quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Vem ai o partido dos sem-noção.




Enquanto os crentes da Igreja do Aquecimento Global Antropogênico no Brasil planejam até criar um Partido Suprapartidário (sic) liderado pela Marina Silva, o mundo congela. Andei dando uma olhada nas manchetes de alguns jornais e concluo que a temperatura não aderiu ao novo partido. Vejam só!

NA CHINA

Frio na China mata cerca de 180.000 bovinos.

PEQUIM - O inverno mais frio em décadas está causando nevascas no norte da China e ameaça fornecimento de energia elétrica no sul, onde o governo não está acostumado a lidar com baixas temperaturas tais, China mídia nesta quarta-feira.

Cerca de 180.000 bovinos morreram no norte, enquanto centenas de abrigos de emergência foram abertas no sul da China para ajudar as pessoas que não têm habitação adequada ou calor para sobreviver ao frio abaixo da média.

Mais de 250 mil chineses precisam de algum tipo de ajuda emergencial, segundo a agência de notícias Xinhua.

Nas regiões do sul do país, onde não é comum se enfrentar temperaturas congelantes, o governo criou abrigos para os sem-teto e os idosos.

Milhares de barcos também ficaram encalhados em águas congelados. Há previsões de que a onda de frio continue.

NA ÍNDIA

Apesar dos esforços do governo, indiano Sociedade da Cruz Vermelha (IIC), e um grande número de ONGs, relatos indicam que há um número crescente de mortes por temperaturas excepcionalmente baixas, a maioria das mortes estão entre os sem-teto e os idosos . Os principais jornais e mídia eletrônica têm destacado número de mortos montagem devido ao tempo frio extremo nos estados do norte da Índia. Até o momento, 233 mortes foram relatados pela mídia. 


NO ORIENTE MÉDIO

Nevascas chegaram na noite de quarta-feira a Jordânia, Israel e Arábia Saudita no quinto dia de uma onda excepcional de mau tempo no Oriente Médio que causou a morte de 11 pessoas e deixou ao menos 10 desaparecidos. Jerusalém, situada a 800 metros de altitude, estava coberta com mais de 10 centímetros de neve na manhã desta quinta-feira, o que provocou a alegria das crianças, mas paralisou boa parte do país e dos Territórios Palestinos, afetados pelo que os meios de comunicação denominaram de "a tempestade da década".

A neve chegou inclusive à região de Tabuk, no noroeste da Arábia Saudita, cujos moradores correram para ver este raro espetáculo no reino do deserto. Na Jordânia, a tempestade de neve paralisou quase todo o país. A neve bloqueava a maior parte das rotas que levam a Amã e outras regiões, e o rei Abdullah II decretou outro feriado na quinta-feira, tal como fez na quarta. O exército foi mobilizado para abrir estradas e socorrer as pessoas bloqueadas.

Também nevou no norte do Iraque, onde exames foram adiados em algumas cidades do Curdistão e o tráfego era difícil ou estava interrompido em vários postos fronteiriços do Irã. As inclemências do tempo continuavam no Egito, afetado por uma onda de frio. Ventos fortes e chuvas torrenciais paralisaram a circulação nas grandes cidades, sobretudo no Cairo, e obrigaram a manter fechados muitos portos.

Em toda a região, este mau tempo causou nos últimos dias a morte de 11 pessoas - três no Líbano, três em Israel e cinco na Jordânia -, enquanto outras 11 - dez pescadores cujo barco naufragou no Egito e um bebê que foi arrastado pelas águas no Líbano - estão na lista de desaparecidos. Enquanto Damasco permanecia coberta de neve, o frio era insuportável em várias regiões da Síria, onde a guerra civil causou escassez de combustível para calefação e perturbou consideravelmente as redes de alimentação elétrica.

O frio também afetava centenas de milhares de refugiados sírios que fugiram da violência e sobrevivem em acampamentos de barracas nos países fronteiriços. Na Jordânia, o acampamento de Zaatari, onde estão abrigadas 62 mil pessoas, se tornou um lamaçal depois de vários dias de chuvas torrenciais. Centenas de barracas foram destruídas e "a situação é absolutamente intolerável", declarou à AFP Yussef Hariri, um refugiado de 38 anos.

NA EUROPA

Queda de neve já começa a preocupar Europa. Só em Espanha, foram lançados avisos amarelos e laranjas para 23 províncias. 
 
Uma extensa tempestade de neve está a atingir grande parte da Europa. E os nevões estão a começar a interferir no tráfego aéreo.

Para as crianças de Lérida, na Catalunha, é dia de festa.

A neve obrigou a colocar sob alerta vermelho e laranja 23 províncias de Espanha, não só por causa da queda intensa, mas também devido ao vento, com rajadas de 100 quilómetros por hora.

Nalgumas regiões, como em Navarra, o manto branco chega a atingir 50 centímetros de espessura.

O que se passa em Espanha é apenas uma amostra da vaga de frio que se abateu um pouco por toda a Europa. Mas nem todos se alegram com a queda dos flocos.

O caos afeta já alguns aeroportos, com as companhias aéreas a lançarem avisos para os passageiros confirmar os voos. Só em Heathrow, Inglaterra, ficaram em terra 30 aviões, exatamente o mesmo número que no aeroporto francês de Lyon.

Em quase toda a região, as escolas permaneciam fechadas na quinta e vários moradores estavam sem eletricidade. Embora em Israel a falta de luz, que afetou 20 mil residências particulares, tenha sido causada por incidentes específicos, no Líbano a situação se complicou devido a uma greve de funcionários da companhia de eletricidade. Em Israel, a Associação de Industriais calculou o custo dos danos em 300 milhões de shekels (60 milhões de euros), devido à ausência de pessoal ou a problemas de abastecimento ou de entregas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário