terça-feira, 23 de novembro de 2010

Meus cumprimentos ao Deputado Tchê.

Não conheço pessoalmente o Deputado Tchê, mas conheço o projeto ficha limpa. Perfeitamente adequada e oportuna a apresentação pelo deputado acreano de proposta estabelecendo as mesmas restrições para a ocupação de cargos no governo do Acre. Poderá, por isto, fazer história no Brasil a partir do exemplo que dará a outras assembléias legislativas. Algum deputado bem poderia fazer o mesmo na Câmara Federal.

A lógica preside o argumento. Se não pode ser eleito deputado, senador, governador ou presidente, por que raios um ficha suja pode ser secretário de estado? Penso que o erro é limitar a restrição a determinados cargos. O certo seria universalizar o impedimento a todos os cargos de livre nomeação, mas isto pode ser resolvido na tramitação do projeto.

Já é um absurdo que o preenchimento dos cargos de confiança não observe o mérito, servindo muitas vezes de acolhimento de correligionários, a nepotismo e compadrios. Com o projeto do deputado acreano fica estabelecido, pelo menos em tese, um maior grau de honestidade daqueles que indicados passem a fazer parte do staf mais elevado do governo.

Especificamente no Acre, penso que o projeto vem em boa hora e desconfio que não prosperaria sem o OK do governador eleito Tião Viana. Bom sinal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário