sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Governar até que não é muito cansativo, mas fazer campanha é uma pedreira.

Nunca antes neste pais um presidente viajou tanto. O "paris-dakar' que botou o Presidente Lula pra dormir é rigorosamente, com todos os requisitos, campanha eleitoral. Não se trata de fiscalizar obra. O governo tem engenheiro de sobra pra fazer isso. Não se trata de inaugurar obra pois raras foram concluídas. Se trata, isto sim, de fazer discurso em cima de discurso, reunião em cima de reunião, tudo para mostrar a continuadora de seu governo - Dilma Rousseff.

Algo que à primeira vista nem seria necessãrio pois a Dilma está sozinha em campo. Os outros, contidos pela lei, guardam suas energias para o período legalmente permitido. Em condições normais não precisaria tanto esforço do Presidente.

Ocorre que a candidata ainda não anda sozinha. Precisa ser guiada até um ponto de onde possa soltar-se. Manja criança aprendendo a andar de bicicleta? Pois é. A Dilma nunca foi candidata a coisíssima alguma. Se não for amparada se estatela no chão.
Ciente disto o Presidente Lula é vigilante. Vai empurrar a Dilma ladeira acima até onde der, mesmo que isso lhe cause alguns desgastes físicos.

Enquanto isso, Serra aguarda o sinal verde da largada. Quando isso acontecer estará pelo menos uma volta atrás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário