quinta-feira, 10 de março de 2011

Em 2012 tem espetáculo? Tem, sim senhor!


A Rede Globo deu ontem no Jornal Nacional a partida na movimentação jornalística que antecede a reunião que acontecerá no próximo ano no Brasil para tratar das questões ambientais. Será a Rio + 20. No centro, segundo a matéria, as mudanças climáticas e o que as nações estão fazendo para contê-las, supondo, obviamente, que decorrem das emissões de CO². Como teve que mostrar imagens de grandes nevascas recentes, o JN se absteve de falar em aquecimento global.

Hoje também, a moça da foto, Jill Duggan (JD), da Direção-Geral da Comissão Europeia de Ação Climática, especialista da CE sobre Mercados de Carbono e Mudanças Climáticas e chefe de operações da Grã-Bretanha internacional de emissões, em visita à Austrália deu entrevista ao jornalista Andrew Bolt (AB), do jornal britânico Herald Sun.

Vejamos alguns trechos em português. A entrevista em inteiro teor pode ser vista AQUI.

AB: O seu objectivo é reduzir as emissões na Europa em 20% até 2020?

JD: Sim.

AB: Pode me dizer aproximadamente quanto, em bilhões, voce acha que vai custar para a Europa

JD: Não, eu não posso te dizer, mas eu sei que o modelo mostra que é mais barato começar mais cedo.

AB: É verdade. Você não iria discordar do professor Richard Tol, que não é um cético, é professor da Investigação Económica e Social Institute, em Dublin? Ele avalia em cerca de US $ 250 bilhões. Você iria discordar disso?

JD: Eu provavelmente iria, na verdade, quer dizer, eu não sei. É muito, muito difícil de quantificar.

AB: Se a Europa sozinha fizer este grande investimento vai diminuir a temperatura do mundo  - com uma meta de 20% até o final deste século,em 0,05 ° C. Discorda disso?

JD: Bem, eu acho que a ciência do clima  não é precisa. É?

AB: Na verdade é, Jill. Eu estou curioso, você está no comando de um grande programa de reformulação de uma economia. Você não sabe quanto custa. E você não sabe o que ele vai conseguir.

Na continuidade da entrevista que foi dada a uma rádio, o Andrew Bolt terminou por chamar a dirigente européia de palhaça.

Como se vê, entre as maiores autoridades mundiais na questão climática, há quem não saiba quanto custa nem quanto pode alcançar em redução de temperatura o esforço das nações. É como iniciar uma viagem sem saber quanto dinheiro vai levar nem aonde vai chegar. Neste ritmo, no próximo ano teremos um grande circo por aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário