domingo, 18 de outubro de 2009

Tem grilo na concentração da terra


Em debate ontem (sábado) na Globo News, o ex-Ministro Raul Jungman, atual deputado federal pelo PPS de Pernambuco, introduziu um dado crítico. O IBGE comete erro gravíssimo na estimativa dos índices de concentração da posse da terra, o que distorce a tomada de decisões.

COMENTO

A constatação é simples. O método não exclui do cálculo as áreas indígenas, reservas florestais etc. Isto é suficiente para elevar o indicador fortemente, levando à opinião pública uma informação distante da realidade.

O certo seria expurgar da base de cálculo estas áreas e considerar exclusivamente a área apropriada e “apropriável” pelo setor privado. Seguramente a participação das pequenas propriedades no total da área seria muito mais representativa e, com isto, seria reduzido o índice de GINI que estima a concentração da propriedade agrária.

De fato não faz nenhum sentido considerar no cálculo áreas que por Lei jamais serão apropriáveis pelo setor privado, ou se quisermos, jamais serão objeto de ocupação via reforma agrária.

Com este dado o Deputado insere um bom argumento no debate e contribui com a racionalidade, muitas vezes afastada principalmente quando está em jogo o poder político.

Nenhum comentário:

Postar um comentário