segunda-feira, 24 de maio de 2010

Referendo no Acre - e se não acontecer um segundo turno?

O Presidente Lula vem trabalhando desde o ano passado para que as eleições sejam plebisicitárias, o que na prática evitaria um segundo turno. A entrada da Marina Silva pertubou o projeto, mas a saida do Ciro Gomes ajudou. Mais recentemente, com os resultados de pesquisas dando a dona Dilma empatada com o Serra, já há muita gente, especialmente no governo, acreditando que o segundo turno pode não acontecer.

No Acre ocorre algo parecido. Com a candidatura do Rodrigo Pinto é provável que aconteça o segundo turno, mas se as especulações se confirmarem e o Pinto não alçar vôo, é muito provável que o PMDB reveja seus planos e ai o segundo turno não acontecerá pois restarão apenas dois candidatos. De todo modo, pode ser que um determinado candidato liquide a fatura logo no primeiro turno, o que também é razoável supor.

Em resumo, além de estatisticamente provável, é politicamente razoável prever que, como gostaria o PT, o segundo turno não aconteça lá nem cá. Nesta situação, como é que os acreanos vão votar no referendo do horário? Haverá uma eleição só para isto? Quanto custará aos cofres públicos? Onde está o princípio da economia processual?

Um comentário:

  1. Acho esse negócio de referendo do fuso horário uma bobagem, o pessoal já se acostumou com o horário e não liga mais pra isso. Vai servir apenas como bandeira de campanha para o pessoal do PMDB. Já a entrada de Marina Silva na corrida pela presidência é "no mínimo" a coisa mais inexplicável que já aconteceu no Brasil. É sem ver, nem pra que! Não tem a mínima chance de decolar, mas, insistem nisso, políticos são como pescadores, têm paciência. Pra mim, é tudo uma armação política para tentar garantir as eleições "aqui no Acre". Marina sai do PT sem razão aparente, abandona uma cadeira segura no Senado e se joga numa aventura que é a candidatura à presidência. Alguém está muito doido! Ou eles ou eu!

    ResponderExcluir