terça-feira, 21 de julho de 2009

Droga na fronteira. Eis um grande problema



É bom nos prepararmos. O Acre poderá se tornar um importante corredor mundial do tráfico de drogas. A dedução me vem da leitura de uma noticia recente em http://www.hoybolivia.com/Noticia.php?IdEdicion=438&IdSeccion=2&IdNoticia=17585


COMENTO


Não há um ser vivo no Acre que não perceba o aumento mais que proporcional do uso de drogas e da criminalidade a ele associada. Já se falou que existem centenas de bocas de fumo na capital. De vez em quando um passageiro de Rio Branco é flagrado no aeroporto de Brasília com uma farinha mais fina que aquela de Cruzeiro do Sul.
A droga bate a porta de todos. E não vem só. Traz consigo a desagregação familiar, o roubo doméstico, a perda de afetividade, o caos.Aqui vizinho, no Departamento de Pando, o índio cocaleiro que já recebeu homenagens de quem não devia, resolveu criar um enclave de produção de coca. Segundo as noticias de lá, está promovendo o assentamento de milhares de famílias experientes no plantio e beneficiamento da coca. E ai?
Com uma economia frágil, milhares de desempregados e pouca perspectiva, somos campo fértil para a disseminação de atividades marginais. A extensa fronteira que temos com a Bolivia praticamente nos transforma em rota obrigatória do tráfico de cocaína. Eis um grande problema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário