quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Generais conhecidos, dois exércitos, duas missões. A batalha começa agora.

Vi ontem as entrevistas de três dos principais candidatos na eleição de domingo passado. Tião Bocalom, Tião Viana e Marcio Bittar.

Noves fora os agradecimentos e queixumes de praxe, dois pensamentos enunciados me chamaram a atenção. Um, do futuro governador Tião Viana, ficou explícito em sua promessa de RENOVAÇÃO. Embora o tempo fosse curto, deu para perceber que o senador não está nada satisfeito com o que e com quem está ai. Renovação significa troca, alteração por algo novo. Suspeito que a florestania radical sairá da moda e penso que a tarefa do Tião Viana não será fácil. Haverá muita resistência entre os que passaram superbonder na cadeira, muitos recursos aos padrinhos de sempre e muita militância partidária a ser exibida.

O outro pensamento explícito foi dado por Marcio Bittar que, do alto de seus 52 mil e tantos votos, diagnosticou que a população quer mudança e que a oposição precisa se PREPARAR para governar o Acre. O que seria isto senão acumular saber, experiências, idéias e programas para na próxima apresentar de modo mais elaborado e crível um verdadeiro Plano de Governo? Os nomes já estão postos: ele próprio, Flaviano Melo, Tião Bocalom e Sergio Petecão.

As missões de um e de outro lado da politica local estão dadas. A de um, renovar-se para se manter no governo. A de outro, se preparar para conquistar o poder. Não há trégua, não há tempo a perder, a luta continua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário