sexta-feira, 28 de maio de 2010

O governo boliviano é cúmplice do tráfico? É.

Causou polêmica a declaração de José Serra sobre o tráfico de drogas. Segundo ele a Bolivia (o seu governo) por não realizar um combate efetivo é cúmplice do tráfico. A Dilma e outros petistas de alto coturno cairam de pau e a imprensa se esforça para transformar o candidato tucano em irresponsável.

Alguns estudos já demonstraram que a produção de coca na Bolivia cresceu 40% nos últimos anos sendo que apenas 3% é destinada ao consumo in natura - a folha. Todo o resto vai para a produção de cocaina e, obviamente, o consumo interno e a exportação. No Brasil as consequências são perceptíveis. Cracolândias nascem à nossa vista em cidades médias e grandes. Seu consumo se expandiu para o interior do país e hoje não há uma cidade onde não seja encontrada.

Vejamos o caso do Acre. Antes era rota eventual de traficantes, agora se tornou corredor permanente do tráfico. Alguém já disse que o comercio que mais cresce em Rio Branco é o de drogas, encontrada facilmente em centenas de bocas-de-fumo. As apreensões que antes eram esporádicas hoje são diárias, banais, nem sequer viram notícia. O governo do Acre não consegue dar combate efetivo à criminalidade que cresce assustadoramente com o consumo e tráfico de cocaina seja em pó ou em pedra.

Parece certo que este processo não se estabeleceu lenta e progressivamente como em outras regiões. No Acre, assim como em Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul se deu muito rapidamente e recentemente. O que causou tudo isso? Na Bolivia, o seu presidente, o meio índio Evo Morales é membro e representante formal da comunidade cocaleira. Uma de suas ações mais conhecidas foi transferir milhares deles para a fronteira com o Brasil. O pretexto foi realizar a reforma agrária, mas a intenção clara foi acrescentar seus correligionários à população da região que lhe é amplamente contrária. O resultado é que estão plantando coca bem pertinho de nós, e certamente não é para mastigar a folha, o que por lá é permitido.

José Serra sabe disso e falou o que sabe. Com toda razão se pode atribuir a Evo Morales parte da culpa pelo crescimento avassalador do consumo de crack e cocaina no Brasil.

Um comentário: