segunda-feira, 30 de maio de 2011

FHC e a maconha. Lastimável! Uma vergonha!

Os maconheiros arranjaram um aliado de peso. Imagino que depois do filme "Quebrando o Tabu" e das declarações do FHC, os defensores da descriminação da maconha se sentem mais fortalecidos. Imaginam que politizada a questão poderá ser aceita pela sociedade. Se até o famigerado FHC é a favor, quem poderia ser contra?

Não é bem assim. No "Fantástico" de ontem, o que FHC fez foi desfilar por realidades que não são a nossa. Na Holanda tem holandeses, outra cultura, outros conceitos. Não dá pra importar modelos nesta matéria. ele bem o sabe.

O grande argumento dos maconheiros e seus defensores é a tal guerra perdida. Se Bill Clinton e FHC afirmam solenemente que depois de 40 anos de luta, a guerra contra o tráfico foi perdida, então que se descrimine a maconha. Depois, pelo mesmo princípio, que se libere também a cocaína, o crack...

O argumento "guerra perdida" é tão estúpido quanto aquele manda a mulher relaxar e gozar quando não puder resistir ao estupro. Vindo de uma autoridade é também uma confissão de incompetência.Vindo de um ex-Presidente é ainda uma irresponsabilidade. Ele vá dizer ao Obama que a guerra contra o terrorismo está perdida. Diga aos palestinos que a sua guerra está perdida.

As drogas deveriam ser consideradas armas de destruição em massa e, por isso, autorizarem ações de repressão incluindo sanções comerciais. A ONU deveria chamar a Bolivia às falas e impor a eliminação do plantio de coca. A OMC, o FMI idem. Infelizmente, os incompetentes estão indo pelo caminho mais fácil, querem desistir da luta, querem entregar de vez nossos jovens aos traficantes. Uma vergonha.

2 comentários:

  1. aff.. Moralismo exacerbado! Melhor a maconha ser comercializada em farmácias, com isso pagando seus impostos, do que na mãos de tráficantes, que são da mesma safra dos que assaltam a sua família e de outros. A maconha se for estudar, faz menos mal do que o cigarro comum, porque não possui a quantidade de químicos que estes possuem.

    ResponderExcluir
  2. Desculpe, mas penso que seus argumentos não tem base. Acredito sim que a legalização é um golpe muito inteligente a violência, um problema muito maior no nosso país, uma vez que a criminalidade é mantida em grande parte pelo tráfico. Não sou a favor da liberação, e sim de uma regulamentação aliada à campanhas de prevenção, afinal, já temos provas conclusivas de que a criminalização não acaba nem diminui o consumo das drogas.
    Além disso, uma pesquisa realizada pela Organização Mundial de Saúde mostra que a maconha não induz a pessoa à violência e seus efeitos não são mais agressivos que o do tabaco e do álcool, que são legalizados.

    ResponderExcluir