quarta-feira, 4 de abril de 2012

A turma de Demóstenes é aquela mesma.

Sabe o que mais incomoda na descoberta das patifarias do Demóstenes Torres, que outros diriam se tratar apenas de "erros"? É que os corruptos de todos os partidos, de todos os governos, utilizam o fato como alvará para continuar a delinquir sem medo, sem vergonha, e ainda lançar olhares de desconfiança para quem discursa em favor da ética. Fica parecendo que todos aqueles que defendem a honestidade pertencem à turma do Demóstenes. Gente comum que apenas não mete a mão no bolso de ninguém, nem do governo, fica encabulada com a impressão de que seu lado está contaminado. Pois não está.

Demóstenes não pertence à minha turma. Nunca pertenceu. Eu não pertenço à turma de Demóstenes, nunca pertenci. Demóstenes sempre pertenceu à turma dos patifes que se utilizam dos cargos públicos para enfiarem a mão no dinheiro do brasileiro, enriquecerem e fazerem carreira e fama. Demóstenes pertence à turma dos mensaleiros, dos anões do orçamento e outros grupos de assaltantes. Ele que vá se explicar nas barras da justiça, ou (seria melhor) que enfie uma bala nos próprios miolos. Nem ele nem ninguém me fará ter vergonha de ser honesto.

Os vagabundos que a esta altura estão rindo do Demóstenes como se a sua incúria justificasse a roubalheira geral estão enganados. Apenas caiu mais um de sua turma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário