quinta-feira, 29 de março de 2012

A rainha da floresta surtou.

O portal Terra publicou uma entrevista com a ex-Ministra do Lula e ex-Senadora Marina Silva. Da leitura, conluo que tá faltando chá na floresta. Só pode.

O mais evidente exemplo de que a Marina está um tantinho fora do eixo é a declaração de que "Pelo menos 80% da sociedade, segundo pesquisas, não quer esse código". Fala sério. Vá em qualquer esquina brasileira e pergunte aos transeuntes o que acham do Código Florestal. Du-vi-d-o-dó que 10% saiba de que se trata. O povo dá bola é pra prestação do fogão, dona Marina. Ela fala em pesquisas. Que pesquisas? Precisaria dizer quais são e indicar onde se possa ver quem fez, como fez, quando fez e assim por diante.

Marina quer botar nas costas do governo o fracasso iminente da Rio + 20. O governo não tem culpa de que os pressupostos da Marina se demonstram falsos, de que o planeta há dez anos não esquenta, de que a farsa do aquecimento global antropogênico está derretendo. A COP Copenhagen fracassou, a COP Cancún fracassou, a COP Durban fracassou e a Rio + 20 fracassará porque há crises de alimentos no mundo, há crises de energia no mundo, há crises financeiras no mundo, há crises de direitos humanos no mundo, há desemprego e depressão à nossa porta e nem todos vivem no palco. Como diria um cidadão perante seus problemas, seja Haitiano ou Francês, "estamos ocupados em garantir o jantar."

É claro que a dona Dilma no fundo quer o Código aprovado como está. Não dá pra ficar o tempo todo jogando pra platéia. O Brasil tem responsabilidades que vão além daquelas que exibem as ONG's do "Agricultura aqui (nos EUA), florestas lá (no Brasil)". Se o Código Florestal saísse à feição da Marina, do Greenpeace ou da WWF (dá no mesmo), o Brasil passaria a importador de alimentos e exportador de vento. Assim, não dá. Nem o Lula se atreveria a tanto, imagine a dona Dilma.

Penso que chega. É hora de dar um basta e talvez a votação do Código Florestal seja o momento certo. Para quem não sabe, vivemos em um regime de propriedade privada e há limites para concessões. Querem que MINHA (comprei e paguei) terra seja totalmente imobilizada para satisfazer os ecologistas europeus?, PAGUE-ME O PREÇO. O que se faz no Brasil (e só se faz no Brasil) já é um exagero contra a propriedade privada. Aliás, boa mesmo é a idéia da senadora Kátia Abreu que propôs um Código Florestal Global do jeitinho que a Marina quer. Que tal? Quem iria lá na França arrancar as videiras das encostas? Cadê os valentes?

Nenhum comentário:

Postar um comentário