segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Debate na Band, ou, "Seu Lunga" na TV.

Debate de verdade é assim, como este da Band. Quem tem bala na agulha dispara e derruba o adversário. Quem tem escudo se defende como pode. É o vale-tudo eleitoral como querem fazer parecer os santos do pau oco? Não. É a verdade vindo à tona com clareza. A disputa não é de prêmio Nobel da Paz e o eleitor tem direito se saber o que fazem e fizeram os candidatos. Ontem, o excesso não foi de acusações, foi de cara feia.

A estratégia da dona Dilma foi clara. Misturar Serra consigo mesma na questão do aborto, conter o oponente na velha questão das privatizações e armar uma cilada para, sendo atacada, sair de vítima. Fora isso, a velha cantilena da continuidade. Penso que não conseguiu muito êxito.

A dona Dilma abandonou o modelito paz e amor da marquetagem e partiu pra cima do Serra de um modo exacerbado. Mostrou a verdadeira Dilma, aquela da Casa Civil onde até ministro já chegava pronto pra levar carão, resquício da guerrilheira Vanda. Não sei se foi por obra marqueteira, por desembesto mesmo ou por lições do Ciro Gomes, o certo é que baixou o Lunga na candidata. Dela não tivemos nem um sorrisinho daqueles plastificados.

Ao Serra, perante a "nova" velha Dilma restou administrar fria e racionalmente o debate em seu favor. Ratificou as acusações sobre a incoerência da candidata em temas como o aborto, defendeu-se na questão das privatizações, exibiu os números da segurança no estado de São Paulo e deixou de lado as questões menores como o boato de roubo ao seu comitê e a referência à sua esposa.

O debate da Band, por ter baixos índices de audiência certamente não serviu em si mesmo para alterar a preferência do eleitorado, mas pela repercussão que terá, provavelmente altera a campanha. Dona Dilma está de volta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário