quarta-feira, 2 de setembro de 2009

O que pensam os parlamentares acreanos sobre o pré-sal?



Se confirmdas as previsões, a riqueza produzida pelo Pré-sal vai transformar de tal modo a realidade brasileira que até nos cafundós do judas, como dizia a minha santa avó, vão se sentir seus efeitos. Dada esta importância enviei aos prlamentares acreanos (deputados e senadores) três perguntinhas básicas. O resultado, publicarei assim e se receber as respostas.

As perguntas são as seguintes:

1. A maior parte dos ambientalistas garante que ao queimar combustíveis fósseis, ou seja, ao emitir CO² na atmosfera, o homem é o principal responsável pelo aquecimento global. Não é contraditório querermos explorar e, portanto, queimar com mais facilidade e abundância o petróleo do pré-sal?
2. No seu Art. 170, inciso VII, a Constituição Federal estabelece que a política econômica será no sentido da redução das desigualdades sociais. Não lhe parece que configura arranhão à Constituição o fato de perante a riqueza anunciada do pré-sal ficarem mantidos os privilégios aos estados limítrofes à bacia sedimentar?
3. Poucos anos atrás o Presidente Lula anunciou ao mundo inteiro que o Brasil estava fazendo uma opção pelos combustíveis de fontes renováveis e, de certo modo, andou o mundo como um mascate dos biocombustíveis, menos poluentes e mais adequados à nossa realidade. Chegou mesmo a enfrentar opositores importantes. Com este alarde do Pré-sal, não fica jogado em segundo plano o projeto renovável? Quem vai se preocupar em plantar mamona com tanto petróleo no quintal?

COMENTAREI

Nenhum comentário:

Postar um comentário