quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Rio de culpas.

O que dizer? Quanto sofrimento, quantas perdas, quantas mortes... quanta incúria, quanto abandono, quanto desleixo, quanta incompetência.

Todos nós brasileiros sofremos um pouco diante da TV e todos sabemos que no próximo ano as cenas se repetirão, lá ou em outros lugares, com maior ou menor intensidade, porque os governos são os mesmos. Somos vítimas de um estado perverso, governado por narcisistas improbos e insensíveis.

Repetem hoje as mesmas promessas de antes. Programas que nunca são implementados, recursos que nunca chegam, medidas paliativas que são um escárnio. Antecipam bolsa-família, permitem saques no FGTS e anunciam como se fossem políticas de alguma importância efetiva. Dinheiro que já era do pobre coitado vira manchete porque foi liberado em cima de corpos que jamais tiveram a atenção devida.

Nem dá pra dizer que os governos foram imprevidentes. TODOS sabiam que estava por acontecer (acontece todo ano!) e não fizeram nada. Não liberaram os recursos, não executaram as obras necessárias, nem sequer alertaram a população. Deixaram acontecer. São todos cúmplices dos temporais e dos deslizamentos de terra, são todos culpados pela tragédia. Malditos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário