segunda-feira, 21 de março de 2011

Meu caro P. B., o que fazes ai em cima?

Meu amigo P. B. é renitente. Me questiona agora sobre as possibilidades da oposição ganhar as próximas eleições para a capital do Acre com o Marcio Bittar. Sinceramente, não faço a mínima idéia. Quem gosta de fazer previsões de longo prazo é Al Gore. De todo modo, observando certos movimentos típicos de gente narcisista e deslumbrada, adianto:

Engana-se quem pensa que os mais de 50 mil votos obtidos por Márcio Bittar podem ser transportados para 2012. As eleições parlamentares de 2010 no Acre apresentaram um viés importante - a polarização da disputa principal fez transbordar efeitos para a disputa turbinando os resultados dos principais candidatos, leia-se Petecão, João Correia, Marcio Bittar e Flaviano Melo. Todos eles tiveram votação acima de suas melhores expectativas. O campeonato do Marcio é um dado viciado por uma conjuntura extremamente favorável e não um processo autônomo e independente do momento político, das articulações e chapas possíveis. Se performance eleitoral proporcional fosse isoladamente determinante, Tiririca já seria o próximo prefeito de São Paulo.

Portanto meu amigo P.B., desça daí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário