quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Quero uma invasão. Chamem o MST.


                                                                                   Foto de O GLOBO

Os episódios de violência recentemente ocorridos no Rio de Janeiro, bem como os depoimentos que se seguiram, de autoridades políticas e militares, me fez pensar que somente uma invasão poderá trazer de volta à república aquela que já foi sua capital.

EXPLICO

Nos últimos anos nos costumamos a ver o MST invadir/ocupar (o termo depende do gosto do freguês) terra alheia e de lá não mais sair. Obriga o estado a resolver o fato consumado e pronto. É a tese de que o problema depois de criado se resolve por si mesmo.

Quero propor que o Estado do Rio de Janeiro aprenda com o MST como é que se faz para invadir território e faça o mesmo nas 41 comunidades hoje em poder do tráfico de drogas e das milícias. É preciso que o estado ocupe o território deles.

Deve ser mais ou menos assim. Deslocam-se grandes contingentes de policiais militares e civis infiltrados, definem-se as áreas mais adequadas e nelas se estabelece o domínio. Se precisar, queima, derruba, expulsa, intimida, prende e arrebenta. E não sai de lá. Cria-se, em caráter extraordinário e provisório, um estado policial com graus elevados de liberdade de ação que aos poucos vai voltando à normalidade.

É claro que alguns direitos coletivos e individuais serão arranhados, alguns inocentes serão mais que arranhados, mas tudo será computado como danos paralelos assimiláveis e menores perante o benefício da erradicação do poder dos bandidos na área.

E então? Que tal uma invasãozinha básica?

Nenhum comentário:

Postar um comentário