segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Debate temático sobre o aborto. Enfim, a CNBB no seu quadrado.

De acordo com a Folha de São Paulo, a CNBB está propondo aos candidatos Dilma Rousseff, José Serra, Marina Silva e Plínio de Arruda Sampaio, um debate sobre o aborto a se realizar em 23 de setembro. Marina e Plínio já confirmaram. Os dois que estão à frente nas pesquisas eleitorais ainda não disseram se topam. Espero que sim.

Este pode vir a ser um debate realmente muito interessante. Em primeiro lugar porque é temático, objetivo, de modo que os candidatos podem se aprofundar no tema e expor com clareza suas posições. Em segundo, porque a Igreja Católica que se revela militante em relação a muitas coisas que estão além da sua missão, enfim, faz o seu dever de casa. O aborto é, por todos os motivos, um crime contra a humanidade e uma afronta inaceitável à fé católica.

De um modo ou de outro os candidatos já se posicionaram. A dona Dilma, quando assinou o PNDH-3 afirmou a sua posição favorável à liberação do aborto que, segundo os dementes abortistas, não passa de uma questão de saúde pública. A manutenção da vida intrauterina é uma escolha da mãe e o estado deve respeitar isto se aparelhando para atender as homicidas à medida que for solicitado.

A Marina é pessoalmente contra, mas sugere que um plebiscito resolva a questão. Penso que isto retrata apenas a sua vinculação a setores "modernizantes" da sociedade brasileira que teimam em descriminar aquilo que eventualmente praticam - abortos e consumo de drogas.

O José Serra é contra. Segundo ele a legislação atual deve ser mantida. Já disse certa vez que a liberação do aborto significará uma carnificina á medida que facilitará e, por isto, induzirá o assassinato de fetos no Brasil, especialmente aquele mais pobre e menos informado.

Muito bom que a Igreja ao invés de insistir na idiotice da limitação da propriedade da terra, se preocupe de vez em quando com assuntos que verdadeiramente fazem parte de seu mister.

Nenhum comentário:

Postar um comentário