geral repondem o que lhe interessa responder. Lembro bem de Leonel Brizola, mas tem limite pra tudo. Não dá pra não responder. O que a candidata falou sobre os presos cubanos é uma brincadeira. Insinuar que o presidente Lula atuou para a libertação dos presos cubanos é de uma falsidade que nem o próprio ousaria. Os cubanos não sabem disso, a Espanha não sabe disso, a Igreja não sabe disso, o Irtamaraty não sabe disso, e nem os Castro sabem disso. O que foi revelado porque foi dito publicamente foi a comparação feita com os presos comuns. Além disso, somente a declaração do Lula de que não poderia se meter porque cada pais tem sua legislação.

E em relação às FARC's? Putz! Está todo mundo cansado de saber que o Governo brasileiro declarou publicamente que não considera o movimento como sendo terrorista nem beligerante nem ilegítimo. Me sair com aquela de diálogo... fala sério.

A entrevista pode ser vista aqui

Depois, minha mulher pergunta por que tenho pesadelo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário