sábado, 15 de janeiro de 2011

Os chineses...

O embaixador da China visita o Acre. Pelo noticiário, vem ver o que o Acre tem. Tem pouco. Qualquer mercadoria que os chineses queiram comprar será muito para o que o Acre possui, seja em matérias primas ou em produtos industrializados. Isto quer dizer que não dá jogo? Em termos.

Por suas dimensões o mercado chinês sozinho é capaz de alterar radicalmente economias nacionais, imagine-se a economia de um pequeno estado brasileiro. É um gigante com o qual, se pudermos, devemos estabelecer as relações comerciais mais adequadas. O problema é a escala e a segurança da oferta que mercados assim exigem para que se realizem as transações comerciais.

À primeira vista, pelo menos por enquanto, somente a exploração madeireira poderia sinalizar tal perspectiva, o que resultaria em investidas fortíssimas sobre a base de recursos existente, sabendo-se de antemão que o "estilo chinês" não é exatamente o mais respeitoso com as questões ambientais e trabalhistas. Não será tarefa fácil controlar a produção madeireira em escala chinesa. O Governador Tião Viana sabe disso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário