quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Marina no Jornal Nacional - admirável.

Posso não concordar com muito do que pensa a Marina, especialmente em relação ao alarmismo na questão das mudanças climáticas, suas causas e a forma de mitigar seus efeitos, mas sou, por assim dizer, um admirador de sua capacidade de se doar a uma causa sem que esta constitua fonte de enriquecimento pessoal. Nos dias atuais, é coisa rara. Além disso, Marina atrai a simpatia de quem preza a inteligência e a coragem.

Desconfio dessa história de governar com os melhores do PSDB e do PT. Quem os escolherá? Por quais critérios? Pensa por acaso que os partidos serão fracionados por ela própria na base do "este presta, aquele não presta"? Não faz sentido em termos práticos e não faz sentido em termos políticos porque efetivamente a espinha dorsal do PT não dobra no mesmo ponto que a espinha dorsal dos tucanos. Acredito em governos virtuosos, não em governo de virtuosos escolhidos a dedo. O PV não tem quadros para preencher o gabinete presidencial, quanto mais para os milhares de cargos disponíveis nos minstérios. Fará um governo de ONG's altruistas?

Também não me seduz a cantilena da transversalidade do tema ambiental. A ideologia do ecossocialismo subjacente a este rótulo tende a uma governança totalitária. Vade retro!

Em síntese, discordo muito do discurso Marinista, mas assistindo sua entrevista hoje no Jornal Nacional, aplaudo a forma como o declara. Diferentemente da dona Dilma, Marina não fugiu a nenhuma pergunta, não titubeou, não tergiversou. Quando acossada em relação ao mensalão soube se impor ao entrevistador e esclarecer que sua permanência no seu partido se deu em prol de uma causa que considera maior. Ela pode ser criticada por esta decisão, mas não por negá-la.

Marina é o tipo raro de candidata em quem se pode deixar de votar, mas não de admirar.

2 comentários:

  1. Penso idem. Ela nos honra enquanto acriana que 'deu certo', é personalidade internacional e, apesar de não acreditar em boas intenções políticas de quem quer que seja, considero ela uma das poucas mentes brilhantes do nosso Estado. Nos representaria perfeitamente como governadora, cairia como uma luva e, ao mesmo tempo moralizaria esta bagunça na saúde e na segurança pública que tomaram (literalmente) de assalto o Estado inteiro. Mas, que lástima, não será Presidente... Essa é do Serra.

    ResponderExcluir
  2. Valterlucio
    Lhe admiro e acho que nós no Acre perdemos um bom profissional e excelente caráter quando vc foi embora. Mas vc era oposição ao PT e agora praticamente não tem falado da disputa no Acre. Por acaso deixou a oposição?

    ResponderExcluir