quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Orlando se foi, mas é preciso faxinar o método.

Como todos esperavam, caiu o Ministro dos Esportes.  Tem mais. Se conheço a estrutura de governo, não aposto um tostão furado na longevidade do interino. Por um motivo simples. Nada acontece em qualquer Ministério que não passe pelo Secretário-Executivo. Orlando, aliás, era o secretário do Agnelo Queiroz, hoje governador do DF que foi, afinal, quem instaurou o método comunista-ongueiro de desviar nossa grana. O interino logo vai ser alcançado por denúncias e delações.

Tem comunista na fila aguardando a decisão da dona Dilma. Fala-se no Aldo Rebelo que me parece o único com o tamanho que o cargo exige. O problema é que andou se arranhando com a presidnte por causa do Código Florestal. Fora ele, o PC do B não tem quadros à altura. O que vem por ai nos próximos anos não é para amadores. De qualquer forma, seja ou não Aldo Rebelo o próximo ministro, importa saber é se na mochila com que deixou o Ministério o Orlando carregou o método.

Penso que a dona Dilma deveria aproveitar o momento para faxinar o modus operandi da turma instalada nos postos de comando. Por exemplo, poderia mandar fazer uma auditoria em TODOS os convênios com ONG's, verificar um a um o cumprimento das metas, apurar os preços praticados, os prazos, as contrapartidas e assim por diante. Só assim se poderia restaurar minimamente a confiança no Ministério dos Esportes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário