quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Meus cúmplices saíram de casa.


A foto, da Folha Online, mostra a marcha contra a corrupção que ocorreu em Brasília no último dia 7 de setembro. Não é um mar de gente, mas é um tantinho bem interessante, principalmente se considerarmos que foram lá sem grana do governo como outras marchas que passam por ali todos os anos. Também não houve campanha publicitária, cantores populares, informações na mídia ou líderes carismáticos. A turma foi porque resolveu dizer que tá doendo no calo tanta corupção. Não dá pra aguentar.

Imagino o que a dona da vassoura estará pensando a esta hora. Um dia antes ela disse em cadeia nacional que não se acumpliciaria com os mal-feitos. Pois bem. Deveria então se acumpliciar com aquele povo ali na Esplanada. É gente que não se junta à malandragem.

Pelo menos por enquanto não se ouviu um pio da dona Dilma a respeito das marchas que aconteceram aqui acolá. Talvez seus conselheiros lhe digam "isto passa, não merece atenção". Outros já saíram a detonar o movimento comparando-o com outro, menos consistente, ocorrido sob o título Cansei.  Mais alguns querem é partir para o confronto. Planejam marchar contra a revista Veja, aquela que bem ou mal é a primeira responsável pelas apurações e demissões ocorridas recentemente. Mas e a dona Dilma? O que pensa?

Fosse uma mosca eu iria lá no Palácio e antes que ela terminasse a cantiga de ninar para o Gabriel, lhe diria: Vai lá. Toma para si a responsabilidade, pega de novo na vassoura e manda ver, não deixe que o movimento cresça e atropele sua credibilidade, não permita que os ratos se escondam no porão do partido, não deixe que desapareçam com as provas. Vai pra cima!

Ok. Ok. Isto é conversa de ingênuo. É isto. Ingênuo é o que sou. Voce ai é esperto?

Nenhum comentário:

Postar um comentário