quarta-feira, 30 de junho de 2010

Quem mandou ser filho da branquela?

O sujeito nasceu de familia pobre, cursou a esola pública em todos os anos de estudo, fez vestibular na UNB, trabalhou e estudou para se manter na universidade, formou-se em Sociologia, fez mestrado, está fazendo doutorado e adoraria complementar sua formação com uma experiência no exterior. Seria o máximo.

Pois agorinha mesmo o governo federal colocou à disposição de estudantes com o seu curriculum 3 vagas para estágio de três meses na Delegação Permanente do Brasil em Genebra, Suíça, onde poderá acompanhar as atividades do Alto Comissariado de Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU). (Ver aqui ).

Quando soube, o cara quase morreu de alegria. Em seguida veio a decepção. Ele não pode. Sabe por quê? Porque não é negro. As vagas são para pretos e pardos. O sujeito até lembrou de mostrar a foto de seu avô que era pretinho, mas não adianta. Quem mandou o pai dele casar com uma branquela?

Coisas deste tipo é o que acontece quando militantes vagabundos se apoderam do aparelho do Estado para nele inserir seus ódios e frustrações. Pior é que a sociedade não reage. A midia assiste a tudo calada, quando não apóia. Talvez estejam esperando que alguém diga que na redação do jornal tem que ter cota racial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário