sábado, 23 de janeiro de 2010

Só para não não deixar o assunto "esfriar"


Lembram da COP 15 em Copenhaguen? Lá cerca de 30.000 ambientalistas "ocupados" com a saúde e o bem-estar da humanidade se reuniram para debater o aquecimento global antropogênico. Ao final deveriam estabelecer um protocolo no qual estivessem claras as responsabilidades  políticas e financeiras de 180 nações em relação ao modo de produção e às fontes de energia que, segundo os aquecimentistas, estão a inviabilizar a vida na terra.

Diante de algumas declarações de alguns líderes, inclusive os velhos e os novos ambientalistas brasileirs, Dilma, Marina e Serra no meio, senti meu bolso tremer. Sabe como é, o pobre sempre paga a conta. No final das contas, fracasso total. Adiaram a indecisão. Os ricos não toparam pagar o prejuizo, os pobres não toparam continuar na miséria e os mais ou menos não quiseram dividir a fatura. Quem sabe na próxima, né? Até lá se o homem ajudar, o mar já subiu mais um tiquinho, as temperaturas idem, uma seca aqui outra acolá e o ambiente estará própicio para um acordo.

Esqueceram de combinar com o clima. Dá-lhe frio. Aquele gelo de Copenhaguen era só uma prévia do que viria em seguida. O ano virou com a Europa e a China chamando urso polar de cobertor. Foi o periodo mais frio dos últimos 30 anos.

De acordo com os E.U. National Snow and Ice Data Centre, no Colorado, o gelo do mar Ártico aumentou em 409.000 milhas quadradas, ou 26 por cento, desde 2007. Nem os mais comprometidos ativistas do aquecimento global contestam os dados.

Ainda não se sabe o que dirão os cientistas caras do IPCC e adeptos do Al Gore. Talvez queiram expurgar as temperaturas de janeiro de seus modelos - já fizeram isso no Climategate.

Nenhum comentário:

Postar um comentário