quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Instituto Ethos e cientistas alemães - há muitas cartas a serem lidas




Está em todos os jornais: Nesta quarta-feira, sem a subscrição da FIESP, grandes empresas nacionais e entidades ambientalistas lançaram uma "Carta Aberta ao Brasil" sobre as mudanças climáticas. O alvo é a redução das emissões de CO² na atmosfera. Garantem, entre outras medidas, que de agora em diante as emissões das empresas serão monitoradas e divulgadas sistematicamente.


COMENTO

Existem cartas que antes de serem lidas ganham o noticiário. Dependendo dos interesses, nem interessa a leitura. Importante é que estão por aí a dar lições e estabelecer compromissos em nome da sociedade. A carbofobia está na moda.

Outro dia li uma carta. Esta, também sobre as mudanças climáticas, foi escrita por mais de 100 cientistas alemães e endereçada à chanceler alemã, Ângela Merkel. O texto em português pode ser encontrada em http://mitos-climaticos.blogspot.com/2009/08/cientistas-alemaes-contestam-pseudo.html

Nesta ninguém ouviu falar. Nenhum jornal, nenhuma rádio, nenhum artista global, nenhum deputado, ninguém ficou sabendo. Uma pena. Além de contestar as conclusões dos carbofóbicos com afirmações do tipo "Se o CO2 tivesse realmente qualquer efeito e se todos os combustíveis fósseis fossem queimados o aquecimento adicional a longo prazo seria, mesmo assim, limitado a apenas alguns décimos de graus Celsius" , os cientistas fazem em poucas palavras um verdadeiro libelo contra o pensamento único prevalecente na mídia global. Em determinado trecho lê-se "É realmente lamentável o comportamento dos nossos media. Nas antigas ditaduras diziam aos media o que não deveriam relatar. Mas hoje eles sabem isso sem receberem instruções."

Em democracias todas as cartas devem ser lidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário