sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Saindo de uma e entrando em outra. É o Brasil.

Nem começou o governo eleito em 2010 e as especulações para as eleições de 2012 já começaram. No Acre o pessoal está bem assanhado. Na oposição, pelo menos 4 candidatos já se posicionam.

Marcio Bittar, ainda sem pisar no chão, começa a arquitetar um modo de golpear o Tião Bocalom no ninho dos tucanos. Penso que Marcio não será candidato. Se for, não será eleito.

Tião Bocalom pensa em reeditar a campanha deste ano. Tem todas as chances de ser candidato e melhores ainda de estabelecer acordos. Se der mais consistencia ao próprio discurso e apresentar um projeto para a cidade, será competitivo.

João Correia saiu bem dessas eleições. Não havendo acordo com outros partidos o PMDB pode lançá-lo isoladamente e aguardar o resultado, afinal um segundo turno é bem provável.

Luiz Calixto certamente se apresentará. Não creio que queira ser vice de quem quer que seja. Seu estilo duríssimo lhe garante certo espaço.

Entre os governistas há muito silêncio e incertezas. A dotação de emendas parlamentares para o próximo ano pode dar algumas pistas entre os atuais deputados federais. Neste campo ainda aposto em um nome novo, quem sabe uma versão masculina da Dilma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário