domingo, 17 de abril de 2011

Se o Oxi entra no Brasil pelo Acre, foi o governo federal que convidou e abriu a porta.

Para quem como eu tem o Acre no coração, a reportagem publicada no Globo On line por Carolina Benevides é estarrecedora. A matéria trata do Oxi, uma droga derivada da cocaína que segundo especialistas e usuários é ainda mais fulminante que o Crack. Uma bomba que teria entrado no Brasil pelo Acre e hoje vicia os jovens de Rio Branco e de outras cidades das regiões norte e centro-oeste,

Talvez seja este o saldo da política buarquiana de falar fino com os coleguinhas sul-americanos. O índio cocaleiro, aprendiz de ditador instalado no governo boliviano fez aumentar exponencialmente a produção de coca naquele pais fazendo transbordar para o Brasil uma tsunami de cocaína para a qual o governo brasileiro não estava preparado nem interessado. Aliás, teve até quem ajudasse a arrancar uma grana do Brasil para colaborar com a política nefasta do Evo Morales na fronteira conosco. Está aí o resultado.

Para quem tem o Acre no coração é alarmante saber que efetivamente não se pode esperar muito dos governos locais. Eles não tem os recursos, o preparo e a competência formal para este combate. Traficantes e viciados no Acre podem "nadar de braçada" enquanto o governo federal não se dedicar firmemente à tarefa de conter o tráfico.

Infelizmente não tenho ilusões de que isso aconteça. Não a julgar pelas palavras do deputado Paulo Teixeira, líder do PT na Câmara Federal (vídeo abaixo), que ao invés de se enfileirar junto às famílias brasileiras desgraçadas pelo uso de drogas, prefere se juntar aos traficantes e usuários pleiteando o plantio, comércio e consumo legal da maconha que todos sabem é a porta de entrada em todas as drogas. Haverá eperança de combate ao tráfico de drogas com líderes importantes pensando assim? Não creio.

Só de pensar que a porta do Oxi é o Acre sinto mal estar. Como chegamos até aqui? Como permitimos que tudo isso esteja acontecendo? Por que raios o governo brasileiro não pressiona o governo boliviano, já que temos força mais que suficiente para isso, no sentido de que ponha freio à produção de coca que invade nosso país? Será que todos estão fumando o mesmo cigarrinho que o Paulo Teixeira? Meu Deus, que tristeza.

Um comentário:

  1. Valter, tempos atrás fui chamado de louco por criticar a construção das estradas que ligam o Acre com os países andinos. Bem, se essa droga e outras entram no Brasil pelo Acre, é por essas estradas que elas devem viajar, sem dúvida alguma. Final do ano passado o governo acreano criticou o Jornalista Roberto Cabrini, do SBT pela reportagem que fez denunciando isso, dizendo que era invencionice dele. Não era! E como voce diz, nosso governo não tem condições e nem muita vontade de tratar o problema.

    ResponderExcluir