quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Mais uma promessa de ação contra o crack. Alguém acredita?








Voces viram, está em todos os jornais e televisões que o governo federal lançou ontem (de novo) um programa para combater o cosumo de crack. Os números anunciados são significativos. Nada menos que quatro bilhões de reais. A medida mais polêmica é a internação "na marra" de viciados para tratamento. Toda a psicologia é contra, mas o governo entende que tudo começa tirando os "nóia" da rua e mantendo-os em alguma enfermaria. Só quero ver no que vai dar.

Não sou do ramo. Nem dos que usam nem dos que entendem de drogas e alucinógenos, mas tenho cá minhas convicções. Duvido que este programa (se for implementado) resulte em algo concretamente válido. Já disse antes. É preciso atuar na origem e isto significa negociar politicamente com o governo boliviano, usando a pressão possível e necessária, um programa de diminuição radical da produção de coca naquele país. O crack só inunda as grandes cidades e chega no interior do Ceará porque é barato e só é barato porque é muito e só é  muito porque a produção de coca na Bolívia mais que duplicou nos últimos anos e só duplicou porque o governo de lá faz força a favor. Não há vigilância na fronteira ou programa de internação que resolva a situação.

Alguém acha que o país vai enfiar mais de um milhão de usuários em clínicas de tratamento? Alguém acredita que dá pra vigiar milhares de quilômetros de fronteira com a Bolivia, Peru e Paraguai por onde a cocaína passa livremente para o Brasil?

O programa lançado ontem pela dona Dilma é uma pilhéria. Uma reação política a uma questão nacional que exige respostas. Infelizmente as respostas são mais promessas. Oremos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário