domingo, 20 de novembro de 2011

Sigilo bancário não diz nada. Há tempos os corruptos esqueceram a porta do banco.

Uma das maiores barrigadas quando se trata de uma investigação envolvendo gente graúda é a tal "quebra de sigilo bancário". Alguém acha que um sujeito que chega ao cargo de governador, de ministro e outros do mesmo nível, vai deixar rastro em sua conta bancária? Insistir nessa bobagem é querer passar certidão de honestidade ao corrupto investigado. Essa gente não deposita a grana ilícita na mesma conta em que recebe o salário, só se for muito abestado e abestados não chegam no topo.

Conheço gente de muito menor estatura que esconde a grana roubada em nome de filhos, irmãos, pais e parentes e mantém a própria conta no vermelho. Dá pena ver o extrato da conta daquele sujeito que de leso não tem nada. Contratos de gaveta, laranjas, fazendas e gado sub-declarado... tudo isso e muitas outras formas fazem parte do arsenal estratégigo desses ladrões. Por isso, o Agnelo Queiroz bate palmas para a quebra do seu sigilo bancário, por isso o Orlando Silva nem pestanejou em liberar ele mesmo o seu sigilo. Não leva a nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário